30/07/2010

Morreu António Feio ( 1954 - 2010 )

"António Feio, que sofria de um cancro no pâncreas, morreu às 23h40, na unidade de Cuidados Paliativos do Hospital da Luz.


A produtora UAU remeteu para mais tarde informações sobre as cerimónias fúnebres do ator e encenador.

António Feio, natural de Maputo, Moçambique, começou a sua carreira aos 11 anos, no Teatro Experimental de Cascais, depois de o seu diretor, Carlos Avilez, o ter convidado para fazer a peça "O Mar", de Miguel Torga, que estreou a 6 de maio de 1966.

Além do Teatro Experimental de Cascais, onde esteve alguns anos, o ator atuou no Teatro Aquarius, que fundou, na Cooperativa de Comediantes Rafael de Oliveira, no Teatro Popular-Companhia Nacional I, no Teatro S. Luiz, no Teatro Adoque, no Teatro ABC, na Casa da Comédia, no Centro de Arte Moderna, no Teatro Aberto, no Teatro Variedades, no Teatro Nacional D. Maria II e no Teatro Villaret, entre outros.

"O que diz Molero" e "Conversa da Treta" foram duas das suas encenações mais emblemáticas.

António Feio fez ainda televisão, rádio, publicidade e cinema, tendo ficado conhecido pela dupla cómica que formava com o ator e amigo José Pedro Gomes.

A 27 de março, o comediante recebeu do Presidente da República, Cavaco Silva, o grau honorífico de comendador da Ordem do Infante D. Henrique.

Numa entrevista à Antena 1, um mês antes, António Feio frisou que continuar a encenar lhe dava força para enfrentar a doença.
Reconhecendo que, "às vezes" não estava a cem por cento, o ator -- "sempre" otimista -- confidenciou que tinha "o mesmo tipo de gozo" no trabalho que fazia e que este funcionava como "uma válvula de escape" para tudo o resto.

"É o que eu gosto de fazer, não sei fazer mais nada", vincou.

Recentemente, o ator participou na apresentação do trailer "Contraluz", do realizador Fernando Fragata, com uma mensagem de esperança.

António Feio deixa quatro filhos: Bárbara e Catarina, do casamento com Lurdes Feio, e Sara e Filipe, com Cláudia Cádima."



António Feio, é sem dúvida uma grande perda para o Teatro Nacional, perdemos um grande actor, um artista muito querido do público.
À família aqui deixo endereçados, em nome do SEMPRE JOVENS as mais sinceras condolências e pesar.

6 comentários:

Rogério Pereira disse...

Cara Sãozita,

Dele, ficarei com a imagem de um homem que falava consigo próprio, olhos nos olhos... e um sorriso, cuja definição só Saramago consegue fazer: "O Sorriso (este, com maiúsculas) vem sempre de longe. É a manifestação de uma sabedoria profunda, não tem nada que ver com as contracções musculares e não cabe numa definição de dicionário. Principia por um leve mover de rosto, às vezes hesitante, por um frémito interior que nasce nas mais secretas camadas do ser..."

A. João Soares disse...

Como não o podemos aplaudir naquilo que gostava de fazer, resta-nos esta homenagem póstuma e a saudade que teremos, esperando que não faltem vídeos para recordarmos mais vivamente a sua arte.
A família enlutada o nosso pesar e sentidas condolências.
João

Fernanda disse...

Amiga Sãozita!

Estava à espera... à tua espera... para finalmente poder dizer (ainda hoje), da dor que senti ao tomar conhecimento da morte de António Feio!
Morte anunciada, esperada mas combatida até ao fim.
Fica a doce lembrança do seu rosto sorrindo, sempre sorrindo e fazendo rir, rir até chorar...

Beijinhos

Alma Inquieta disse...

Olá Sãozita,

não consigo lembrar-me dele sem que as lágrimas rolem pelo meu rosto...
Há seis meses atrás sofri a perda do meu sogro da mesma forma...
Que exemplo de luta e coragem..., tanto o meu sogro como António Feio!

Que esteja em paz já que não conseguiu vencer o bicho como ele tanto queria...:=(

Um beijo e que tenhas um bom fim de semana.

Táxi Pluvioso disse...

Lá estaremos todos, por mais estrebucho, por mais ais, por mais indispensáveis, como Saramago e Feio seremos. bfds

J.Ferreira disse...

Lamento profundamente a sua partida.
Guardarei as melhores lembranças do Ser e do Actor.

Beijinhos
J.Ferreira