11/06/2010

A Luz e a Vida


Toda a nossa Vida é uma procura - procuramos crescer interiormente, e para tal (uns melhor que outros), dialogamos com a Tradição e a Cultura, a Ciência e a Fisosofia, em todas as suas vertentes. A “diferença” dos homens reside aí, na intensidade e entusiasmo da busca, na vontade de se ultrapassar a si mesmo bem como na entrega de si, e sobretudo, na humildade perante o Universo e as certezas sobre o mesmo.
Deixo dois temas para reflexão.
Oxalá aqui encontrem algumas explicações e sobretudo muita paz, luz, esperança e conforto.

« Na Grécia chamam-lhe a ambrósia, na Índia o soma, os alquimistas chamam-lhe o elixir da vida imortal... Todas as culturas mencionaram a existência de uma bebida de imortalidade e dizem como prepará-la.
Na realidade, essa bebida existe na Natureza, mas, evidentemente, não é em qualquer lugar, ela só pode ser encontrada nas regiões mais subtis, mais puras, e em certos momentos particulares, como o nascer do sol.
O nascer do sol é o momento mais favorável do dia para beber essa ambrósia que o sol distribui por todo o Universo e cujas partículas são recolhidas por todas as criaturas vivas, pelos rochedos, pelas plantas, pelos animais e pelos os humanos. A verdadeira bebida da imortalidade é a luz, e ao nascer do sol vós podeis captar essa luz para com ela alimentar os vossos corpos subtis. »

Omraam Mikhael Aivanhov



« Na mitologia, a Fénix é a ave da Arábia que, periodicamente, se colocava numa fogueira de plantas aromáticas, lançava fogo a ela própria, se consumia e depois renascia das suas cinzas. Por isso é que ela se tornou o símbolo dos seres mais evoluídos que, conhecendo as leis da vida imortal, são capazes de se renovar incessantemente. Esses seres tomaram como modelo o sol.
Todos aqueles que aspiram à vida imortal, que é a verdadeira vida espiritual e não um prolongamento sem fim da vida física, devem ir junto do sol. Só o sol pode ensinar-lhes quais são os elementos que dão a imortalidade e que trabalho se pode fazer com eles. Esses elementos são três: a luz, o calor e a vida. O sol não pára de distribui-los através do espaço como expressão da luz, do calor e da vida divinos.
No dia em que compreenderdes esta verdade e vos preparardes para assistir ao nascer do sol como um acontecimento que ultrapassa todos os outros bebereis o sol, alimentar-vos-eis do sol e tornar-vos-eis imortais, porque sabereis renovar-vos. »

Omraam Mikhael Aivanhov

Na casa do Rau

10 comentários:

A. João Soares disse...

Querida Ná,

Espero que esteja a compreender o benefício que colho por me levantar sempre muito cedo, normalmente antes de o sol nascer!!!

Tenho andado atarefado com posts complexos que ocupam muito tempo, mas li algures que tem preocupações com o novo template do SJ. Acho-o muito bem. Mas há um problema que se deve apenas ao Firefox que não deixa ver a imagem do cimo da homepage.
Usava quase exclusivamente o Firefox, mas agora pu-lo de lado e vou contar porquê. Sem eu perceber porquê, deixou de me mostrar a leitura dos contadores de visitas de dois dos meus blogs. Algum tempo depois não me mostrava imagens de alguns posts.Voltei a usar, pos vezes, os outros dois browsers que tenho instalados. Por fim o firefox deixou de mostrar os botões de formatação da criação de posts e da sua edição. A respectiva barra, por cima da janela está totalmente limpa. Sem isso é difícil trabalhar num blog, pelo que, agora, o meu browser predefinido é o Google Chrome. Só quando este falhar, voltarei ao firefox começando por o desinstalar e reinstalar novamente.
Provavelmente, o que acontece consigo em relação ao SJ é apenas isso.

Beijos
João
Do Miradouro

Carmo disse...

Ná, muito interessante estes textos para reflexão. Nunca é demais debruçarmo-nos sobre estes e outros temas que teu blogue dá a conhecer.
beijinhos e bom fim de semana

direitinho disse...

Conhecendo ou não estes textos existe no interior de cada pessoa essa força que puxa para crescer e aprender sempre mais interiormente.
Por vezes aprendemos com coisas tão simples e evidentes....
Dá para meditar neste fim de semana.

Fernanda disse...

Querido amigo João,

É exactamente isso.
Estou também só a trabalhar com o Google.

Deitar cedo e cedo erguer...
Faz muito bem.
Ontem deitei-me um bocadinho tarde, mas hoje estava a pé às 7;30
Já vi muitas vezes o pôr do sol e muito poucas a sol nascente.
Hei-se tentar fazê-lo mais vezes.

Beijinhos

Pérola disse...

Maravilhoso,tua postagem gerou uma brisa de sabedoria e de positivismo,ameiiiiiiiiiiiiiiii
Obrigado pela visita amada.
Beijokas.

Joéliton dos Santos disse...

Lindoooo

Tenha um ótimo final de semana!
Abraços.

Luis disse...

Querida Amiga NÁ,
Eu não tenho qualquer problema quer com o Google quer com o Firefox, portanto deve ser dos vossos software's. Talvez desinstalando e reinstalando o Firefox resolvam o problema. A nova face do Blogue está linda, Parabéns!
Quanto ao Sol eu tenho-o visto nascer algumas vezes, sempre que faço directas e talvez por isso mesmo não me sinto nada cansado quando o faço...
Sempre gostei de ver o Sol nascer é realmente um sinal de Vida. Já o pôr do Sol sendo bonito é triste!
Um beijinho amigo.

Fernanda disse...

Obrigada a todos pelos vossos gentis comentários.

Beijinhos e votos de um bom Domingo.

Na casa do Rau

A. João Soares disse...

A T E N Ç Ã O

O REPETIDO DESAPARECIMENTO DE IMAGENS NOS POSTS DESTA COLABORADORA DEVE-SE, PROVAVELMENTE, A UM «LAPSO» DELA.
Pedimos paciência aos amigos visitantes.

Cumprimentos
João

Zélia Chamusca disse...

Ná, grata pela postagem deste importante texto de Omraam Mikhael Aivanhov.
Li quase todas as obras deste autor e tenho e li este artigo numa das suas úlimas obras. Tenho a obra. Mas não aqui. Estou fora. Se estivesse na minha residência iria buscá-la para reler mais.
Tal como Jean Paul Sartre me marcou, este autor, bastante diferente filosóficamente e em modus vivendi, marcaram-me. Aquele, pela responsabilização que imprime ao ser humano face à vida e ao mundo; este, Omraam Mikhael Aivanhov, pelo incentivo à vida no caminho do amor e do bem.
Muita luz para si,
ZCH