08/06/2010

Criança estimulada e apoiada sobressai

Por várias vezes têm sido aqui exaltados casos exemplares de gente jovem, por se tratar de uma luz de esperança quanto ao Portugal de amanhã. Entre as camadas etárias mais jovens existem valores que devem se devidamente apoiados e estimulados para efectuarem a indispensável ruptura com o marasmo que nos tem molestado e criarem estruturas modernas de progresso, para felicidade das pessoas, toda a sociedade.

Transcreve-se o artigo seguinte que merece cuidada meditação principalmente sobre a actuação dos pais e da professora.

Jornal de Notícias. 08-06-2010. Por Eduardo Pinto

Um texto escrito na aula teve o elogio da professora. Um estímulo que culminou com publicação de um livro.

Tudo começou com uma história escrita numa ficha de avaliação. Mafalda Dinis tinha 7 anos. Chamava--se "Eu sou um palhaço". A professora Cátia Carvalho gostou e leu-a à turma. De então para cá não parou de escrever e no sábado apresentou publicamente o seu primeiro livro: "A grande máquina do tempo", editado pela Temas Originais.

Mafalda vive em Vila Real. Foi no Dolce Vita Douro que apresentou o livro, para uma assistência que num ápice esgotou a centena de exemplares que os pais tiveram de adquirir à editora. "E mais que houvesse", realçou o pai, Sérgio Dinis.

O livro tem 60 páginas e 22 histórias, mas a que dá corpo ao título refere-se a "um grupo de cientistas loucos que juntaram peças velhas e construíram uma máquina do tempo. Viajaram para trás e encontraram iberos e romanos entre outras coisas", contou. Apesar de terem enviado os textos para várias editoras, só a Temas Originais de Coimbra é que decidiu fazer a edição.
A pequena escritora admite que a paixão pelas letras surgiu cedo. Muito por "culpa" dos escritores graúdos, "que têm muita criatividade", António Mota e Sophia de Mello Breyner.

"Escrevo no computador ou nos cadernos da escola. Quando tenho preguiça, a minha mãe é a secretária, porque eu demoro muito a escrever à mão", contou, ao JN. A mãe, Emília Dinis, confirma: "Às vezes é difícil acompanhar o raciocínio dela. Algumas ideias parecem ser avançadas para a idade. Têm sempre moral da história e que faz pensar".

Mafalda é aluna do 4.º ano no Colégio Moderno de São José, em Vila Real, e assume o seu desejo de "ser escritora" quando for grande. Já se aventurou no campo da poesia e o próximo livro poderá ser em verso. "Acho que vou conseguir. Se trabalhar, consigo", assumiu.

O pai está orgulhoso, mas, sobretudo, "satisfeito". Porque vê compensado "o bom ambiente familiar". Sérgio Dinis deixa um apelo a outros pais: "Se um filho der qualquer sinal de capacidade para determinada área deve ser acompanhado logo para o ajudar a desenvolver a sua vocação".

7 comentários:

Luis disse...

Caro João,
Sâo estas notícias que nos alegram e nos dão esperança que com mais tempo conseguiremos inverter este Faz-de-Conta em que vivemos.
Um abraço amigo.

direitinho disse...

Gostei da publicação da notícia e ainda do comentário do pai da menina.
0 É preciso estar atento e criar o bom ambiente familiar para que estes meninos cresçam e deixem sair tantas capacidades a crescer com eles.
No meio destas politicas sujas ainda aparecem estas estrelas semeando sorrisos de amor.

Saozita disse...

Caro João, é verdadeiramente importante a identificaçao precoçe de casos como este. Só que nem todas as crianças tem a sorte de,encontrar uma professora que se interesse pela criança quando surge uma situação de mérito e genialidade. Assim como pais capazes de perceber e identificar a possibilidade de ajudarem os filhos a desenvolverem as capacidades inatas por outro lado há sempre a questão económica, os pais terem ou não terem disponibilidade financeira.
Na notícia aqui exposta é de salientar o apoio da professora e o real interesse dos pais em ajudarem a filha a levar por diante a sua vocação.

Bj

Irene Moreira disse...

Caro João,
Muito importante este tema abordado e deve ser seguido por todos os pais de incentivar o dom de seus filhos.

Beijos

Ana Martins disse...

Caro João,
Ouvi a noticia desta pequenina "GRANDE" escritora e foi com alguma emoção, que recuei no tempo e revi o entusiasmo da minha professora de lingua Portuguesa a ler o meu primeiro poema à turma. O titulo tinha sido dado por ela "O TEU CORAÇÃO, AVE SEM ASAS", e pedia que escrevessemos um texto a partir do mesmo.

Acho que estes Pais estão de parabéns, pois também eles incentivam e dão a mão à filha neste sonho.

Beijinhos,
Ana Martins

Fernanda disse...

Meu querido amigo João,

Fim feliz para a Mafalda Dinis.
É óbvio que a menina tem um talento nato, mas foi bem estimulada pela professora e muito bem acompanhada pelos pais.

É louvável e muito mais casos podiam e deviam merecer a mesma atenção.

Não posso deixar passar em claro que o mesmo aconteceu à nossa Ana Martins...
que a ela não lhe faltou o apoio dos pais...
nem a vontade firme que mantém ainda viva de publicar livros de poesia...

Tem promessas que não se cumprem e nós podemos e devemos ajudar.
Todos juntos podíamos estudar uma forma de ajudar a que a nossa poetisa linda e talentosa, que recentemente ganhou mais um prémio com um poema que dedicou ao seu falecido pai, passasse da promessa da sua professora à realidade de um sonho que já tarda.

Não fiquemos só nos aplausos, deitemos mãos à obra, a nossa querida Ana merece isso de todos nós.

Beijinhos

Fernanda disse...

Amigos e leitores,

Escreverei um texto brevemente sobre o assunto aqui exposto no que se ralaciona com a nossa Ana Martins.
Gostaria muito de saber qual é o feed back e se aparece alguém que se digne publicar parte da obra extensa e belíssima da nossa poetisa Ana Martins.

Se for possível, apelo desde já aos amigos que por aqui passam e que têm livros publicados, que deixem as suas possíveis opiniões e orientações.

Obrigada.
Beijos