20/07/2010

Paixão fotos


A imagem foi chamada de "Porquê Paixão Fotos" e fala por si.
Do Blog com o mesmo nome, foto de autoria de A.Garrido.

Desde sempre que sei do José, ele ama a fotografia. Não tinha quase nada, mas tinha a melhor máquina possível, bem como todos os livros em todas as línguas, especialmente em Francês, para a sua auto aprendizagem.
Um verdadeiro auto-didacta, com laboratório de revelação de imagens e posterior secagem em metade da dispensa lá de casa!
Lembro-me que, por mais que ele me avisasse que não acendesse a luz enquanto fazia os seus trabalhos, eu entretida com a lida da casa, esquecia-me e pronto...acendia a luz e estragava tudo!
Quem conhece o José, sabe que ele nunca se altera, fala sempre no mesmo tom, mesmo quando enervado...mas a cara dele não engana :)) e lá recomeçava ele tudo de novo.

Esta paixão teve altos e baixos, como todas as paixões! Passou a um amor mais calmo e sólido.
Entretanto foi comprando e vendendo máquinas, mudando de lentes, de objectivas, trocando Pentax por Nikon, fazendo slides, até que quase abandonou...
Passou então para outras paixões, mas nunca abandonou totalmente.
Agora ela voltou, e voltou com toda a força e ainda bem que assim é para nosso regalo e meu grande orgulho.

19 comentários:

gabyshiffer disse...

Linda história
:)
Vim desejar boa semana pra vc
Beijos na alma!

Luis disse...

Minha Querida Amiga NÁ,
Esta foto realmente diz tudo é como no anúncio que diz "que o algodão não engana"! Realmente o nosso José está um reporter fotográfico de "primeiríssima" e desculpe-me dizer que não é só para seu orgulho pois ele já é também para nosso orgulho!!!
Um abraço para ele e para Si um grande beijinho.

Ana Maria disse...

Belas fotos!
Amiga, no blog Selos, Mimos e Homenagens, tem um selinho para você.
Beijinhos!

A. João Soares disse...

Querida Amiga Ná,

Parabéns pela paixão pelo autor das fotos! Muito obrigado por aqui colocar este alerta para visitarmos Castro Laboreira através dos olhos do nosso amigo José. Já deixei no Assim é o seguinte comentário:

Que pena que Deus dê as nozes a quem não tem dentes! Não estranhe esta exclamação, explico.
Em fins da primavera de 1967, uma das provas escolares que me deram foi ser guia da visita ao Minho e, nomeadamente, Castro Laboreiro, sobre o qual tive de falar e responder a perguntas de colegas e professores (perto de meia dúzia) durante os últimos quilómetros de aproximação e no local. Não imagina o trabalho de pesquisa que tive de fazer para dizer coisas acertadas e aguentar-me no diálogo.
Não foi fácil encontrar bibliografia e muito menos imagens. Hoje deparo com este riquíssimo manancial que, nessa altura, me teria sido de grande ajuda, e me permitia antever o que ia observar.
Hoje já não tenho uma igual necessidade (dentes) para usar esta riqueza (comer estas nozes).
Muitos parabéns pela abundância de pontos de vista bem aproveitados e, como já estamos habituados, pela qualidade das imagens que nos dá.

Um abraço
João
Do Miradouro

Fernanda disse...

Olá Gaby!

Amiga, isto não é uma história mas sim um facto!
Naturalmente que não és obrigada a saber, mas parece-me óbvia a percepção através da leitura do texto.

Beijos

Na casa do Rau

Fernanda disse...

Meu bom amigo Luís,

De facto assim é, mesmo
Tudo o que o José faz, faz com empenho, muita dedicação e saber.
Ele passa horas a estudar todas as possibilidades técnicas, pratica-as, desenvolve-as e nunca, mas nunca está satisfeito com o seu trabalho final.

Obrigada por partilhar o mesmo orgulho.

Beijinhos

Contos e Lendas.

Fernanda disse...

Amiga Ana!

Gostou? tem mais para ver nos Links deixados no texto.

Volte sempre.
Obrigada pelo selo, irei buscá-lo com muito prazer.

Beijinhos

Contos e Lendas.

Fernanda disse...

Amigo João,

No pequeno texto que aqui publiquei, simples mas saído do coração, escrito directamente sem preparação prévia, até pelo avançado do da hora, ficou uma pequena amostra do muito orgulho que sinto pelo José.
Por mais suspeita que possa parecer, sei dar o valor a quem o tem e ele merece este pequenino gesto de reconhecimento pelo que nos tem dado.
Portugal, sobretudo o Minho, está a ser muito bem documentado e revelado para muitos.

Já nos tinha dito,, uma vez, que tinha andado cá por "riba" feito guia turístico. Sei que se saiu, como sempre, muito bem, mas realmente faltavam na época estas armas, estes detalhes.
Quem vê estas as fotos com olhos de ver, reparará em detalhes que passam despercebidos a muito dos que não têm o mesmo olho clínico, e são esses mesmo que fazem a diferença e tornam os recantos mais recônditos numa delícia, sem dúvida alguma!

No texto deixei, expressamente, três links.
O recém criado Paixão fotos agradece e merece a visita bem como todos os citados.

Beijinhos

Na casa do Rau,

J.Ferreira disse...

Caros amigos,
paixões quem as não tem?
Quando se perdem e retomam, ficam mais fortes.
Infeliz daquele que nunca teve uma paixão.
Esta é daquelas que deixam marcas, mas inofensivas. Posso quase garantir, que dos milhares de fotos que já fiz me lembro de todas. Mesmo das que foram para o lixo.
Grato por todos os vossos simpáticos comentários.
Vivam as paixões, grandes ou mais pequenas.
Abraço amigo do
JF

Kyria disse...

Ná querida,
que bom te ver no meu blog pois você alimenta a minha alma com suas palavras.
Gostei muito das imagens, ainda bem que o José sempre recomeça, bjos meus.

AGarrido disse...

Com enorme prazer, junto-me a este grupo que saudou as paixões, a capacidade de se apaixonar e, em particular, a paixão pela fotografia do JFerreira. Efectivamente, numa análise cuidada dos diferentes trabalhos fotográficos que fez o favor de partilhar connosco, o JF fala, de forma arrebatadora, do seu conceito de imagem, da sua incessante busca pela riqueza comunicacional de que a imagem (qualquer imagem) se pode revestir, para além de, com a sua humildade habitual, cada vez que descobre mais um segredo da arte fotográfica, o partilhar connosco e nos referir que se lhe avolumam os segredos por descobrir. Deixando as outras vertentes para comentários futuros, restringir-me-ei apenas ao seu conceito de imagem, o qual eu adjectivaria como eclético uma vez que revela profundo interesse pelas temáticas mais díspares, apresentando, contudo, um denominador comum que é a predominância do humano no seu mais largo espectro. Assim, desde as manifestações religiosas, à arte popular, ao lazer, aos artefactos, ao retrato individual ou colectivo, a figura humana ocupa, sem dúvida, um espaço privilegiado na fotografia do JF. E, talvez seja por isso que, qualquer álbum da sua já vasta galeria digital, necessita de uma observação atenta e ponderada para que consigamos absorver o que, de forma subtil, nos diz nas linhas e nas entrelinhas.

Um abraço amigo.

G

J.Ferreira disse...

Tudo isto, porque um dia o Sr. AGarrido, "disparou" sobre um caracol.
Meu caro és como sempre, um companheirão.
Grato pela apreciação.
Abraço do
JF

Rogério Pereira disse...

Mais vale uma boa imagem
Que mil palavras
Mas se estas, arrumadas
sob a forma de poema...
Não sei não
P´ra que lado pende o coração

(Fernada, diz-me com quem andas
dir-te-ei quem és...)

Um abraço a todos

Fernanda disse...

Amiga Kyria!

É cada vez mais raro encontrar alguém com os seus predicados!
Confesso que gosto muitíssimo de si, como pessoa sensível, inteligente, determinada mas doce que é.
Apareça sempre, é um privilégio para todos nós ter uma amiga como a Kyria.

Julgo que já sou sua seguidora mas confirmarei, e peço a todos os que venham a ler este meu comentário que façam o mesmo.
Adoro o que escreve e como o faz.
Parabéns.
Beijinho ternurento.

Fernanda disse...

Amigo Rogério!

Percebeste bem amigo!
O José é meu marido, mais palavras para quê?!

És uma pessoa incrível...
Abração,

Fernanda disse...

O que vos dizer, José e Garrido???!!!

Está tudo dito, a paixão é a mesma e por isso vocês estão tão bem juntos no Paixão Imagens.
Unidos nesta e noutras paixões, uma das quais a bicicleta. Há muitos quilómetros percorridos juntos, muitas aventuras vividas, muita e sincera amizade.

Parabéns ao nosso amigo Garrido por ter apanhado o José em plena acção :))
Foto sensacional e comentário de um amigão mesmo.
É um prazer ler-te Garrido.
Obrigada!
Beijinhos.

Parabéns a ambos pela fotos maravilhosas com que nos presenteiam.

Resta-me reforçar o meu maior orgulho em ti, José.
Beijo,

Rogério Pereira disse...


Ena c´um caraças...
Sou melhor que o Paul
(que pena não ter tentáculos...)

Beijo

Rogério Pereira disse...


Todas as dúvidas pendentes
que careças perceber
Aqui devo esclarecer:

O Paul (o polvo adivinho) entre o Zé e um qualquer amigo, identificaria o Zé, como sendo o teu marido

Eu, melhor que o Paul, identifiquei-o não no confronto um a um, mas no meio de dezenas. Sou melhor que o Paul... Sou ou não sou?

Quanto à pena de não ter tentáculos... queria-os para poder abraçar, de uma vez só, todos os amigos que te comentaram neste post...

Boa?

Já lá vou à festa. Mesmo se não fosse convidado, iria aparecer (lata não me falta...)

Até já!
(não confundir com TMN)

A. João Soares disse...

A T E N Ç Ã O

O REPETIDO DESAPARECIMENTO DE IMAGENS NOS POSTS DESTA COLABORADORA DEVE-SE, PROVAVELMENTE, A UM «LAPSO» DELA.
Pedimos paciência aos amigos visitantes.

Cumprimentos
João