08/03/2010

Pobreza no feminino

Hoje, dia internacional da mulher, é oportuno trazer para aqui o seguinte texto, por transcrição:

Como conciliar família e emprego?
Jornal de Notícias 8 de Março de 2010, por Leonor Paiva Watson

A pobreza no feminino - tema de Março neste Ano Europeu - é preocupante. Mulheres sozinhas com os filhos ou idosas enfrentam riscos acrescidos. Medidas que conciliem trabalho e família, e programas locais de apoios sociais podem ser decisivos.

Não será de mais recordar que a taxa de pobreza para as famílias monoparentais portuguesas - e 90% são encabeçadas por mulheres - é de 39%; e que para as mulheres com 65 anos ou mais é de 24%, mais cinco pontos percentuais que nos homens.

Uma mulher com filhos pequenos ou grávida, por exemplo, dificilmente arranja emprego. Basicamente, não é possível falar de pobreza no feminino sem perceber que as possibilidades de entrada no mercado de trabalho são determinadas pelos modelos de vida familiar. Se à mulher cabe o trabalho doméstico e a tarefa de cuidar, não terá tanta disponibilidade laboral. Mas tudo isto poderia ser contornado.

"Devem ser criados mecanismos de conciliação da vida familiar com o emprego. As empresas poderiam adoptar um sistema de banco de horas. A mulher teria que trabalhar um certo número de horas por semana, mas poderia gerir esse tempo como bem entendesse, por forma a poder assistir à família. Ou, então, adoptar-se um regime compensatório: a mulher ausenta-se sempre que preciso, mas compensa em outra altura, não prejudicando nem a família, nem o trabalho", avançou o economista Luís Bento.

Importante seria também que as empresas tivessem creches, "geridas pelas juntas de freguesia e pelas associações de empresas", defendeu. "As associações patronais continuam alheias a isto. A Associação de Jovens Empresários deveria dar o exemplo", acrescentou. Por fim, relativamente, ainda, às mulheres mais novas, "deveria ser crime público despedir uma grávida", sugeriu.

Relativamente às mais idosas, em que o risco de pobreza é profundo, "as autarquias deveriam investir em programas de apoio social. Era menos meia dúzia de rotundas. Há autarquias que apoiam bastante os mais desfavorecidos. Deveria generalizar-se", concluiu.

14 comentários:

Pérola disse...

Engraçado né amiga,enquanto uns comemoram, outros se encontram entristecidos.
Essa distribuição de sentimentos é tão injusta.
Profunda a sua postagem.
Parabéns.
Um beijo grande.

glauce soares disse...

Não poderia deixar de visitar a minha amiga virtual que me acompanha, desejando à você parabéns pelo nosso dia internacional da mulher e dizer que somos guerreira e vitoriosa acima de tudo, um hiper beijo.

Luis disse...

Caro João,
Óptima postagem no Dia Mundial da Mulher, pois nem tudo são rosas! Há que divulgar estas situações para que se possam corrigir.
Um abraço amigo.

A. João Soares disse...

Caras comentadoras,

Apareçam mais vezes por aqui. Teremos muito prazer em apreciar as vossas opiniões.

Abraços

João

A. João Soares disse...

Amigo Luís,

É isso. Não gosto de criticar só para dizer mal. Gosto de apontar pistas possíveis para a procura de soluções. E aqui o texto indica soluções possíveis, para as grávidas, para as mães e para as idosas.

Um abraço
João

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Desculpe se tenho estado mais afastada do nosso Blog.
Já sabe o que se passa e sei que estou perdoada.

Como sempre o seu post é mais do que louvável.
Ele revela bem as múltiplas facetas da vida das mulheres dos nossos dias e as dificuldades acrescidas para que a família não seja afectada de forma drástica.

Todas as soluções que aponta seriam possíveis e bem vindas.
Todos ganharíamos com isso.

Houvesse vontade política...

Beijinhos


Celle disse...

Boa noite, meu querido João!
Na alegria vivida neste dia onde as congratulações pelo dia da mulher ainda se estendem por aqui, gostaria de pedir-lhe licença e com seu consentimento e dos demais colegas do "Sempre Jovens' deixar público nosso reconhecimento à colega Fernanda Ferreira, a Ná,que nesta data, é merecedora de uma homenagem especial, pela Mulher dinâmica, incansável e batalhadora que é. Venho acompanhando seu trabalho de longe e com o seu total apoio e dos demais colegas, podemos afirmar ja ter alcançado o objetivo a que se propoz, a conscientização da população da necessidade de cuidar do meio ambiente,de forma organizada e perene, a vitória será confirmada, no próximo dia 20 de março, que está chegando!
À Fernanda a minha, a nossa admiração, e o reconhecimento dos amigos e dos colegas do SEMPRE jOVENS!
Um grande abraço João, e meu carinho!
Celle

Ana Martins disse...

Caro João,
num dia em que se comemora o Dia da Mulher, olhar para estes tão graves problemas nos entristece e revolta, é por isso que ás vezes estes dias me parecem mais farsas.

Um post pertinente e muito oportuno, bem-Haja!

Beijinhos,
Ana Martins

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

Sei muito bem o peso que tem às costas com toda a sua missão no Limpar Portugal e com o apoio a pessoas que mal conhece mas a quem entrega toda a sua energia para as ajudar.
Ao contrário do anjo da guarda que tem um trabalho individual, a Ná exerce um esforço hercúlio no apoio a toda e qualquer pessoa que saiba estar em dificuldade.

Não aplaudo, apenas adoro religiosamente a sua acção de amor divinal a «todos os irmãos». Não é uma expressão balofa, é a minha opinião a seu respeito. Desejo que nunca lhe faltem as forças para continuar nesta missão de bem-fazer.

Beijo-lhe as mãos com muita veneração
João

A. João Soares disse...

Querida Amiga Celle,

Muito obrigado por esta sua solidariedade tão bem demonstrada pelas palavras que dirige à nossa Amiga Ná-
A Ná Ultrapassou a pequenez de um dia de elogios pois merece ser elogiada a cada dia, a cada momento. O seu comportamento concretiza esta nossa admiração, que nunca será suficientemente grande para ser justa. Disse-o no comentário anterior, com toda a seriedade, mas com a convicção de que não tenho palavras capazes de traduzir todo o valor da Ná.

Beijos
João

A. João Soares disse...

Querida Ana Martins,

Em vez de dias festivos, dias como este devem ser de homenagem a quem durante anos lutou para melhorar as condições das mulheres e, principalmente para analisar o muito que ainda há a fazer e lutar para resolver as deficiências existentes. Falta muita luta para retirar todas as «burkas» que, de muitas formas, amordaçam muitas mulheres, por todo o planeta. E quem dizer mulheres diz pessoas, porque também há muitos homens em dificuldade.
Há que nunca abrandar a luta pela justiça social e estes dias devem servir para atear o fogo da luta que é desenvolvida por pessoas dignas, de bem, com bom coração.

Beijos
João

Fernanda disse...

Querida amiga Celle,

Sem palavras...maninha você fez-me chorar, logo hoje???

Olhe minha amiga, eu não mereço nada desses louvores de que fala, agradeço emocionada, mas eu sou igual a toda a gente, igual a si, gente com coração e com dinâmica de vida orientada para o bem. Só isso.

Felizmente nesta nossa casa comungamos os mesmos sentimentos, os mesmos ideais...por isso querida retribuo todas as palavras que me dedicou, todinhas.

Beijinhos

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Por favor...já chorei "baba e ranho" com o que a mana Celle me disse, agora desfaço-me aqui como Maria Madalena.

Meu querido amigo, não me coloquem num pedestal que eu não mereço nem quero.
Eu sou a mais simples das mortais que tem o mesmo coração que todos nós aqui temos nesta casa. Sou igualzinha a cada um de vós.
Nem mais nem menos e não é falsa modéstia!!!

Beijinhos

Fernanda disse...

Querida amigo João,

Ainda falando do tema do post e do dia Internacional da Mulher, só posso dizer-lhe que estou total a cabalmente de acordo consigo.

Homens e mulheres libertem-se!!!

O que mais me doí, e doí a todos seguramente, é o facto de serem as mulheres, a maioria da população Mundial, e em nada menos inteligentes ou dotadas do que os homens, enquanto pessoas iguais mas diferentes (por isso se completam), continuarem a ser amordaçadas, escravizadas, espancadas, brutalizadas, usadas como seres inferiores na exploração sexual, vistas como objectos, etc, etc.

Felizmente a sua condição vai mudando e grandes mudanças estão à porta, com o actual nível educacional das mulheres.
Não queremos governar o Mundo, queremos ser Mulheres de pleno direito. Só isso!

Beijinhos