21/05/2009

Lixo mental

Pelo Economista Professor João César das Neves, no jornal gratuito DESTAK 21/05/2009

Vivemos num tempo que, tendo muito cuidado com o que mete no estômago e pulmões, não dá atenção ao que mete no cérebro. A cada passo ouvimos recomendações sobre saúde, alimentação e ambiente, multiplicam-se os produtos dietéticos, actividades saudáveis, locais sem fumo.

Ao mesmo tempo todos passam horas a absorver o pior lixo mental na televisão, computador, livros e revistas. Filmes boçais, sites infames, programas idiotas, revistas escabrosas, videojogos obscenos, séries imbecis constituem a dieta intelectual dos cidadãos, tão conscientes da sua saúde física. Na ficção como nas notícias, a violência extrema, pornografia descarada, egoísmo, gula, desonestidade são produtos comuns.

Assim é inevitável a descida ao abismo espiritual a que se assiste. Sabemos bem que se não tivermos cuidado com a nutrição e não atendermos aos equilíbrios ambientais cairemos na obesidade e a poluição será avassaladora. Não admira portanto que, recusando-nos a formular orientações para o espírito, se acabe na decadência ética e estética. Isso em nome da liberdade, que rejeitamos na saúde e ambiente.

A razão da situação é clara. Os nossos avós, sem cuidado com comida, fumo e ecologia, eram moralistas intolerantes. Nós, censurando-os asperamente, corrigimo-los cuidando do corpo e libertando o espírito. Isso foi-nos fácil porque, afinal, os erros sanitários e a ditadura moral em que nos educaram não eram tão graves que nos impedissem de reagir. Os nossos netos saudáveis terão muito mais dificuldade em recuperar da porcaria intelectual em que nós os educámos.

João César das Neves - naohaalmocosgratis@fcee.ucp.pt

3 comentários:

Luis disse...

Caríssimo João,
Deve ser por isso que a mediocridade tomou o poder! Quando é que se faz uma limpeza drástica aos cerebros para que tudo volte a uma normalidade?????
Um forte abraço

A. João Soares disse...

Meu caro,
A higiene mental exige um esforço de cada um de nós, para evitarmos contaminações ou, por outro lado, limpezas forçadas tipo acção psicológioca e lavagem ao cérebro como a publicidade governamental está a fazer com algum sucesso. Olha o caso do Leandro/Bernardo que deve ter sido contaminado por esse mal e, depois, foi encarregado de contaminar os outros, mas só consegue com eivar os mais débeis!!!
Caro Luís,
A vida observada com isenção, imparcialidade e distanciamento, é uma fonte inesgotável de lições sobre o género humano. É bom procurarmos compreender o que faz mover certas pessoas e porque agem de certa maneira perante uma dada situação. Fica tudo tão claro...
Um abraço
João

Fernanda Ferreira disse...

Caros Amigos,

Digamos que eu já herdei algum lixo, mas nada disto...

Sinceramente creio que vão ser necessárias gerações para repor os justos e necessários valores que devem reger a vida dos seres humanos, os nossos netos e bisnetos ainda irão sofrer as consequências de todo o lixo intelectual que lhes vai sendo passado desde o berço, fundamentalmente pelas vias de comunicação ... sem dúvida.

Bjs
Fernanda Ferreira