23/01/2010

O Crucifixo do Haiti

Desde que vi esta imagem pela TV me impressionei, meus amigos!
Emocionada com os olhos marejados pois, encontrei uma linda explicação para este fato. Deixo aqui para que experimentem esta emoção!
"Crucifixo da Igreja Sacre Coeur duTugeau", no Haiti, imagem exibida pelo Fantástico. O templo sagrado desabou matando várias pessoas e restou aquele "Crucifixo", quase intacto, grande, erguido, exposto aos olhares dos que banham de lágrimas as noites haitianas.As pessoas param em frente a ele, choram e rezam.Esta imagem provoca o ser pensante...Por que foi assim? Por que aquele Crucifixo resistiu ao equivalente a 30 bombas nucleares como a de Hiroshima?E Cristo ficou ali.Parece ser aquela Sexta-Feira Santa, em Jerusalém, no alto do Calvário.Pus-me a pensar e contemplar a chocante cena. Abri as Sagradas Escrituras e pus-me a ouviro Senhor, disse Padre Francisco. O Filho do Homem permaneceu naquele lugar, representado pela imagem, para dizer aos sofredores haitianos que eles não estão sozinhos. Jesus Cristo está crucificado com eles e eles com Cristo. “Suas dores são minhas dores; suas lágrimas são minhas lágrimas; seu sangue é o meu sangue. Estou na cruz despido, como vocês que agora se encontram despidos de tantos bens.” Como disse o Profeta Isaías: “a verdade é que ele tomava sobre si nossas enfermidades e sofria, ele mesmo, nossas dores” (Is 53,4).Os braços do Filho de Deus permaneceram abertos em Porto Príncipe para acolher o clamorde homens e mulheres transpassados pela lança da destruição, da fome, da sede, da perda deesperanças. O lado aberto do Cordeiro de Deus ficou ali, às margens da rua destruída, para dardescanso e consolo aos que ainda gritam por socorro debaixo dos escombros de uma cidade cujoconcreto tombou sobre vidas cheias de sonhos. “Vinde a mim todos vós que estais cansados efatigados sob o peso dos vossos fardos e eu vos darei descanso” (Mt 11,28). O Crucificado resistiuàs forças cósmicas para dar refúgio e abrigo aos que vagueiam pelas ruas sem destino.O Crucifixo do Haiti foi mais forte que o terremoto para manter viva na mente e coração dosque por aquela rua passarem a boa notícia: “prova de amor maior não há, que doar a vida peloirmão” (Jo 15,13). Ali ficou uma imagem sagrada feita de matéria, porém, ao seu lado, ficaram oscorpos de homens e mulheres, que viveram até o fim o Mandamento Novo. Eles foram imagensvivas do Bom Pastor que dá a vida por suas ovelhas. Trata-se da Dra. Zilda Arns e quinzesacerdotes presentes naquela igreja no momento da tragédia. Eles estavam juntos porque queriam amar intensamente as crianças daquela nação que esperavam por vida e vida em abundância.O Crucifixo do Haiti permanece erguido e o Espírito de Deus fala aos corações das pessoasde bem que salvam aquela sofrida gente. “Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; ... Todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!” (Mt 25, 35-36.40).O Crucificado ressuscitou e enviou do Pai o Espírito Santo renovando todas as coisas. Eleficou naquela destruída rua para dizer: “Coragem, eu venci o mundo” (Jo 16,33). Em meio ao caos da maior tragédia enfrentada pela ONU, há esperança, a luz dissipa as trevas em cada pessoa resgatada com vida, e em cada criança amparada. E o brilho volta a resplandecer nos olhos que agora choram os mortos. É a força criativa e reconstrutora do Amor estampada no Crucificado do Haiti.Padre Francisco Agamenilton DamascenaVice-reitor do Seminário Diocesano São JoséUruaçu - GO
João, me desculpe ocupar o espaço do SJ para mais esta manifestação!

8 comentários:

direitinho disse...

Não vi a notícia. Li agora aqui o acontecimento.
Parece-me deslumbrante olhar essa cruz no meio dos escombros.
O paralelo parece ajustado, mas Deus é que sabe o porquê de tudo isto

Ana Martins disse...

Amiga Celle,
penso tal e qual como o Direitinho, há acontecimentos para os quais não encontramos explicações, mas nada acontece por acaso!

Beijinhos,
Ana Martins

Luis disse...

Querida Celle,
Como nada acontece por acaso este facto poderá ser para mostrar ao povo haitiano, e não só, que deve ter fé e que o País ressurgirá das cinzas se Nele acreditarem! É uma Luz a iluminar a noite trágica que caiu sobre o Haiti!
Um beijinho solidário.

Fernanda disse...

Querida Maninha Celle,

Está já é a terceira vez que tento comentar, sem sucesso.
Temo que o meu computador tenha alguém problema, nunca esteve tão lento e os comentários não entram.

Minha querida, acredito no que diz, mas essa bela imagem só alimenta a alma.

Agora esse malfadado povo precisa de mais, muito mais.
Precisa de todos nós, de todo o tipo de ajuda, nós podemos fazê-lo, pela Ami, Cruz Vermelha, todos temos que ajudar agora e SEMPRE.

Eu não consigo deixar de chorar quando penso nas imagens que já vi e não consigo engolir nada quando à hora das refeições assisto a mais imagens terríficas.

Agora temo pelas crianças que estão a ser levadas. Tenho tanto medo que caiam nas mãos erradas.

Chorem-se os mortos e tratam-se os vivos, JÁ!

Beijinhos

Irene Moreira disse...

Celle

Não ploderias escolher melhor local para postar essa notícia que é um milagre ... temos todos que nos unirmos e orar por esse povo.

Beijos

A. João Soares disse...

Querida Celle,

Estava a evitar fazer um comentário para não chocar ninguém, mas tenho sido bombardeado com e-mails sobre este caso e não posso evitar dizer o que penso.

As religiões existem desde os primeiros dias da humanidade. Já o escrevi aqui diversas vezes como, por exemplo, Páscoa. Religiões. Reflexões.

Os milagres seriam uma desobediência de Deus às suas próprias criações, às leis da Natureza, por ele criada!

O caso do crucifixo mostra que um povo sem cultura constrói as suas casas de forma precária mas gasta as economias na construção de símbolos usando materiais e rigor técnico que os tornam resistentes a sismos.

É uma ofensa a Deus, pai amantíssimo, aceitar que defendeu um crucifixo mas deixou morrer tantos dos seus amados filhos. Não aplaudo esta propaganda que ofende Deus, a sua infinita justiça, bondade e misericórdia, o seu grande amor por todos os seus filhos.

É um mau aproveitamento, por gente fanática mas que não pensa, do facto de o símbolo ter resistido ao sismo.

Tudo foi um problema da Natureza, da constituição do globo terrestre e, se tanta gente morreu e ficou sem casa, não foi por distracção ou má vontade de Deus.

Espero que a amiga Celle compreenda aquilo que escrevi, mas a Deus o que é de Deus e à Natureza o que a ela pertence.

Beijos
João

Celle disse...

Caros colegas e visitantes,
obrigada pelos comentários aqui deixados, sempre bem recebidos!
Ao João, um querido e bom amigo, também respeito seu ponto de vista e lamento ter lhe provocado um bombardeio de e-mails. Penitencio-me por não haver me expressado bem deixando-lhe a impressão de divulgar um milagre.Desejava apenas demonstrar minha emoção,diante aquela foto, vendo entre os escombros aquele santo homem, de braços abertos, como a proteger e acolher sob seus braços, aquele povo sofrido e desamparado, como a dizer-lhe: Coragem, eu vencí. Também serão felizes, virão novos tempos e uma era de liberdade plena e de progresso virá!!!
Esta a emoção que tentei passar...
Agora é hora de ação, de solidariedade, de todas as maneiras possíveis, inclusive orações.
Nossos paises lá estão a prestarem as mais diversas formas de ajuda e tantos outros.
O meu, nosso exército, muito antes desta tragédia alí se encontrava a colaborar. Mais de 20 brasileiros, já encontrados, ali perderam a vida, entre militares e civís.
É muito triste...

Beijinhos da irmã brasileira,
Celle

Maria Elvira Bento disse...

Curiosamente, também vi (como milhões em todo o mundo) o Cristo na Cruz, emergindo nos destroços da Igreja de Porto Príncipe. Fiquei parada nos pensamentos já que é difícil ao ser humano ver, desde o dia 13, imagens que transmitem tanta dor, tanta impotência, tanta aflição numa luta desigual de um povo sofrido com a Natureza.

Ainda hoje penso na imagem. Nos pedaços de caos aos pés de Cristo, num país mutilado. E, confesso, apesar de Cristo ser para mim a minha vida.Tudo.Visualizo a imagem e as perguntas ficam sem resposta. Gostei de ler o artigo. Muito. Sempre Jovens é um blogue de coração. Um abraço