14/07/2010

APP - Associação Portuguesa de Psicogerontologia


Idosos que fazem planos vivem mais tempo
Posted: 10 Jul 2010 01:53 AM PDT

“Por vezes sinto que já fiz tudo o que havia a fazer nesta vida”, “Estabelecia metas pessoais mas isso agora parece-me uma perda de tempo” ou “O meu dia-a-dia parece-me frequentemente trivial e pouco importante”. Já ouviu estas frases em algum lado? Estas foram as ideias usadas num questionário para um estudo publicado esta semana que avaliou a associação entre a posse de um objectivo de vida e a mortalidade.
Um estudo que envolveu um questionário a mais de 1200 idosos mostra que ter um objectivo na vida reduz o risco de… morte. O mesmo é dizer que prolonga a vida. Os investigadores ajustaram as diversas variáveis envolvidas (idade, sexo e educação) e demonstraram que, independentemente de tudo isso, ter um propósito na vida está associado a uma redução significativa da mortalidade. Segundo o estudo, uma pessoa com um plano para a vida corre metade do risco de morrer nos meses seguintes se a comparamos com alguém sem objectivos. Esta conclusão não é diferente entre homens e mulheres, brancos ou negros e resiste também se considerarmos factores como sintomas de depressão ou outras condições clínicas.
“Associarmos a posse de um propósito de vida à longevidade nas pessoas mais velhas leva-nos à conclusão de que estes aspectos contribuem para um envelhecimento de sucesso”, refere Patricia Boyle, que liderou o estudo levado a cabo no Rush Alzheimer’s Disease Center. Mais do que a leitura dos efeitos psicológicos que esta estratégia poderá produzir, a especialista diz estar entusiasmada com a possível contribuição que este factor pode ter na saúde.
Os especialistas deixam em aberto a possibilidade do facto de ter um objectivo de vida interferir com outras características demográficas e delegam para futuros estudos a hipótese de algumas variáveis como a religião terem um efeito.

Fonte: Público

Nota:

Se já tens muitos anos, mas não te sentes "velho", e tens planos para o futuro ...
... alegra-te! Vais viver o tempo suficiente para os realizar !
Lê o texto. Voltaremos a conversar sobre este assunto daqui a 20, 30 ou 40 anos. Se estiveres de acordo, claro!
Um abraço do
Duarte Rui Fontoura

7 comentários:

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Um post com muito interesse. É bom que as pessoas se interessem por tudo o que as cerca e criem pólos de atenção com objectivos e planos.

Levei este post para o Do Miradouro, mas tive que lhe fazer pequenos ajustamentos. E acabo com uma referência a um post do Saúde e Alimentação, com o título A saúde depende dos pensamentos e das palavras.

Um abraço
João
Só imagens

Saozita disse...

Olá Luís, muito interessante este post, já tinha lido alguns estudos que abordavam esta temática em teoria, parece que este estudo já é conclusivo.
Há no entanto provas reais de vida, de prolongamento da mesma na sequência do seguimento de um objectivo. Por ex: pessoas que estavam à morte e conseguiram resistir por via de um objectivo, por ex: conhecer um neto!


Tenha uma boa semana
Beijinho

Fernanda disse...

Amigo Luís,

Desculpe!
Quase lhe faço desaparecer o texto :)))))))
Já nos rimos à custa do acidente!

Sem dúvida alguma, totalmente de acordo com a amiga Sãozita.
Uma forte motivação faz milagres, devolve anos de vida às pessoas.
Acredito copiosamente neste verdade.

Luis disse...

Minhas Boas Amigas,
Deve ser por isso que cá vou vivendo feliz e contente, pois tenho tido sempre objectivos que vou atingindo e substituidos por novos. Desta forma talvez consiga atingir o centenário. Na Familia a bitola são os 92 anos...
Amigo João, ainda bem que o levaste pois é sempre agradável e simpático sabermos que gostam do que apresentamos.
Saudações muito amigas a todos.

Ana Martins disse...

Caro Luís,
também já tinha ouvido falar disso e o ex. que a Sãozita aponta passou-se na minha família. Provavelmente foi o Victor que lho contou.

Está a fazer 26 anos que o meu Pai numa operação sofreu uma paragem cardio-respiratória e o que o salvou foi o desejo incontrolável de conhecer o primeiro neto que vinha a caminho, precisamente o filho mais velho do meu irmão Victor.

O meu Pai contava que embora não tivesse nenhuma reacção, conseguia ouvir tudo o que os médicos diziam e que houve momentos em que eles chegaram mesmo a pensar que já nada havia a fazer. E o meu Pai só pensava que não podia morrer pois faltava-lhe conhecer o neto.

Mais tarde e depois de recuperado contou aos médicos que o assistiram como tinha vivido esses momentos ainda que aparentemente inconsciente e ambos lhe disseram que o neto lhe tinha salvo a vida.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Celle disse...

Olá Luis,agora já sabem, irão me aturar até os 104,105 anos!
kkkkkkkkk
Beijinhos
Celle

A. João Soares disse...

Querida Celle,

Ter planos e projectos de longevidade não pode reduzir-se a tão pouco!!! Espero que, aos 120, esteja com mais esperança do que agora!!!

Beijos
João
Do Miradouro