17/02/2010

A oração!!!













Certa vez, recebi um e-mail, cuja mensagem contava a história de um homem,
cujo "hobby" era plantar árvores no enorme quintal de sua casa.
O que mais chamava a atenção, entretanto, era o fato de que ele poucas vezes
regava as mudas que plantava.
Suas árvores demoravam a crescer..
Certo dia, aproximaram-se dele e perguntaram se ele não tinha receio
de que suas árvores nunca desenvolvessem, pois, percebiam que ele nunca as regava.
Foi quando, com um ar orgulhoso, ele descreveu sua fantástica teoria:
que se regasse suas plantas, as raízes se acomodariam na superfície e ficariam sempre esperando pela água mais fácil, vinda de cima.
Como ele não as regava, as árvores demorariam mais para crescer, mas suas raízes
tenderiam a migrar para o fundo, em busca da água e das várias fontes nutrientes
encontradas nas camadas mais inferiores do solo.
O tempo passou!
O homem conseguiu realizar seu sonho!
As arvores cresceram e ficaram sólidas, fortes e bonitas, praticamente não se moviam, resistindo aos implacaveis ventos e geadas que assolavam aquela região.
As adversidades pela qual aquelas árvores tinham passado, tendo sido privadas de água, pareciam tê-las beneficiado de um modo tal que, o conforto do tratamento mais fácil, jamais conseguiria...
Todas as noites, antes de ir me deitar, sempre dava uma olhada em nossos filhos.
Debruçava-me sobre eles beijava cada um no rosto, ajeitava-lhes as cobertas, observava como estavam crescendo, enquanto, pedia á Deus saúde e proteção para eles.
Na maioria das vezes, pedia para que suas vidas fossem fáceis:
"Meu Deus, livre meus filhos de todas as dificuldades e agressões desse mundo"...
Entretanto, após aquele e-mail, pensei que estava na hora de alterar minhas orações.
Essa mudança tem a ver com o fato de que é inevitável que os ventos gelados e fortes nos atinjam e aos nossos filhos.
Sei que eles encontrarão inúmeros problemas e que, portanto, minhas orações para que as dificuldades não ocorressem, eram ingênuas demais.
Sempre haverá uma tempestade, ocorrendo em algum lugar.
Mudei então, minhas orações...
Fiz isso porque, quer nós queiramos ou não, a vida não é muito fácil.
Ao contrário do que fazia, passei a orar para que nossos filhos e netos crescessem com raízes profundas, de tal forma que eles possam retirar energia das melhores fontes, das mais divinas, que se encontram nos locais mais remotos...
De tal modo que, quando as tempestades chegarem e os ventos gelados soprarem, resistam bravamente, ao invés de serem subjugados e varridos para longe...
Assim oro hoje!

6 comentários:

Jackeline Depp disse...

Olá queridos amigos, tenho um selinho especial pra vocês lá no Blog JDM!!!
Muito linda a postagem!!!
Beijinho colorido!!!
Jackeline-Curitiba-Paraná
http://johnnydeppmadness.blogspot.com/

direitinho disse...

Gostei desta reflexão. Fez um paralelo perfeito entre uma árvore bem enraizada e uma alma bem formada.
Hoje, penso que serão necessários todos os cuidados e mais ainda.
A nossa oração pode ser bonita e ser perfeita, eles poderão ganhar boas raízes e resistir aos temporais, mas hoje facilmente se perdem e até se esquecem que Deus existe.
Tem tudo o que precisam.........
Oração sim e cada dia mais, pois só Deus poderá fazer o milagre da vida deixando-os crescer com boas raízes

Luis disse...

Querida Celle,
Gostei imenso do seu post e dos pensamentos aí revelados.
Tem graça que penso assim mesmo, pois a comodidade trás consigo vicios irreparáveis para a Vida!
Vou roubá-lo para a Tulha...
Um beijinho muito amigo.

Fernanda disse...

Querida amiga Celle,

Maninha!

Muito bem comparado, sem dúvida.
A nossa juventude está meia perdida porque tudo lhe foi facilitado, porque foram e são demasiados protegidos.
A vida ensina muito, e só se aprende com os erros e à nossa própria custa.
Ganhar raízes profundas e tornar-se numa pessoa com carácter sólido e bem formado, exige algum sacrifício do próprio e de quem educa.

Parabéns pelo post.

Beijinhos

Ana Martins disse...

Amiga Celle,
este é pois um post maravilhoso, obrigada por me proporcionar o prazer de o ler.

Beijinhos,
Ana Martins

A. João Soares disse...

Querida Celle,

Embora já conhecesse este texto, gostei de o reler. As conclusões estão bem tiradas.
Hoje as crianças estão a ser mal preparadas para a vida, porque os pais não as acompanham o suficiente e da melhor forma, não as ensinam a analisar e resolver os problemas. Para compensar esse abandono, julgam que devem resolver-lhes todas as dificuldades e satisfazerem todos os caprichos, mesmo oe mais disparatados. Há uma espécie de chantagem de ambos os lados. E as crianças não se tornam adultos preparados e responsáveis.
Devia seguir-se de certo modo o que fazem os animais na selva: as mães não poupam carinho e apoio aos fin
lhos durante a aleitação e na aprendizagem da caça e da procura da experiência. Logo que entram da adolecência, empurram-nos para longe para fazerem a sua vida e até os impedem de se encostar à família. Vão ginasticar os músculos do corpo e do espírito para ficarem fortes como as árvores da história aqui contada.

Beijos
João