12/06/2010

Ainda se vive assim por aí

Apesar (ou talvez por isso) dos lindos discursos e atractivas promessas surgidos a qualquer momento sob qualquer pretexto, apesar de os deputados perderem imensas horas a fazer inquéritos de resultados inúteis que parecem simples masturbações intelectuais de quem não encontra capacidade para algo de útil em benefício do povo sofredor, deparamos com notícias como a que se transcreve:

Jornal de Notícias 12-06-2010. Marta Neves

Sete famílias partilham fossa e vivem em casas rodeadas por matagal.

Os moradores de um pequeno bairro de Mafamude, no centro de Gaia, vivem há mais de 70 anos sem saneamento nem casas de banho. As águas de uso doméstico passam-lhes rente à porta e as casas são circundadas por um matagal cheio de ratos e cobras. Apesar deste cenário, recusaram ser realojados noutra freguesia.

Sérgio Freitas, 70 anos, a viver na Rua do Casal, em Gaia, desde que nasceu, sente-se "abandonado". À porta de casa as silvas crescem desenfreadas e "ainda há pouco tempo" teve de matar uma cobra, "com mais de metro e meio, que andava a rondar as portas". "Já para não falar nas ratazanas", desabafou, ao JN, o morador, preocupado com o facto de ali, no bairro da antiga Quinta do Casal, "viverem crianças". Ao todo, são sete as famílias a viver sem condições.

Todas as pequenas habitações da artéria, sem saída, são circundadas por um extenso matagal. "Em tempos diziam que os terrenos eram da Real Vinícola, mas que depois passaram para a Caixa Geral de Depósitos. O certo é ninguém liga nenhuma", criticou Belmira Silva, 74 anos, que improvisou uma tábua à porta de casa, com "medo" que entrem bichos.

As famílias queixam-se do mesmo e como nenhuma tem saneamento são obrigadas a partilhar uma única fossa, enquanto as águas de uso doméstico (das bancas e das máquinas de lavar) correm ao ar livre, rua abaixo, em direcção a um campo.

"Já não é tempo de viver assim", afirmou Maria Eufémia, 73 anos, que cada vez que precisa de tomar banho tem de atravessar a rua e ir à casa da irmã. Aliás, ninguém na Rua do Casal tem casa de banho, improvisando a higiene do dia-a-dia em bacias.

"Instalei um pequeno cilindro lá em casa, mas não sei se os restantes vizinhos têm a mesma sorte", disse Sérgio Freitas.

Imagem da Internet

6 comentários:

J.Ferreira disse...

Isto é em Portugal?
Então há dinheiro para as "estradas" de fibra óptica, Tv em HD e já próximo em 3D, TGV, mais travessias sobre o Tejo.
E na "provincia" ou seja fora da "Capital" ainda há terras sem saneamento básico e algumas aldeias nem electricidade têm.
Portugal em que século está?
Tema bem oportuno.
Abraço do
JF

Luis disse...

Caríssimos Amigos,
É por estas e por outras do mesmo estilo que há desertificação do interior!!!
Gasta-se onde é supérfluo e não se dá atenção ao necessário...
Um abraço amigo e solidário.

Ana Martins disse...

Caro João,
sabe que o dinheiro é pouco para passeatas, almoços e jantares e outras coisas mais que o país precisa com mais urgência, estas famílias que se aguentem um pouquinho mais... Afinal é tudo uma questão de hábito!!!!!

VERGONHOSO, INACEITÁVEL, mas enfim!

Beijinhos,
Ana Martins

Ave Sem Asas

A. João Soares disse...

Caros José Ferreira e Luís,

Casos como este demonstram o egoísmo, a ambição pessoal de riqueza dos políticos, a arrogância, condimentados pela falta de sentido da responsabilidade, da honra, da dedicação ao País, ao desempenho da missão que voluntariamente assumiram. Uns canalhas.
Enquanto há famílias a sofreram tais incomodidades e carências, vejam-se as listas de milionários que se fizeram à custa da exploração descarada do dinheiro dos impostos que nos sacaram. NÃO PODEMOS ACREDITAR NOS DISCURSOS DOS PULHAS. As suas palavras são falsas. Servem apenas para nos anestesiar o nosso sentido de revolta.
É pena que o PM desvalorize os tímidos apupos que lhe dirigem. Devia interpretá-los como avisos, alertas de que o povo começa a estar farto de sofrer e inicia a sua reacção que irá crescer.

Abraços
João
Do Miradouro

Fernanda disse...

Amigo João,

Esta é mais uma prova evidente de que a para além de Lisboa e muito principalmente das contas bancárias de quem nos (des)governa, nos rouba a olhos vistos, tido o resto é paisagem.

Portugal desertificado??? onde!!! é tudo mentira!!!
Só alguns é que "inventam" estas situações para desacreditar o Governo....

Tenha um bom Domingo meu querido amigo.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

E o povo ainda deixa. Há tantos homicídios por esse país e ninguém acerta nos piores inimigos do dinheiro público!!!~Eles aprenderiam depressa a mudar de rumo.

Beijos
João
Do Miradouro