20/03/2010

O pedreiro

Um velho pedreiro que construía casas estava em vias de se reformar. Informou o chefe, do seu desejo de se reformar para passar mais tempo com a sua família. Disse ainda que embora fosse sentir a falta do salário, queria realmente reformar-se.

A empresa não seria muito afectada pela saída do pedreiro, mas o chefe estava triste em ver um bom funcionário sair e pediu ao pedreiro para trabalhar em mais um projecto, como um favor.

O pedreiro não gostou mas acabou por concordar. Foi fácil ver que ele não estava entusiasmado com a ideia. Assim ele prosseguiu fazendo um trabalho de segunda qualidade e usando materiais inadequados.

Quando o pedreiro acabou, o chefe veio fazer a inspecção da casa construída Depois de inspeccioná-la, deu a chave da casa ao pedreiro e disse:

- "Esta é a sua casa. Ela é o meu presente para você".

O pedreiro ficou muito surpreendido. Que pena! Se ele soubesse que estava a construir a sua própria casa, teria feito tudo diferente....

O mesmo acontece connosco...

Nós construímos a nossa vida, um dia de cada vez, e muitas vezes fazendo menos que o melhor possível na sua construção. Depois, com surpresa, descobrimos que precisamos de viver na casa que nós construímos. Se pudéssemos fazer tudo de novo, faríamos tudo diferente. Mas não podemos voltar atrás. Tu és o pedreiro. Todos os dias martelas pregos, ajustas tábuas e constróis paredes.

Alguém já disse que: "A vida é um projecto que tu mesmo constróis". As tuas atitudes e escolhas de hoje estão a construir a "casa" em que vais morar amanhã. Portanto constrói com sabedoria!

Difunde esta história para alguém que consideras amigo de verdade.

10 comentários:

Beta disse...

É João.
Conheço este texto. E realmente tem tudo a ver com muitas pessoas né?

bj

Pérola disse...

Perfeita a sua postagem.
Um coração bom,funciona em qualquer circunstâncias,ñ se deve medir o q fazemos em troca do q recebemos é por demais lamentável.
Parabéns pela postagem.
Um beijo grande.

A. João Soares disse...

Caras Beta e Pérola,

Obrigado pela vossa visita e comentário. Trat-se de um texto antigo que passa pelo e-mail com frequência.
Desta vez decidi postá-lo porque vem enriquecer este blogue todo virado para a moralidade e o civismo. Há valores que são sempre válidos mas que andam esquecidos. A ética é indispensável numa vida honesta e dedicada.

Beijos
João

Ana Martins disse...

Caro amigo João,
é uma bela história e merece ser difundida por todos os nossos jovens.

Beijinhos,
Ana Martins

Luis disse...

Caro João,
Quando fazemos algo devemos faze-lo pelo melhor mesmo que não seja para nós. A perfeição dignifica!
Um abraço amigo.

A. João Soares disse...

Querida Ana,

Estamos de acordo. Foi para isso que aqui lhe dei publicidade.

Caro Luís,
Tens muita razão A isso se chama procura da excelência. Devemos perseguir a excelência como objectivo permanente.

Abraços
João

José disse...

Caro João,

Eu vou construindo a minha, de vez enquanto, levo umas marteladas nos dedos,mas com isso também vou aprendendo, e à outra vez bato mais devagar,e a martelada dói menos.
Agora olho para a obra feita, e sinto-me orgulhoso com tudo o que fiz, especialmente com duas obras,
que são as meninas dos meus olhos.

Um abraço,
José.

Fernanda disse...

Querido amigo João,

Assim deveria ser e sempre.
Fazer tão bem ou ainda melhor para os outros do que se fosse para nós próprios.

Ainda não conhecia esta história, mas estamos todos cansados de saber que pouquíssimos procedem com a honestidade que lhes é devida, infelizmente.

Beijinhos

Celle disse...

Boa Noite, meu amigo!
Obrigada pela oportunidade de refletir sobre este fato que nos acontece na maioria das vezes.Espero a partir de amanhã fazer todos meus trabalhos rotineiros com mais entusiasmo e prazer lembrando que sua perfeição será o meu sucesso!
Beijinhos, João.
Celle

J.Ferreira disse...

Caro amigo João,

Sabe do que nos aconteceu recentemente.
Conseguimos arranjar um "sapateiro", profissão muito digna, para nos construir uma piscina!
Resultou no que resultou, o amigo sabe.

A história do pedreiro aplica-se a todas as profissões e profissionais.
Estamos num país onde todos tentam roubar, de uma forma ou de outra,, Isto virou epidemia.

Soubemos há dias, a Fernanda e eu, em conversa com o Eng da Câmara de Cerveira, que numa obra em frente à casa dele, para dentro da betoneira entrava, os sacos inteiros de cimento, com saco e tudo...
Será que dará uma consistência à massa ainda secreta????

Abraço,
José