30/01/2010

Golfe e as suas potencialidades

Golfe, desporto caro, negócio rentável e que exige bons técnicos em vários sectores.


Há dias reenviei uma mensagem que ironizava com a notícia de um Mestrado em Gestão e Manutenção de Campos de Golfe. Felizmente, há pessoas atentas e sabedoras dos assuntos, que, na oportunidade, não ficam caladas como a maioria silenciosa, antes emitem esclarecimentos que servem para reduzir o grau de ignorância dos que se deixam arrastar por tais cadeias de reenvios.
Assim, o meu amigo Fernando Vouga, enviou-me este e-mail que reproduzo com a melhor das intenções.

Como praticante assíduo da modalidade, sei que essa matéria abrange vários aspectos (desportivos, "agrícolas", paisagísticos, urbanísticos, comerciais, financeiros, etc.) e tem muito que se lhe diga. Só a manutenção dos relvados é um quebra-cabeças muito caro.

Sinceramente, vejo vantagem em haver profissionais muito qualificados.
O golfe é um desporto em grande expansão e que envolve muitos milhões. Só para fazer uma ideia, para se jogar paga-se cerca de 90€, fora outras alcavalas. Um turista poupado, num dia de jogo, fica "aliviado" em cerca de 200€ ou mais (refeições, bebidas, aluguer de carrinhos e tacos, compras no "shop", etc.). E não podemos esquecer o que desembolsa nos hotéis e restaurantes durante os dias que passa no local.

Fica aqui este esclarecimento para todos passarmos a olhar para esta actividade complexa que pode contribuir para o desenvolvimento de uma região e para captação de divisas trazidas pelos turistas.

Muito obrigado amigo Vouga

5 comentários:

Luis disse...

Caro João,
Compreendo a explicação do Amigo Vouga. Na realidade devemos ter gente que saiba do seu oficio mas lá ver se dentro de pouco tempo não vamos ter mestres nesse oficio desempregados e sem saberem o que fazer...
O problema do nosso ensino e não só é fazerem-se as coisas tipo "band aid", sem se pensar antes de se decidir!
Um abraço amigo.

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Estou muito cansada, mas muito feliz.
Obrigada por me dar provas constantes de amizade.

Amanhã comento os textos dos colegas todos.
Terei mais tempo.

Hoje andei a entregar cartazes Limpar Portugal, de manhã e de tarde fui a Viana buscar mais.

Quem trabalha por gosto não cansa...e estou feliz, está tudo a correr muito bem, mas já não dá mais por hoje.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Amigo Luís,

Trata-se de uma actividade que, do ponto de vista do turismo, é muito rentável e, por isso, deve ser encarada com profissionalismo e competência. O improviso e o amadorismo devem ser ultrapassados. Recebi, por e-mail um outro comentário concordante com este, e estou à espera que o autor se «atreva» a colocá-lo aqui, mas não está habituado a comentar blogues.

Um abraço
João

A. João Soares disse...

Querida Ná,

Agradeço a sua explicação, que serve de atenuante na sentença!!!
Não se preocupe. Não é dever de ninguém colocar comentários. E o motivo da sua menor intensidade aqui deve-se a uma ocupação de tempo muito mais útil para VNC, para Portugal e para a saúde do Planeta. Receio de estar a maçar os visitantes com as minhas repetidas alusões, mas o seu trabalho na campanha LIMPAR PORTUGAL é extraordinariamente exemplar. É inexcedível. Todos os concelhos precisam de ter uma pessoa assim.

Os meus aplausos, e um beijo
João

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Aqui estou eu, atrasada mas sempre presente.

Obrigada pela compreensão e por ser um fervoroso propagandista do projecto Limpar Portugal.

O Golfe é um desporto de elite, sem dúvida, e os seus campos são uma beleza que fazem as delícias dos seus praticantes.
Conheço alguns, a maioria Britânicos, como é lógico.
Se são todos rentáveis, não sei...mas sei que sendo um desporto só para gente muitíssimo endinheirada, não o considero muito democrático.
Há muito boa gente que terá eventualmente muito jeito mas falta-lhe o resto...

Beijinhos