29/07/2010

Uma promessa - Saramago sempre !

Já lá diz o velho ditado "O prometido é devido"!
Ontem o nosso amigo Rogério do Blog Conversa Avinagrada.
, fazia o seguinte apelo:

"Apelo, sugestão ou imperativo de consciência?
A carta, embora de conteúdo urgente, perdeu-se por aí nas páginas do jornal em formato papel. Desesperado, procurei no google as palavras mágicas me conduziriam ao formato adequado. Encontrei. Bloguistas brasileiros, deram-lhe a devida projecção. Nem uma referência nacional, nem uma. Daí que vos faça um apelo ou, se quiserem, uma mera sugestão (caso não sintam dever fazê-lo por imperativos de consciência): difundam este texto. Encontram-no aqui. Podem seguir qualquer formato, desde a sua publicação integral à simples selecção de um parágrafo ou pequeno extracto. Mas façam-no para que a memória não se perca... Multipliquemos a mensagem que Saramago deixou ..."

Este amigo refere-se à Carta de José Saramago lida no encerramento do II Fórum Social Mundial.
Um documento que poucos conhecerão e que justifica a sua leitura, mesmo que um pouco extensa.

Para não pesar demasiado no Blog, e ainda correr o risco de vos assustar com a dimensão do mesmo, deixo aqui apenas alguns parágrafos e o link para a sua leitura na íntegra.
Eu adorei... e posso garantir, especialmente a quem não conhece, que se lê num ápice, sobretudo pela sensibilidade única do nosso génio literário, José Saramago!

"Começarei por vos contar em brevíssimas palavras um fato notável da vida camponesa ocorrido numa aldeia dos arredores de Florença há mais de 400 anos. Permito-me pedir toda a vossa atenção para este importante acontecimento histórico porque, ao contrário do que é corrente, a lição moral extraível do episódio não terá de esperar o fim do relato, saltar-vos-á ao rosto não tarda.
Estavam os habitantes nas suas casas ou a trabalhar nos cultivos, entregue cada um aos seus afazeres e cuidados, quando de súbito se ouviu soar o sino da igreja. Naqueles piedosos tempos (estamos a falar de algo sucedido no século XVI) os sinos tocavam várias vezes ao longo do dia, e por esse lado não deveria haver motivo de estranheza, porém aquele sino dobrava melancolicamente a finados, e isso, sim, era surpreendente, uma vez que não constava que alguém da aldeia se encontrasse em vias de passamento. Saíram portanto as mulheres à rua, juntaram-se as crianças, deixaram os homens as lavouras e os mesteres, e em pouco tempo estavam todos reunidos no adro da igreja, à espera de que lhes dissessem a quem deveriam chorar. O sino ainda tocou por alguns minutos mais, finalmente calou-se. Instantes depois a porta abria-se e um camponês aparecia no limiar. Ora, não sendo este o homem encarregado de tocar habitualmente o sino, compreende-se que os vizinhos lhe tenham perguntado onde se encontrava o sineiro e quem era o morto. "O sineiro não está aqui, eu é que toquei o sino", foi a resposta do camponês. "Mas então não morreu ninguém?", tornaram os vizinhos, e o camponês respondeu: "Ninguém que tivesse nome e figura de gente, toquei a finados pela Justiça porque a Justiça está morta."


18 comentários:

Manuela Araújo disse...

Olá amiga Fernanda

Bom texto, como sempre, de Saramago. Também neste vídeo http://sustentabilidadenaoepalavraeaccao.blogspot.com/2010/06/democracia.html Saramago questiona esta falsa democracia.

Beijinhos e obrigada

Lina-solopoesie disse...

Fernanda
Sono riuscita a trovare questo blog... Stasera lo leggero con attenzione e poi lascio il mio commento ... UN BACIO LINA

Luis disse...

Querida Amiga NÁ,
Venho num salto dizer que estou consigo nesta mais uma sua cruzada!
Um beijinho amigo.

Lina-solopoesie disse...

...Difficile che una persona che ha combattuto e respinto per tutta la vita Dio,in punto di morte scelga di seguirlo in
paradiso,perchè non credendo in Dio, non aveva alcuna paura di andare all'Inferno.

Perchè avrebbe dovuto?
un ateo convinto delle sue idee non ha nessun bisogno di convertirsi, nè in punto di morte, nè nel fiore degli anni.
...Perché avrebbe dovuto farlo? Se era veramente ateo, non ne avrebbe avuto alcun motivo.

se si sia convertito negli ultimi istanti lo sa solo Dio. Se non si è arreso all'amore di Dio fino alla fine pultroppo vivrà in eterno senza di Lui.

Non per cattiveria di Dio ma per libera scelta dell'uomo. Paradiso ed inferno cominciano già da quaggiù, in base al nostro desiderio di vivere con Dio o senza di Lui.non vedo dove sia il problema...ha dimostrato coerenza fino alla fine..

Attaccare Saramago solo il giorno dopo che è morto: vigliaccheria intellettuale di una chiesa allo sbando.

Peraltro attacco costruito su basi valide e fondabili, ma condotto davvero in maniera vigliacca. Vergogniamoci
noi cattolici compresa me !se lo avessero attaccato mentre era ancora vivo, avrebbero sicuramente ricevuto una grande umiliazione da parte del letterato..hanno aspettato che morisse solo per poter avere campo libero..

Ciao questo è il mio pensiero .. anche se non sarà condiviso... Lina

Lina-solopoesie disse...

Fernanda ... este post lindo ...
Difícil para uma pessoa que lutou toda a sua vida e rejeitaram a Deus, em seu leito de morte, decide segui-lo para o céu, por que não acreditar em Deus, não teve medo de ir para o inferno. Por que ele?
um ateu de suas idéias não tem necessidade de se converter, ou a morte, nem no auge da vida.
... Por que ele faria isso? Se fosse realmente um ateu, não teria tido qualquer motivo.
se havia transformado no último minuto, só Deus sabe Se você não desista do amor de Deus até o fim pultroppo viver para sempre, sem Ele, não por maldade, mas para o homem de Deus a livre escolha. O céu eo inferno já estão começando aqui na terra, de acordo com nosso desejo de viver com Deus ou sem Lui.non ... Eu vejo que o problema tem sido coerente até o fim ..
Saramago ataque apenas alguns dias depois ele morreu: a covardia intelectual de uma igreja em desordem.
Além disso ataque e construído sobre as fundações fondabili boa, mas resultou em um grande covarde. Vergogniamoci
Católicos, incluindo a mim se eles atacaram enquanto ele ainda estava vivo, certamente recebeu uma grande humilhação pelas letras .. eles esperaram morrer só para ter livre curso ..
Olá este é o meu pensamento .. mas não pode ser compartilhada ... Lina

Anónimo disse...

Hello Fernanda,

Thank you very much for this. I love José Saramago, even though I do not always fully understand his books... maybe I am not mature enough to do so.

I loved the way he puts ideas together in this story of Florença. He goes deep in the thought and I guess today there aren't writers like him. He is able to put the finger on the society wound and his voice is often "live and let die"!

Thank you, very much!
Love,
Karina de Cillo
karinatcc@yahoo.com.br
from Brazil

Fernanda disse...

Desta vez vou ficar longe do teu blog, é que não gosto nem do homem nem do escritor.

Beijocas!
Rafeiro Perfumado

Recebido por e-mail

___________________________________
Fica, agora e aqui, o meu pedido de desculpas para ti Jorge, pelo facto de ter publicado um e-mail.
Explico porque o faço:

De facto penso que podias e devias tê-lo dito neste mesmo espaço, que é sem dúvida o local certo para expressar as opiniões sobre o que se publica.
As opiniões diversas, mesmo as que divergem das de quem publica, são sempre enriquecedoras, sempre....

Beijinhos

Rogério Pereira disse...

Olá,
Também hoje, na morte de António Feio, é dia de lembrar Saramago e o que escreveu do sorriso dele, António (um homem que falava consigo próprio, olhos nos olhos):

"O Sorriso (este, com maiúsculas) vem sempre de longe. É a manifestação de uma sabedoria profunda, não tem nada que ver com as contracções musculares e não cabe numa definição de dicionário. Principia por um leve mover de rosto, às vezes hesitante, por um frémito interior que nasce nas mais secretas camadas do ser. Se move músculos é porque não tem outra maneira de exprimir-se. Mas não terá? Não conhecemos nós sorrisos que são rápidos clarões, como esse brilho súbito e inexplicável que soltam os peixes nas águas fundas? Quando a luz do sol passa sobre os campos ao sabor do vento e da nuvem, que foi que na terra se moveu? E contudo era um sorriso"

Beijo

(nunca coloquei a dúvida sobre o compromisso por ti assumido...)

Tite disse...

Querida Ná,

Já comentei a oportunidade deste desafio lá nas conversas avinagradas do amigo Rogério.
O texto é duma actualidade extraordinária.
Façamos desta carta um apelo para que a Justiça ressuscite justa e verdadeiramente democrática.

Se a morte vale a pena a de Saramago valerá ainda mais pela descoberta dos seus maravilhosos textos desde que os possamos ler sem conotações partidárias. Apenas... porque fazem todo o sentido.

Beijossssss

Ana Martins disse...

Boa tarde querida amiga Ná,
José Saramago é imortal para todos os que o admiram como Homem e escritor e este texto escrito há tanto tempo, continua a ser actual, tão actual que se impõe que reflictamos sobre ele.

Hoje também é dia de Homenagearmos um Grande Homem, um Ser Humano lindo que para tristeza minha e de muitos de nós deixa o mundo dos vivos.
António Feio Faleceu a lutar contra o cancro de que foi vitima, de uma coragem e sensibilidade total este Homem deixou-nos uma grande licção de amor e entrega.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

J.Ferreira disse...

Já tive ocasião de o dizer, Saramago é um génio.
Ele viverá para o sempre, como todos os génios. É controverso, como tal, gosta-se ou não, como todos os génios.
Nasceu português, mas é do mundo, como todos os génios.
Muito se diz, muito se dirá durante muito anos, como é habitual, de todos os génios.
Ainda bem que assim é.
JF

Lina-solopoesie disse...

Fernanda.
Le intermittenze della morte.
Davvero ben fatto!
Un esercizio di stile sul "cosa succederebbe se..." che invita però anche a riflettere sui problemi della società di oggi

(la ricerca dell'immortalità, della giovinezza a tutti i costi, il cinismo derivato dall'unico interesse vero - il denaro...).

Il tutto calato in scene che talvolta sfiorano l'apocalittico.
Una delle pagine più belle?
La storia del ragazzino che viveva con la famiglia e il nonno.

Il vecchio ormai non era in grado di mangiare e sporcava sempre tutti i vestiti e la tavola. Il figlio allora gli preparò una ciotola di legno e costringeva il vecchio a mangiare in disparte, seduto sui gradini della soglia di casa.
Dopo un po' di tempo il padre del bambino vide che il piccolo di dava da fare con un pezzo di legno e gli chiese cosa stesse facendo senza ottenere alcuna risposta.

La scena si ripetè più e più volte fino a che il bambino rispose:
"Sto preparando la ciotola per quando sarai vecchio".

BUONA NOTTE.

Lina-solopoesie disse...

Fernanda.
A cintilação da morte.
Muito bem feito!
Um exercício de estilo sobre o "what if ..." convidativo, mas também para refletir sobre os problemas da sociedade moderna (a busca da imortalidade, da juventude a qualquer custo, o cinismo derivado do interesse único e verdadeiro - o dinheiro ..

Tudo caiu em cenas que às vezes beiram o apocalíptico.
Uma das páginas mais bonitas?
A história do menino que vivia com sua família e seu avô.

O velho não tinha sido capaz de comer e sempre todas as roupas sujas e louças. Seu filho, então fez-lhe uma tigela de madeira do velho e forçados a comer além, sentado na soleira da porta.

Após um pouco "de tempo que o pai viu que o pequeno estava ocupado com um pedaço de madeira e lhe perguntou o que estava fazendo, sem sucesso.

A cena foi repetida uma e outra vez até que a criança respondeu:
"Eu estou me preparando para a taça quando ficar mais velho."

Boa noite.

Saozita disse...

Querida amiga Ná, já conhecia o texto, mas é certo que teve pouca divulgação por cá, infelizmente!
E aínda nos debatemos, com mais entraves políticos, Rui Rio e a sua equipa, não aceitam atribuir a uma rua do Porto o nome de Saramago. Por aqui se vê, a índole do autarca deta cidade, que em nada se revê com a população do Porto.

Um bom fim de semana, querida amiga.
Beijinhos

Pérola disse...

Eu adoro os textos deles,se ñ repercutiu como deveria é pq os valores e gostos ñ sintonizaram e nem enxergaram a beleza q suas palavras povoavam.
Eu gosto muito.
Parabénsssssssssssss.

Fernanda disse...

Queridos amigos/as!

Saramago sempre!
Para quem sabe separar águas e avaliar a obra sem julgar a pessoa, que afinal não é tão diferente de qualquer um e de todos nós, excepto certamente na excelência!


"Antes eu dizia: 'Escrevo porque não quero morrer' Mas agora mudei. Escrevo para compreender o que é um ser humano."


" O único progresso verdadeiro é o progresso moral. O resto é simplesmente ter mais ou menos bem."

" Não tenhamos pressa. Mas não percamos tempo."

"Se me perguntam por que escrevo, dou 30 respostas, nenhuma certa."

"Sabido é que todo efeito tem sua causa, e esta é uma universal verdade, porém, não é possível evitar alguns erros de juízo, ou de simples identificação, pois acontece considerarmos que este efeito provém daquela causa, quando afinal ela foi outra, muito fora do alcance do entendimento que temos e da ciência que julgávamos ter."

Algumas citações célebres de José Saramago.

Obrigada a todos pelos vossos comentários.
Beijinhos

A. João Soares disse...

A T E N Ç Ã O

O REPETIDO DESAPARECIMENTO DE IMAGENS NOS POSTS DESTA COLABORADORA DEVE-SE, PROVAVELMENTE, A UM «LAPSO» DELA.
Pedimos paciência aos amigos visitantes.

Cumprimentos
João

Lina-solopoesie disse...

Fernanda Ciao. Buona domenica .
Sono passata da te per il salito salutino affettuoso . Come stai? e tuo foglio? tutto bene? spero di sai , sai che ti voglio bene e ti penso sempre con tanto affetto .
Visto che la domenmica e quasi trascorsa non mi resta che augurarti un buon inizio di settimana .
Un bacio dalla tua amica Italiana Lina