28/06/2010

Book - dispositivo sempre actual e útil



Não se trata de informação nova, mas convém nunca a esquecer nem desprezar. Algum dia imaginou todas estas potencialidades e as comparou com outros meios ditos mais sofisticados?

9 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Tecnologia avançada.

Hoje é meu dia de ser Simples

Quanto mais nos sintonizamos com o amor e com a intuição da Alma, mais simples se torna viver. No nível da personalidade tendemos a complicar tremendamente as coisas; porém, quando nos tornamos receptivos à orientação interior, a vida se torna simples, clara e livre do que é supérfluo.

Bom dia João.

beijooo.

Fernanda disse...

Olá amigo querido João!

Vantagens? Muitas, imensas, como são mecionados no vídeo. Poderia poupar o restinho da Amazónia que sobrará até que a ideia vigore!

Já temos leitura online, os ebooks. Li e fiz download de muitos, mas sinceramente...prefiro-o na maõ, cheirá-lo e mesmo guardá-lo como parte de uma herança/legado a deixar aos meus descendentes.

Manias!!!

Beijinhos

Luis disse...

Caro João,
É bem verdade o que é dito mas há coisas em que sou um pouco arcaico!
Nisto de leituras penso como a NÁ, dá mais jeito ter o livro na mão para se ler com mais atenção... Manias!!!
Um abraço amigo.

A. João Soares disse...

Oh Luís,

Parece que não viste o vídeo com atenção!!!
Vê novamente e repara o que nele é defendido e que coincide com a opinião da Ná.

Andas muito stressado e tens que te converter à simplicidade a que a nossa admiradora «Pelos caminhos da vida» já aderiu, e fez muito bem.
A virtude está em procurar simplificar e não o contrário-

Beijos para as duas amigas e um abraço para o Luís.
João

Rogério Pereira disse...

Caro João Soares,

Dando cumprimento à minha Missão de Avinagrar,
venho aqui declarar
mais algumas utilidades do book.

O book é também uma evidencia de superioridade por parte de quem o usa. Dá estatuto. Assim sendo, podem-se decorar metros de estantes e constituir uma bookoteca de lombadas de prestigio. Figuras públicas usam, frequentemente, os ambientes decorados com os books para serem fotografados ou entrevistados. Usam de preferencia estes dispositivos aos dispositivos electrónicos, designadamente aos computadores. Com tal opção deixam de incorrer no risco de serem divulgados como normais utilizadores de outros books, como por exemplo o facebook. Se são questionados sobre se utilizam essa outra utilidade, respondem invariavelmente que sim, fazendo rápida e significativa prova, encostando o book à sua face direita. Do outro lado e no extremo oposto, o book serve também aos marginais. É reconhecidamente útil para transportar clandestinamente a reclusos, todo o tipo de inocentes matérias (droga) ou utensílios (serras, canivetes, etc). Julgo que ainda haverá mais aplicações... O book é quase como o bacalhau que, como é sabido, tem mais de 100 maneiras de ser consumido!

A. João Soares disse...

Caro Rogério,

Uma boa achega, para enriquecer a nossa cultura. Na Livraria Bertrand em Lisboa, disseram-me, há cerca de meio século, que por vezes tinham encomendas de um metro ou mais de livros com lombadas bonitas, para ornamentar a sala de estar. Depois vim a saber que há quem encomende ao marceneiro a madeira bem talhada e mande pintar as lombadas, para igual efeito. Dá estatuto!

Durante uma temporada ouvi várias conferências de um pretenso erudito que não citava os nomes dos books mas os de autores, tornando as palestras pesadas com «abre aspas fecha aspas», «início de citação, fim de citação». Uma estopada, semelhante à dos meus posts em Do Miradouro, onde insiro vários links e transcrições!!! Admiro-me de ninguém ter ainda refilado!!!

Os livros são bons companheiros, pacientes, persistentes, que estão sempre prontos a darem-nos uma ajuda.

Um abraço
Do Mirante

Luís Coelho disse...

Olá João
Obrigado por vires para o grupo dos meus amigos e seguidores.
Conseguiste fazer o numero 150 o que me enche de muita alegria.
Desejo que te sintas em casa e que eu possa continuar a merecer a tua amizade.

Rogério Pereira disse...

Quem assim compra lombadas
Merece duas lambadas...

(Meu caro Mirante
se ama livros, tem-me à perna.
Vou dar um salto
"Do Miradouro"
...será que é alto?)

Abraço

A. João Soares disse...

Caro Rogério,

Não Esquecer o pára-quedas e verificar se está bem dobrado, para não falhar, porque a altitude é muito grande. Só de longe se pode observar sem grandes emoções, com as tropelias que ocorrem ao nível do solo, pantanoso, onde as feras andam muito assanhadas «scutando» tudo.

Abraço
João