23/03/2010

ETNOLOGIA

Ossadas de gigantes no Norte da India!
No Norte da India foram encontrados esqueletos humanos gigantes, com 18 a 24 metros de altura. Tais gigantes estavam mencionados em antigas escrituras sem que, no entanto, se desse grande credibilidade a essas descrições.

Agora em escavações feitas pela National Geografic essas ossadas apareceram pelo que deram origem a novos estudos dessas mesmas escrituras a fim de se perceber melhor a sua origem.

Olhando para a fotografia pode-se comparar o tamanho das ossadas com o elemento humano que procede às escavações.

Os trabalhos estão a ser acompanhados por elementos das Forças Armadas Indianas visto a área ser considerada Zona Militar.

No link abaixo pode ler-se a notícia em inglês onde tudo é explicado em maior pormenor.

http://news.nationalgeographic.com/news/2007/12/071214-giant-skeleton_2.html

12 comentários:

direitinho disse...

Gosto muito de História e Ciências Naturais.
Por um lado alguns querem modificar a história mas por outro lado aparecem estas descobertas que impedem essa opção.
A história acontece todos os dias

Fernanda disse...

Querido amigo Luís,

É caso para dizer...como eu sou mini mesmo :))))

Nunca tinha ouvido falar destes esqueletos...
Assunto para historiadores e antropólogos.
Beijinhos

Pérola disse...

Nossa!!!Fiquei surpresa uauuuuuuuuuu.
Muito bacana a sua postagem.
Seu blog deveria se chamar:Fique por dentro.
Pq eu aprendo muiiiiiiiiiiiiiiiito.
Parabéns.
beijokas.

Luis disse...

Amigos,
Realmente é algo muito estranho e prova que todos os dias aprendemos.
O homem tem a mania que é senhor da verdade mas vai é descobrindo o que a História e a Natureza lhe oferecem...
Saudações muito amigas.

JADY*ALVES disse...

Interessante! A curiosidade do homem buscando conhecimentos e descobrindo os rastros da nossa História... E vamos aprendendo com eles a desvendar o misterioso passado da raça humana. Parabéns pelo belo post.
Precisando de informação e cultura Sempre Jovens é uma escola.
Beijos e carinhos da Jady

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Andamos sempre a aprender. Ninguém pode dizer que tem certezas.
Há um facto que faz pensar: amanhã ninguém pode averiguar nada de hoje. Os arqueólogos do futuro não encontram vestígios do século XX e XXI, porque se destrói tudo, com a cremação dos corpos, a destruição dos alicerces dos edifícios, a incineração dos lixos, etc. Acabaremos por não deixar testemunhos de nada. Até deixa de haver pergaminhos e papel, pois tudo é informatizado, muito volúvel, e as disquetes já não podem ser lidas e o mesmo irá acontecer aos CD e aos DVD.
Somos uma geração suicida sem deixar rastos para os historiadores.
Vale a pena pensar nisto...

Abraço
João

Celle disse...

João meu professor amigo!

Sinto uma satisfação muito grande lendo seus escritos. Sua visão das coisas é mais profunda, enxerga onde nosso olhar não alcança e depois de mostrar seu pensamento e fazer suas observações,é que percebemos que focamos e analisamos o fato por um prisma direto e reto. Lê nas entrelinhas por ser melhor observador, visualiza o que não percebemos. Perspicácia, teligencia, observação, atenção são seus dons que vão muito além da nossa medíocre capacidade.
Sua simplicidade oculta um sábio, um grande HOMEM aquele que não se deixa levar pela vaidade e soberba.
Com a oportunidade que me deu de participar do SJ, muito tenho aprendido!
Obrigada!
Gosto muito de você!!!
Ao Luis, parabenizo pelo importante post que nos trouxe. Aguçou minha curiosidade, nunca li nem ouví falar nos tais gigantes que estão sendo pesquisados as ossadas, quero acompanhar os fatos...
Beijos
Celle

A. João Soares disse...

Querida Amiga Celle,

As suas palavras são uma prova exorbitante de amizade que vão a um exagero inimaginável. Não são um prelúdio para pedir um favor pois nem precisa de mim nem eu tenho o mínimo poder de ajudar.
Como pode ver na definição da minha simplicidade, Quem sou?, só tenho curiosidade para aumentar os meus conhecimentos, procuro estar atento ao mundo e esforço-me humildemente por compreender o que me cerca.

Beijos de muito afecto
João

Celle disse...

João,sua sugestão levou-me a conhecer seu modo de viver, de ver o mundo, suas escolhas, e o Homem diferenciado, incomum, admirável que se tornou!
E... um respeitado escritor!!! Voltarei ao assunto!
Meu carinho e respeito!
Celle

A. João Soares disse...

Querida Amiga Celle.

Pelos vistos, gostou da minha redacção com o título Quem sou?. Além desta tenho uma outra redacção que traduz o apreço pela vida simples inserida na Natureza e que tem o título Um dia como os outros.
Neste espírito existe o post Dinheiro não dá felicidade e os links que contém.

E depois pense que quem se concentrou nestes temas vviu neles algo de si, dos seus pontos de vista íntimos, sinceros.

Beijos
João

Ana Martins disse...

Caro Luís,
inacreditavel mesmo, fiquei estupfacta, nunca tinha ouvido falar.

O João tem razão, quando diz que somos uma geração suicida, que destruímos tudo e não deixamos nada para os futuros historiadores, penso que é mesmo altura de começarmos a pensar nisso seriamente.

Beijinhos,
Ana Martins

Luis disse...

Caro João,
O homem vai sempre descobrindo novas formas de saber como vivemos. Antigamente era através das ossadas e das coisas que aí eram colocadas em homenagem aos mortos, hoje será pelas memórias dos computadores que encontrarem , pelos satélites que estão espalhados pelo Mundo fora, pelos instrumentos e aparelhos que encontrarem etc.,etc. Acredita que haverá sempre forma dos futuros historiadores se aperceberem dos nossos hábitos e nossas vivências.
Um abraço amigo.