13/06/2010

OLHA O SOL!...

Imagem da net


Olha o Sol, o seu clamor
Num desmaio de brilho pretenso
E lembra-te que não é na cor
Que nasce o sentimento...

Olha o Sol, assim sem pudor,
Sente-se livre claramente
E percebe que não é na cor
Que se enraíza o que se sente...

Olha o Sol sem fulgor
Nem sempre ele é igual
Há dias em que a sua cor
É pálida e intemporal...

Olha o Sol, no seu torpor
Tem um encanto diferente,
Ele pode não ter cor
Mas é Sol eternamente!




22/01/2010

6 comentários:

Marliborges disse...

Que lindo Ana! Amei!!!! bjs

Luis disse...

Minha Querida Amiga Ana,
Lindo poema onde o Sol é a Estrela! O Sol é Vida, é Luz, enfim é Vida pois sem ele nada seríamos!
Adorei!
Um beijinho amigo e soalheiro.

Adelaide disse...

Querida Ana,
Lindo poema. Graças ao sol, estamos vivos.

Beijinhos
Mara

A. João Soares disse...

Querida Ana,

Belíssimo poema. Como sempre, dentro dele lê-se um extenso manual de ética. A cor pouco interessa (excepto a das loiras das anedotas!) pois ela é secundária na análise das pessoas, sejam escuras ou albinas, sejam de esquerda ou de direita, sejam do Dragão, do Leão ou da Águia. Cada pessoa vale pelo conteúdo da sua cabeça, do seu saber, dos seus sentimentos.

A cor é apenas um ornamento, por vezes ilusório e enganador, um dos aspectos do ter que obnubila o real valor das pessoas e das coisas. O SOL, quer brilhante ou ofuscante, amarelo, encarnado ou pardo, anima-nos e dá-nos vida, emitindo as suas radiações a sua força interior, puxa a Terra, com a sua trela inquebrável da atracção para que ela não se desvie da rota, da trajectória. A cor, as cores são bonitas, necessárias, mas não são o essencial, o íntimo invisível e não mensurável. Não discriminemos pela cor!

Beijos
João
Do Miradouro

Fernanda disse...

Minha querida amiga Ana,

O sol, essa estrela que faz tudo brilhar e que eu não dispenso.
Que belo poema!

Parabéns amiga.
Beijos e bom Doingo.

Na casa do Rau

Irene Moreira disse...

Ana
Muito lindo - Sol é a nossa estrela, nossa vida, nosso dia.

Beijose boa semana