16/01/2010

Consumismo e ambiente


Dedico esta reflexão à amiga , exemplar e entusiástica colaboradora da campanha LIMPAR PORTUGAL.

O consumismo é incentivado por todos os grandes industriais que, na ânsia de aumentar os lucros, usam as mais agressivas técnicas de marketing para criar necessidades, aumentar o consumismo e obrigar os indefesos consumidores a maiores despesas.

Um exemplo: observe-se a diferença dos farolins traseiros dos carros ligeiros e das carrinhas desde há 60 ou 70 anos. Foram aumentando de tamanho e constituindo conjuntos ópticos de preço cada vez mais elevado em relação ao preço total dos carros. Aquilo que antigamente era substituído por um pequeno preço, agora custa isso multiplicado por dezenas.

Passa-se o mesmo com os faróis, as ópticas, da frente e com equipamentos sofisticados de uso eventual, muito raro, mas que temos que pagar na compra do carro.

Isto traduz-se na utilização de mais recursos naturais, não renováveis, em mais consumo de energia na produção, maior quantidade de lixos na destruição em fim de vida ou por acidente, o que gera mais poluição. Não devemos esquecer e a amiga Ná sabe perfeitamente, nesta sua generosa actividade, que, quanto aos lixos e poluição, há a regra dos 4 Erres: Redução da quantidade, Reparação, `Reutilização e Reciclagem. No entanto, os grandes industriais, têm por objectivo, ir contra a Redução, aumentando a quantidade de embalagens, de acessórios desnecessários e, consequentemente do lixo. E quem beneficia com isso? É bem claro que apenas os fabricantes e os comerciantes dos ramos respectivos.

Temos que LIMPAR PORTUGAL e continuar a lutar pela Redução dos lixos e pelos outros 3 erres.

9 comentários:

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Antes mesmo de comentar este seu excelente trabalho, que com muito carinho me é dedicado, já o publiquei no meu Grupo de Cerveira, contando um pouco a história e deixando o link para a primeira publicação neste Blogue do primeiro texto designado, Vamos Limpar Portugal, em 15/07//2009.

Não, não fui só eu que me apaixonei pela Causa desde logo. A adesão desta equipa e de muitos comentadores foi louvável, admirável.

Todo este seu texto é um apelo ao raciocínio lógico, para impedir que caiamos nos erros a que somos induzidos pelo markting, que nos empurra a um consumismo completamente desnecessário, absurdo, causador de todo este mal.

Obrigada meu bom amigo.
Beijinhos

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

Esta minha reflexão pretende apenas mostrar que nas pequenas coisas se vê que a ambição, o desejo de mais lucro destrói a nossa casa, a Natureza, o Planeta. Este momento da sensibilização das pessoas para o ambiente deve ser aproveitado para incitar as pessoas a raciocinar em pequenos gestos que são indispensáveis.

Muito obrigado pelo seu comentário, mas nada faço além do que é dever de todos nós. Só é pena que muitos ainda não pensem da mesma forma.
Parabéns pelo entusiasmo da sua equipa e Felicidades para todos.

Beijos
João

Fernanda disse...

Meu querido amigo João,

Acabei de publicar no Grupo de Cerveira, que conta já com 40 membros efectivos, o que não é nada mau, embora esperemos pelos menos uma centena, o resultado da Reunião de ontem à noite.

Uma coisa curiosa que gostava de salientar aqui, é que há medida que algumas lixeiras vão sendo identificadas e localizadas, uma vez que depois com o GPS passam logo através do Google Earth para o mapa geral de Cerveira...ALGUMAS JÁ FORAM LIMPAS, o que é fantástico :)))
Só nos resta descobrir se foram bem eliminadas ou apenas removidas para outro local.

Tentarei escrever um texto mais amplo e abrangente, para ver se conseguimos mobilizar as pessoas todas deste país. Levá-las a interagir.

Obrigada do coração,
Beijinhos

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

Creia que eu previa que acontecesse essa antecipação da limpeza de lixeiras. Por dois motivos: Medo de ser detectado o autor do depósito dos lixos. Ou mentalização e bairrismo de as pessoas reconhecerem que isso estava errado e que convinha corrigir o mais cedo possível. Esta segunda hipótese seria muito positiva.
Mas uma ou outra resultam de um impacto positivo da campanha. Só por isso, já é motivo de regozijo.
É essencial que o amor à limpeza do ambiente persista e leve a não se repetirem lixeiras selvagens.

Parabéns a todos quantos trabalharem nisto no terreno.

Beijos
João

Pedro Ferreira disse...

Boa Noite amigo João Soares,

Não podia deixar de comentar este seu texto que é dedicado à minha mãe e ao seu empenho, neste caso no Limpar Portugal, mas que no geral é muito abrangente.
Aposto que está já também no Apoio às Vítimas do Haiti.
Já vi no Facebook, ela está em todas as causas.

Não há dúvida alguma do que nos diz no seu sempre perfeito texto.

Para lhe dar um exemplo concreto, de um país rico e desenvolvido como o que habito, a Suíça, aqui raramente se compram móveis novos, eu nunca comprei.
Há lojas que vendem móveis usados ao preço da chuva.
Falo de móveis, mas há de tudo, tudo o que possa imaginar, excepto alimentos.
Não pensem os leitores que são só os pobres coitados que compram os usados, não.
Trabalhei em hotéis onde tudo era em segunda e terceira mão. É que o lixo na Suíça é exportado e paga-se muito caro deitar fora.
Aqui, não há tanta preocupação com as roupas que se vestem. Ela tem que ser confortável e quente agora, mas há menos vaidades, menos exibicionismo.
A excepção são os carros, infelizmente troca-se de carro como quem troca de camisa, mas vendem-se muitos carros usados, 80% das vendas são se carros usados e só em Zurique se vêm as bombas, que geralmente são de estrangeiros.
Aqui vive Michael Shomaker, por exemplo.

Este é assunto que dava para ficar a conversar horas.

Obrigado por ser tão gentil com a minha Mãe, eu sei que ela merece, mas eu não posso deixar de me sentir muito orgulhoso por ela.

Um abraço
Pedro Ferreira

A. João Soares disse...

Amigo Pedro,

Tenho muita admiração pelos laços afectivos que unem a sua família. Não há muitas assim, infelizmente. A sociedade e toda a humanidade ganhava muito se seguisse o vosso exemplo.
Quanto ao tema deste post, agradeço o que nos conta sobre a Suíça. Gente de um país rico que dá valor ao dinheiro e não o desbarata com ostentações pouco racionais.
Mas, de uma forma geral os construtores em vez de inovarem com vista à simplicidade e funcionalidade, fazem o contrário, procuram luxos e manifestação de ostentação encarecendo o produto sem lhe darem mais capacidade e funcionalidade, com simplicidade.
Ao contrário daquilo que conta da Suíça, aqui as pessoas gostam de dizer aos amigos que compraram
coisas de alto preço. Se alguém conta que comprou algo num saldo por preço baixo, ficam a pensar coitado, deve ganhar pouco, está mal de finanças...

Um abraço
João

ONG ALERTA disse...

Precisamos limpar a mente das pessoas pois só elas mudando teremos um mundo melhor, muita paz.

Irene Moreira disse...

João isso não é necessário só em Portugal,mas no mundo.

Em minha ultima postagem falo sobre uma postagem que li em um blog chamado VIDA e ressalto o trabalho de vocês , SEMPRE JOVENS, e claro não posso deixar de falar de minha amiga Ná.

Quero dizer que essa é uma de muitas campanhas que já passaram por aqui e vamos assim contribuindo para chegarmos a um mundo de PAZ e tranquilidade.

Beijos

Fernanda disse...

Querida amiga Irene,

Peço desculpa ao meu querido amigo João por estar a comentar o que tu dizes.
Sei que ele me entende, pois mencionas o meu nome.

Minha boa amiga, eu li o teu post e já o comentei. Tenho imenso orgulho em ti e nos teus propósitos, para os quais desejo a maior sorte do mundo, tu mereces.

Nós por cá (TODOS) vamos fazendo o que podemos para fazer deste Mundo um lugar melhor...lutamos contra a maré.

Obrigada amiga e muitos beijinhos,