22/01/2010

Obama leu Thomas Jefferson?

O presidente norte-americano, Barack Obama, deseja limitar a dimensão e a actividade das instituições financeiras, segundo fonte do Governo citada pelas agências internacionais.

O presidente dos EUA começou a discutir com os seus conselheiros económicos, há cerca de dois meses, a necessidade de incluir na reforma financeira algumas disposições “mais restritivas” e “específicas” sobre a limitação da dimensão e das áreas de actividade das instituições financeiras. O objectivo é o de reduzir os custos de riscos excessivos.

Como seria de esperar não lhe faltam opositores como, por exemplo, Warren Biffett. No entanto, Presidente dos EUA vai propor ao G20 que adopte o seu novo imposto sobre a banca.

Curiosamente, já em 1802, Thomas Jefferson alertava para os perigos criados pelo poder da banca.


Para ler melhor faça clic na imagem

10 comentários:

Jackeline Depp disse...

Olá amigos do Sempre Jovens!
Por favor Ná ou outra pessoa, envie-me o HTML do selo "Vamos limpar Portugal" porque não sonsegui colá-lo lá no JDM para publicá-lo junto com as informações, ok?
Abração apertado recheado de luzes e estrelinhas brilhantes!!!hehehe
Saudades!
Jackeline-Curitiba-Paraná
http://johnnydeppmadness.blogspot.com/

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Ora aqui temos boas notícias. Vamos ver se ele consegue. Os todos poderosos banqueiros "ainda lhe tiram a tosse".

Lá como cá, todas, mas todas as Empresas deviam pagar os seus impostos.
Falo pelos Clubes de futebol e Chineses e tudo.
As Empresas que devem dinheiro ao estado são obrigadas a fechar, levando cada vez mais gente para o desemprego.
Estes donos do dinheiro e os que dele usam e abusam, os que o roubam dos seus clientes, ainda recebe mais dinheiro do Estado.
É de bradar aos Céus.

Beijinhos

Fernanda disse...

Amigos Depp,

Já mandei um e-mail com as fotos.
Mandei as duas porque não sei qual pretendem.
São simples fotos copiáveis.
Obrigada pelo vosso interesse na Campanha Limpar Portugal.
Bfs.
Abraço

Pedro Ferreira disse...

Caro amigo João Soares,

Vivo, como sabe, num país de leite, queijos, chocolates e BANCOS, muitos bancos, onde todo o dinheiro (limpo ou sujo) é guardado e oriundo de todos os cantos do Mundo.
Que dizer?
Honestamente não sei que impostos são aplicáveis, mas que a Suíça se tornou num país onde até os que têm levado Portugal à miséria que se encontra, têm as suas fortunas, é um facto inegável.

Que a Suíça lhes protege o dinheiro como poucos outros países, pela sua segurança e riqueza, é outro facto, que não quer saber qual é origem do dinheiro, é outro.

No meu entender, e esclareça-me se estou errado, porque é que os Bancos uns anos dão milhões de lucro e depois entram em colapso?
Nos EUA bem como em Portugal?

Sei que o meu pai me poderia dar uma explicação plausível, nas gostava de conhecer a sua opinião.

Abraço,
Pedro

Anónimo disse...

Querida Ná
Um comentador do post limpar Portugal disse que os bancos é que limpam tudo. Realmente sacam quanto podem, fazendo-se pagar bem por quaçleuer serviço mesmo que simples.
Há uns anos inventaram o cartão multibanco que lhes permitiu reduzir as despesas com pessoal. Meteram-no nos olhos dos clientes, gratuitamente. E quando as pessoas já estavam habituadas ao seu uso e já lhes custaria deixarem de o usar começaram a cobrar anuidade. Agora querem passar a cobrar uma taxa pela sua utilização. Como as pessoas reclamaram forte, adiaram mas não deixarão de tentar novamente daqui a algum tempo.
Curiosamente, aquando a crise estava a afectar fortemente as pessoas eles gabam-se de ter lucros elevados. Com eles pagam aos administradores salários principescos e vários «prémios».
Isto é um sinal da imoralidade do País em que vivemos.
Beijos
. João

Luis disse...

Caríssimos Amigos,
Palavras sábias as de Thomas Jefferson que anteviu que o poder financeiro controla os governos, os povos e destroi os países! Essa é a razão para que as crises financeiras nos países fazem "engordar" os lucros dos bancos! Tem sido sempre assim ao longo dos tempos e razão tem Obama para querer acabar com essa hegemonia. Que tenha a força suficiente para conseguir o que pretende mas acautele-se pois "eles" tudo farão para que tal não aconteça inclusivé, se for preciso, fazer-lhe um atentado, coisa que nos EUA não é inédito!!!!
desejo-lhe a maior sorte do Mundo pois se ele conseguir levar a dele avante talvez por arrasto se consiga fazer o mesmo na Europa e por sua vez em Portugal! É de ficar muito atento a esta decisão de Obama!
Um abraço amigo.

ajoaosoares@gmail.com disse...

Caro Pedro
Faz-me uma pergunta difícil para quem não é economista nem está metido por dentro do sistema financeiro. O que lhe posso dizer não passa de um palpite.
Todo o negócio envolve uma dose de risco maior ou menor. Quanto mais lucro se ambiciona, mais se arrisca e as perdas podem ser maiores. Os bancos para obterem maiores resultados quase obrigam os clientes a pedir empréstimos e a meterem-se em grandes investimentos. Se estes falham surge o crédito mal parado. Por outro lado há créditos que são transferidos de uma instituição para outra numa cadeia por vezes extensa. Se as coisas correm mal num ponto dessa cadeia pode surgir um problema grave para todos os bancos abrangidos. A actual crise parece ter surgido por ter havido negócios de grande ousadia no financiamento do mercado imobiliário.
Os negócios bem geridos que não busquem lucros milagrosos não correm tantos riscos.
Recordo-me de um caso ocorrido por cá há cerca de uma dezena de anos, em que um economista escreveu um artigo num jornal a dizer que as acções de uma grande empresa iam ter uma grande subida e dava argumentos que convenceram muita gente a comprar, fazendo realmente subir as cotações. Quando já tinham subido bastante ele pôs à venda uma boa quantidade das acções que tinha, obtendo grandes mais valias. Toda a gente foi atrás para aproveitar o bom momento de venda e as acções iniciaram uma queda acentuada. Quando esta já era grande e se previa a subida ele comprou muito mais acções do que aquelas que tinha vendido.
Isto foi de tal forma escandaloso que os jornais disseram que a ordem dos economistas ou a CMVM (já não me recordo) lhe deu uma repreensão.
Nestes jogos de forte ambição de lucros podem ser corridos riscos. Não sei se esta explicação lhe serve de alguma coisa, mas é apenas um sentimento superficial do que se pode ter passado.
Um abraço
João

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Dizes muito bem. Ele está a correr sérios riscos. A falta de escrúpulos que os leva a sacaram o máximo de lucros também os pode levar a exercerem pressões sem limite até ao assassinato como foi feito ao John Kennedy.

Qualquer mudança levanta sempre os descontentes que viram mexer nas suas rotinas.

Oxalá este jovem presidente tenha sorte e beneficie a América livrando-a da exploração das multinacionais, dos bancos e das indústrias de guerra.

Um abraço
João

Celle disse...

Olá meu amigo João!
De volta depois de uma semana de descanso, aos poucos vou chegando e retornando às minhas atividades, novamente.
Acredita, no momento, tenho apenas,422 emails, rs... que infelizmente serão deletados, para meu pesar! !
Todos ja disseram o que também, eu penso, endosso para não repetir e como bem disse: Oxalá,Obama com sua coragem e sorte consiga minimizar essa exploração irritante,que os lucros fiquem dentro de um patamar justo, razoável e aceitável!
Beijinhos brilhantes de esperança e fé!
Celle

A. João Soares disse...

Querida Amiga Celle,
A sua presença é sempre bem vinda. Terminadas as suas férias, ficamos à espera de uma assiduidade que encha os nossos corações com palavras bonitas.
O mundo precisa que o Obama tenha êxito no controlo dos desmandos dos bancos. Oxalá consiga pôr cobro nos exageros de tais sanguessugas.

Beijos
João