26/03/2010

Portugal diferente da Grécia

Transcrição do blog quarta república:

Enorme satisfação V

Acabaram de me explicar a verdadeira diferença entre a situação de Portugal e a da Grécia:
"O Governo Grego aldrabou os gregos, os mercados e a Comissão Europeia. O Governo Português ainda só aldrabou os portugueses!"

Publicado por Vítor Reis em 25-03-10

NOTA: Esta graça confirma a afirmação de Almada Negreiros (citada de memória): "Um povo é composto de qualidades e defeitos. Coragem portugueses, já só faltam as qualidades"

7 comentários:

Pérola disse...

Oi amigaaaaaaaaaaaa.
Ñ tem nada de confusão ñ.
É q cheguei agora, portanto só agora pude aceitar os comentários nesse momento.
É logico amiga q sei q vc ñ seria capaz de deletar um comentário meu,eu magoei é uma expressão boba q usamos para descontarir.
As vezes ao comentar ñ foi de primeira, isso já aconteceu com alguns amigos meus também.
Eu só disse p/q tu soubesses q eu já havia te visitado.
É ruim de deixar abalar minhas amizades por tão pouca coisa,ainda mais com vc.
Linda noite maravilhoooooooosa.
beijokas.

Ana Martins disse...

Caro amigo João,
acredite que não podia concordar mais com esta afirmação. Mas talvez já não falte muito tempo para que entre portugal e a Grécia já não haja nenhuma diferença.

Beijinhos,
Ana Martins

A. João Soares disse...

Cara Ana,

Para nosso mal poderá ter razão. Gosto de ter optimismo, mas não quero ser cego ou lunático!

Beijos
João

Luis disse...

Caro João,
Afinal a montanha pariu um rato... "ele" está todo contente com as deliberações havidas na reunião ao mais alto nível da UE!Até portugueses poderemos que ter que ajudar a Grécia, segundo "ele" se for caso disso... Até onde pode ir a "loucura" desta "gentinha"...
Há que preparar uma nova OPERAÇÃO LIMPAR PORTUGAL mas desta vez é para limpar outro tipo de "LIXO"!!!
Um abraço amigo.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

O País tem vivido de aparência, de ostentação, de desperdício, de esbanjamento. Construiu-de um estádio de futebol no Médio Oriente, que não vai matar a fome à população local e que nos tornou mais pobres, apoia-se a incapacidade produtiva dos timorenses que têm recusado hipóteses de viverem bem (caso da Indonésia e da Austrália), dá-se a países ricos com petróleo e diamantes, como Angola, enviam-se militares para missões internacionais como se fôssemos uma grande potência, pagam-se «salários» milionários só para se contar com a corrupção conivente e cúmplice de boys, mantêm-se à custa dos contribuintes indivíduos a «trabalhar» em Lisboa com a «residência oficial» teimosamente num ponto distante do País ou do estrangeiro, etc.

Como disse, num momento de verdade, o Paulo Rangel, na política não há ÉTICA. É a confissão mais assombrosa de um político, depois de Ricardo Rodrigues ter defendido a Lei do financiamento dos partidos, porque vinha tornar legais os comportamentos ilícitos que vinham sendo usados e que davam cobertura a corrupção e lavagem de dinheiro, tudo em prejuízo dos portugueses não beneficiados pelos bandos da política.

Isto precisa de uma boa barrela que LIMPE PORTUGAL nos termos referidos pelo Padre José Maia.

Um abraço
João

J.Ferreira disse...

Caros amigos,

O povo português é calmo e sereno.
Mas até quando?
Diziam que a escravatura tinha acabado, mas já não falta muito para os que nasçam em Portugal trabalhem e morram a trabalhar.
A reforma? isso é só para "PUlíticos" e ao fim de 2 mandatos.
A juventude que estude, o desemprego a droga e banditismo espera por eles.
Mas a culpa disto é dos trabalhadores, como sempre.
Quando acabará a paciência do povo?
Veremos...

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Juro, que apesar de tudo, me ri:))
Sei bem que esta situação nada tem de cómico, mas a forma como o João o fez tem.

Meu amigo, é como dizem os comentadores anteriores e agora já não falta tudo, ou faltará????

Beijinhos