27/01/2010

Na peugada de Madre Teresa de Calcutá


Maria Conceição, nasceu em Vila Franca de Xira, há 32 anos, tem um aspecto frágil mas determinado. Encontra-se sedeada no Dubai como assistente de bordo e do que tem visto pelo mundo, sentiu-se preocupada com a vida de muitas crianças em bairros pobres e decidiu, há cinco anos, entregar-se a um objectivo: minorar a miséria de crianças de uma comunidade desprovida de tudo, dando-lhes mais condições de higiene, saúde e educação. Começou por procurar bens doados em roupa que eram vendidos para obter verbas.

E a captação de boas vontades permitiu evoluir ao ponto de agora, o seu projecto, o Dahka Project, na capital do Bangladesh, já poder apoiar 600 crianças no bairro de Korail e emprega cem pessoas da mesma comunidade. O resto é trabalho esforçado de voluntários do mundo inteiro.

Depois de ter sido tocada pela miséria de outros e querer pôr-lhe fim. Maria Conceição tomou em mãos um bairro desprovido de tudo depois de uma passagem profissional pela capital do Bangladesh. Esta portuguesa já ganhou prémios de prestígio pela sua acção humanitária. É aliciante ver reconhecida a sua acção de que resultam benefícios para tanta criança carente.

Agora, Maria Conceição, atraída pela grande vontade de bem-fazer e de ajudar, num mundo em que os carenciados são ignorados pelos donos do dinheiro presos a um materialismo ambicioso e egoísta de olhos no imediato, não desiste e tem em mente outro projecto, esse no Brasil, provavelmente no Nordeste. Será um orfanato capaz de se auto-sustentar com a exploração de uma unidade hoteleira de praia. Segue o conselho chinês: se queres matar a fome a um pobre não lhe dês um peixe, dá-lhe uma cana e ensina-o a pescar. Prepara as crianças para a auto-subsistência, para a pequena empresa.

Diz com muita segurança: "Cheguei à conclusão de que aquelas crianças tinham um potencial enorme, mas não tinham oportunidades", assim recorda o grande embate ao visitar os arredores de Daca. Há ali um trabalho desmedido e difícil a fazer e, aos poucos, há resultados. Tudo é difícil, até ter vacinas doadas por vários países e encontraram todo o tipo de obstáculos para conseguir das autoridades daquele país um boletim que atestasse por alguma forma a identidade das crianças.

Maria Conceição tem a energia de liderança dos dinamizadores e transmite-a. Garante que é exigente com os voluntários e reconhece que, indo uma vez por mês a Daca e tendo já lá passado dois meses, aquelas circunstâncias são tão dramáticas que "se tem que sair para respirar e recarregar baterias". Na capital do Bangladesh, outra iniciativa de Maria está a pôr crianças a ensinar inglês aos pais e a dinamizar a comunidade de Gawair para a limpeza das casas e vielas. A esta acção, a fundadora deu o nome de The Catalist.

15 comentários:

Fê-blue bird disse...

Enche-mo-nos de esperança e orgulho quando vemos uma portuguesa conseguir realizar os seus sonhos.
Mais ainda quando esses sonhos envolvem uma acção humanitária com esta.
Bem haja!

direitinho disse...

Bom dia
Já conhecia esta portuguesa e a sua determinação em fazer aos outros o que compete aos governos das nações.
Depois de parar para enxugar as lágrimas, continuei a ler e a meditar como temos a felicidade de encontrar valores tão grandes no meio de nós.
Este mundo cheio de contrastes e de vilanagem, de guerras e roubos, de atentados à floresta, às águas do mar e dos rios ao abandono das crianças e dos velhos.....aparecem estas flores com um sorriso e um perfume completamente desconhecido.
Bem haja pela sua coragem de nos trazer exemplos vivos dos nossos dias e também nossos conterrâneos.

Ricardo Calmon disse...

TUDO FIZ PARA MININA ESSA SEGUIR ,MAS NÃO CONSEGUI
SNIFFFFFFFFFFFFFFFFFNSEGUI BUÁÁÁÁÁÁVIVA LA VIDAAAAAAAAAAAAAAA

Ricardo Calmon disse...

MISSIONÁRIOS DA VIDA,DA GENEROSIDADE E DA TERNURA SOMOS E SEREMOS SIEMPREEEEEEEEEEEEEEEEE

VIVA LA VIDAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

A. João Soares disse...

Querida Fê,

Renho aqui, por diversas vezes, salientado comportamentos de jovens com valor moral, ético, cultural e social. Não podia deixar passar este caso de vocação humanitária. É mais um caso de jovem da nossa nacionalidade que demonstra o seu valor em benefício de outros que carecem de possibilidades de viver com dignidade. Só é pena que aqueles que cobram ao Estado dezenas de milhares de euros por mês não façam qualquer coisa no mesmo sentido ou não ofereçam parte dos ses salários escandalosos a este tipo de pessoas altruístas que se sacrificam quanto podem em beneficio de outros seres humanos desprovidos do mínimo indispensável de condições.

Beijos
João

A. João Soares disse...

Caro Direitinho,

Creio que a resposta no comentário anterior satisfará ao que me diz.
Para que o mundo seja melhor, é preciso estimular e aplaudir os que se distinguem com comportamentos mais positivos e exemplares. Convém que muitos os imitem. A humanidade precisa de muita gente desta estirpe.

Um abraço
João

A. João Soares disse...

Ricardo Calmon,

Obrigado pela sua visita. Para se viver a vida, para que todos a possam viver, são precisas pessoas de boa intenção a dar apoio aos que dele precisam, como faz a Maria Conceição.

Cumprimentos
João

Celle disse...

João, Vila Franca de Xira, deve ser portugal, não é mesmo?
Portanto é uma portuguesinha esta missionária valorosa!
Que bom existir entre os jovens, samaritanos voluntários, solidários e com disposição para ajudar e cooperar. É preciso divulgar tais nomes como insentivo e exemplo para outros jovens ou não.Estas notícias nos renovam as esperanças no ser humano!Sinalizam que nem tudo está perdido.
Um abraço

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Tinha conhecimento desta nossa querida "menina" Portuguesa, a Maria da Conceição.

Li há meses sobre as suas acções e votei nela para o prémio que ganhou.
Foi a nossa amiga Maria Elvira das Brumas de Sintra que me alertou.
Ela é conhecida como o ANJO de DACA e a NONA MADRE TERESA DE CALCUTÁ.

Este é só mais um exemplo vindo de uma jovem cujo altruísmo é exemplar.
Não há barreiras para ela.
Dá-nos a todos uma lição de como é sempre possível ajudar.

Bem haja a Maria da Conceição e o João por trazer a público notícias que mal se souberam nos meios de comunicação portuguesa.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Querida Celle,

Muito obrigado pelas suas palavras simpáticas em relação a esta jovem portuguesa. É por ter conhecimento de jovens deste quilate que alimento o meu optimismo pelo futuro que os jovens hão-de construir por cima das ruínas que as gerações anteriores lhes legam.
O futuro é dos jovens de agora e seria interessante que desde já começassem a dar-lhes cargos de responsabilidade.

Beijos
João

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

Não estou a criar uma excepção para a Maria Conceição. Desde há muito que tenho realçado os casos de jovens excepcionais que se destacam de forma positiva. Faço o que posso para entusiasmar os outros a imitarem os bons exemplos. O futuro já não serve de motivação para os idosos, mas os jovens devem olhá-lo como sendo a sua vida e não devem deixar de o preparar desde já com o maior carinho e interesse.

Beijos
João

Ana Martins disse...

Vi-a hoje no programa da Fátima Lopes, uma jovem fantástica de grande valor e sentimentos. É sempre tão bom conhecermos pessoas assim, são elas que nos fazem aceditar que um mundo melhor é possível.

Beijinhos,
Ana Martins

A. João Soares disse...

Querida Ana,

Claro que o mundo melhor está ao alcance dos jovens de hoje, cidadãos de amanhã. Há pessoas que só gostam de dizer mal, vomitar pessimismo. Mas não é preciso serem todos impecáveis, bastando uma elite para gerir o desenvolvimento moral, cultural e social do mundo. Eles serão a semente, os dinamizadores que conduzirão as pessoas de boa vontade. Para os génios do mal haverá uma justiça mais eficaz e rápida. Os jovens de hoje hão-de encontrar a solução. Ela já vem sendo aplicada noutros países onde a escola prepara as crianças para serem adultos responsáveis excelentes, os trabalhadores a serem produtivos e perfeitos, os empresários a serem bons gestores humanos e bons distribuidores dos resultados, os políticos a interessarem-se pelas vidas dos cidadãos com boa justiça social, etc.

Beijos
João

Luis disse...

Caríssimo João,
História linda como exemplo aos mais novos e não só! Feliz a tua postagem pois vem ao encontro dos nossos anseios - A Juventude a mostrar aos mais velhos um caminho de Virtude que anda muito arredado de muitos deles. Começa-se a ver Luz ao fundo do túnel!!! Oxalá este exemplo dê frutos noutras áreas!
Um abraço amigo.

A. João Soares disse...

Amigo Luís,

Obrigado pelas tuas palavras. Pela minha parte sempre que tenha conhecimento de bons exemplos de jovens não os deixo passar sem aplauso. Penso que todos os bloguistas deviam fazer o mesmo, tal como a comunicação social, a fim de com tais exemplos se levantar o entusiasmo e o moral dos jovens. Eles estão sedentos de estímulos, de oportunidades, e isso vê-se nos posts da nossa amiga Ná quando se refere à forma como eles estão a aderir à campanha LIMPAR PORTUGAL.
Não sou louco de todo quando mostro o meu optimismo e esperança na JUVENTUDE.

Um abraço
João