26/07/2010

Eliza e o Moinho

Este é mais um caso, que sendo do conhecimento geral, não pode passar despercebido ou ficar ignorado como mais um caso de violência absurda e inqualificável.
De certa forma relaciona-se com um tema que temos vindo a debater, mas vamos ver como a minha grande amiga , Vanuza Pantaleão o sentiu...
Peço-vos apenas que reflictam sobre a escalada de atrocidades cometidas por uma Humanidade que se vai despojando, cada vez mais, de qualquer sentimento humano.


Um bebê é arrancado dos braços da mãe que já goteja sangue da cabeça, após uma coronhada certeira. O homem corpulento torce-lhe o pescoço, retira-lhe as vestes e arrasta o corpo nu até uma mesa de açougueiro.
Pedaço por pedaço, naco por naco, tudo se transforma numa massa disforme de músculos, cabelos e muito sangue. Eliza está sendo desossada com destreza pelas mãos de um ser sombrio e incapaz de um minuto de remorso.
Os cães da fazenda mineira farejam o odor estimulante do sangue e uivam, exigindo sua parte. Conseguem mais do que isso, pois o verdugo de Eliza atira-lhes as partes moles e até as mãos com as unhas ainda esmaltadas de cor vermelha.
Eliza errou por ser uma prostituta? Pois saibam que no nosso Código Penal se um homem forçar uma relação sexual com uma mulher dessa "profissão", estará incorrendo em crime.
Eliza calou-se, mas a minha angústia aumentou por ela, por vocês e por todas as mulheres que se envolvem com “atletas de aço", frios e endinheirados. Não consigo virar uma avestruz e enfiar a cara num buraco, fingir que o lado obscuro do homem não existe. Gostaria que tudo isso tivesse nascido da minha fértil imaginação, mas aconteceu e, não tenho dúvidas, continuará a acontecer e a ser encoberto na impunidade e injustiça em que vivemos.

Mestre Cartola, certa vez, percebeu que sua filha estava trilhando caminhos estranhos. Não quis repreendê-la com dureza, mas compôs uma peça musical de rara beleza e sensibilidade onde profetizava o triste fim de todas as Elizas: O MUNDO É UM MOINHO.


“Ouça-me bem, amor. Preste atenção, o mundo é um moinho. Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos, vai reduzir as ilusões a pó... “
Quem interpreta é a nossa Beth Carvalho a quem tive o prazer de conhecer, ótimo ser humano. Interpretação intensa, letra que diz tudo. Solta a voz, Beth!!!
Estou indignada! Chorei muito para escrever estas linhas...
Indignem-se!

Na casa do Rau

17 comentários:

Pedro Ferreira disse...

Olá Mãe!

Estive hoje a dar uma voltinha pelos Blogues onde estás para te dar o meu miminho :)

Ouvi por alto este caso e não sei detalhes, que aqui também não são contados.
Entendo que não seja necessário, para todos, saber dos detalhes sórdidos do que parece ter sido um crime abominável.

Que horror, mãe! O Mundo está a girar ao contrário!!!
Não há coisa mais horrenda do que a falta de valores, a total ausência de sentimentos.
Que vergonha saber que faço parte deste mundo cruel onde os "animais" têm comportamentos mais "humanos" do que os ditos humanos!

Beijos e abraços com toda a ternura do Mundo.
Pedro

Rogério Pereira disse...

(Espero que teu filho, cujo comentário estou a ver enquanto o meu estou a escrever, também leia isto...)
Ná,
Porque julgas que trago na mão um mundo com uma lágrima de sangue?
Porque julgas que distribuí um selo com a minha deusa Thémis, vertendo aquela mesma lágrima?
Porque julgas que num outro selo estou avinagrando desigualdades?
Acolhestes todos estes selos e, com estes posts, estás fazendo por merece-los...
Eu, que já tinha pensado desistir resolvi regressar. Com um objectivo: insurgir-me contra coisas próximas, nacionais, do nosso povo, do nosso destino, das nossas mulheres, nossos velhos, nossas crianças e nossas esperanças...
A partir de hoje, ficas tu encarregue de resolver os males do Mundo...
trespasso-te essa missão
Concordes...
... ou não!

Beijo

Luís Coelho disse...


A verdade das coisas dói, por isso chorou e choramos todos.........
Hoje senti mais esta dor de um mundo vazio de valores e de ódios sempre a correr cada dia mais.
O mundo virou traição dos trabalhadores e dos pais que educam e acompanham os filhos na estrada de uma sociedade justa e com princípios morais e humanos.
O teu filho, o meu e muitos mais estão certos de que é preciso mudar este estado de degradação da nossa sociedade.
Os outros vão tendo o apoio dos governos e e brincando com a justiça e a vida dos seus concidadãos.

Saozita disse...

Querida amiga Ná, a violência contra as mulheres, continua a aumentar e não são só nos países de religião Muçulmana, por cá temos muitos que se dizem Cristãos e cometem barbaridades dessas! É preciso levantar bem alto a voz contra essa violência gratuita.
E cá estás tu tambéna na 1ª linha, a cidadania é um dever, e exerce-se de muitas formas, entre essas o direito à indignação!

Tem uma boa noite querida amiga.
Beijinhos

Vanuza Pantaleão disse...

Ná, minha amiga, continuo em estado de alta emoção e horrozida com o grau de total insensatez que atravessa a nossa triste humanidade. Que mundo é esse? Veja, eu sou uma mulher madura, cursei uma faculdade de Direito e estudei criminologia, nada da natureza humana me espantava mais. Porém, esse crime hediondo e dantesco feriu-me a alma de tal forma que não consegui segurar-me, calar. Precisamos e urge mesmo que façamos de tudo, que nos unamos para que outras "Elizas", tão jovens e embriagadas pelo consumismo não venham a perecer nas mãos de monstros como esses.
Outra preocupação: e o filhinho dessa pobre moça, qual será o seu futuro? Qual?
Esse post não é só meu, amiga, ele pertence também aos bons homens, mulheres e crianças, adolescentes que sonham e querem construir um mundo menos injusto, melhor. Sonhemos com a utopia, por que não?

FIQUEM TODOS EM PAZ!
Beijos carinhosos!!!

Vanuza Pantaleão disse...

Correção: "horrorizada". Perdão, tudo isso tolda o meu raciocínio lógico, estaremos vivendo um pesadelo?

Ana Martins disse...

Boa noite minha amiga,
não tenho sequer palavras para qualificar este crime, tudo o que possa dizer é muito pouco perante a sua monstruosidade.
Acho que já o disse uma vez e volto a dizê-lo correndo o risco de ser censurada, mas é o que sinto. Sou contra a pena de morte, mas para casos como este acho que devia existir.

Pessoas capazes de tais atrocidades, não são pessoas e como tal não fazem falta à Humanidade.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná e caros comentadores anteriores,

Não podemos ficar indiferentes, aos inúmeros casos de falta de respeito pela vida, pelos outros, aos crimes hediondos que são noticiados.
Mas o nosso repúdio, o nosso choque a nossa repulsa nada resolve se não encararmos hipóteses de eliminar as causas, inverter a marcha decadente da humanidade.

O ser humano de hoje é menos humano do que o homem da pedra lascada, do paleolíitico. Hoje devemos aprender lições dos animeis da selva que sabem viver em família, na manada, obedecendo a regras à sua ética.

A propósito da má alimentação das crianças escrevi o seguinte comentário:

«Os problemas devem ser curados na sua causa. Os pais de tais crianças já foram viciados em tal alimentação. Tais erros enquadram-se num panorama geral de desleixo, desprezo pelos bons princípios, descuido com a segurança em todos os aspectos. Seria interessante alguém criar um movimento com sugestões à ONU para impor aos estados mais responsáveis o culto da excelência, do rigor na execução das tarefas. Dessa forma contribuía-se para reduzir os desastres de avião (erros da manutenção e da pilotagem), desastres na estrada (erros nos cuidados com o bom funcionamento dos carros e imprudências na condução), acidentes no trabalho, no desporto, em casa, com as crianças nas férias, etc, etc.

Ninguém se preocupa com a própria vida e com a dos outros. O mestre deste texto é uma feliz excepção. A Mara também, por aqui chamar a atenção.»

A ONU, com a UNESCO e outras agências, deve estabelecer aos Estados normas para a educação das crianças, para ensinar civismo, ética, moral, desde tenra idade. Há jovens como o Pedro que estão conscientes de que o mundo tem de inverter a sua rota. Será a geração jovem que amanhá terá de inverter a marcha. Mas não se pode esperar e é preciso que se faça barulho, mas não apenas de lamentação, mas de sugestão de soluções nos vários aspectos para que o mundo de amanhã seja melhor.

A Vanuza veio ao encontro da minha estratégia: a UTOPIA. Acreditemos que será com ela, acreditando nela, lutando por ela que o mundo melhorará. Algo se irá conseguir. A utopia de se acabar com a escravatura, há mais de um século teve êxito. Hoje esse tipo de lutas, com a Internet é mais fácil e obterá êxito .
TORNEMOS O MUNDO MELHOR. Exijamos que os governantes de todo o mundo assegurem melhor educação dos povos.

Beijos e abraços
João
Do Miradouro

Rogério Pereira disse...

Fernanda,
Venho aqui em SOS desfazer um equívoco...
Eu jamais abandonarei este sítio!
Eu só queria dividir tarefas entre nós, uma espécie de Tratado da Tordesilhas, entre dois salvadores do Mundo e onde eu ficaria com as dores Lusas...

Mas se queres, volto atrás. Não prometo é que chore contigo mágoas distantes, quando as tenho á porta de casa, do mesmo tipo e género e outras, imensas, tantas...

Nunca te abandonaria depois de me ficares com um selo e ainda menos se tens os dois!

Abraço

Fernanda disse...

Amigos / Amigas e Pedro!

Estes vossos comentários são um sinal claro, de que ainda há quem se indigne com a questão da crescente violência irracional, atroz e insuportável.

Não podemos deixar passar todos os casos que tenhamos conhecimento.
Temos todo o direito à insurjeição e à denúncia.
Comecemos pela nossa casa, a do vizinho, todas as que conheçamos...

Beijinhos a todos, um muito especial ao meu Pedro.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Ná!
O post é muito bom. Quem não se indigna diante de tais fatos? Só, ao meu vi.ver, a questão deveria ficar em *aberto*. Por que generalizar as *Elizas* - moças jovens ou não, que vivem no mesmo mundo consumista e reducionista (somos mercadorias) que os agressores - e calar-se no que diz respeito a estes últimos? A mudança que se opera *hoje* (desde os anos 60) tem o seu fundamento no Humanismo, o que já vem originando uma nova Ética, como Lévinas e outros pensadores que valorizam o Ser Humano, em detrimento do julgamento pura e simples. Minha Formação é Filosofia e Letras, e fiz 1 de Direito, do qual saí apesar do fato de o meu pai ser Desembargador. Ele se aposentou porque disse que aquilo era verdadeira uma Câmara de Gás.
E vc sabe onde (USP).
Sei que me estendi, mas a falácia do discurso é a conclusão: a questão não são as Elisas. É a Violência, o porquê da persistência desta(s) agressão (ôes).
Que se revisem os conceitos/textos.

Boas Férias!
Muita Paz e Amor a Todos Nós!
Renata Maria Parreira Cordeiro

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

A minha formação é na Usp, que fique claro. O futuro não existe. Nós é que o fazemos Agora, no Hoje: sem matanças, sem destruição de sonho algum. Porque se os sonhos e as matanças não pararem, não haverá Mundo com crianças. Por um Melhor, onde haja espaço e ambiente para todos, respeitando as suas singularidades, opções, e particularidades.
Beijos******
Renata

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

chega de ps. Sou imperfeita, Humana, Graças a Deus.

Fernanda disse...

Amiga Renata!

Obrigada pela tua brilhante intervenção de total indignação e repúdio por mais este acto inqualificável.

O post não é da minha autoria, mas sim da amiga brasileira, grande mulher, a Vanuza.

Não podemos mesmo calar "Quem cala consente".
Como dizes e muito bem, felizmente somos todos Imperfeitos, mas Humanos somos poucos...

Beijinhos

Milai disse...

Olá Ná!
Eu fiquei tão horrorizada,que é mesmo o termo, que nem consegui comentar logo. Não me ocorre outra coisa senão um completo horror.
Não sei como se consegue mudar mentalidades destas. São 1000 vezes pior que os animais...
Beijinhos

Kyria disse...

Ná,
o que é "isso"? Parecem cenas de horror que satisfazem a uma platéia digna de medo. Quanto atraso moral, espiritual! Quanta falta de sentimentos e o que mais nos horroriza é que muitas vezes o psicopata mora bem mais próximo do que possamos admitir.
Que esta senhora possa ser acolhida pelos benfeitores do mais Alto.
Beijos meus.

A. João Soares disse...

A T E N Ç Ã O

O REPETIDO DESAPARECIMENTO DE IMAGENS NOS POSTS DESTA COLABORADORA DEVE-SE, PROVAVELMENTE, A UM «LAPSO» DELA.
Pedimos paciência aos amigos visitantes.

Cumprimentos
João