15/08/2010

O António virou irónico

O meu Amigo António, tal como a maioria das pessoas da sua idade – deve andar perto dos oitenta mas não diz quantos tem nem em que dia os completa – não sente a mínima atracção pela informática. Diz que um dia tentou e fez um clic errado, estragando tudo o que tinha estado a tentar escrever. Depois desse azar, não quis continuar a lutar contra uma máquina tão estranha e caprichosa!

Mas consegui convencê-lo a visitar, devidamente apoiado pelo neto, um dos meus blogs o que pensei lhe podia despertar alguma simpatia. E depois telefonou-me – embora também não morra de amores por essa máquina que permite ouvir vozes que vêm sem se saber de onde, como acontece aos mentecaptos – e contou-me que a visita o fez lembrar de uma história contada pelo Eça ( A Luisinha Carneiro torceu um pé) de que já não se recordava bem mas que traduziu em português moderno.

Numa reunião do Jet Set, gente pedante sem cultura profunda mas convencida e deslumbrada com pequenas coscuvilhices, falava-se das telenovelas, do Ronaldo, da festa dada por alguém que fez 4 anos de qualquer coisa, do vestido da Isa, dos amores estranhos de um político, quando chegou o Ambrósio, um tipo sereno, controlado e pouco atreito a conversas sem ensinamentos, sem análise, que olha para as realidades com a calma de quem procura conhecer as causas e as consequências.

Como as suas opiniões são escutadas com interesse pela vacuidade das senhoras, todas se dizendo quarentonas mas com rugas no pescoço que, apesar de disfarçadas por técnicas modernas, indicam mais de 60, todas as circunstantes exclamaram o seu prazer pela chegada do tipo e lhe perguntaram novidades.

Imaginem, disse ele, na China a chuva torrencial causou inundações terríveis e desabamentos de terra que causaram mais de um milhar de mortos, desaparecidos e desalojados. Não obteve qualquer reacção. As pessoas ficaram impávidas e serenas, porque isso não as impressionava minimamente.

Contou depois que na Rússia há uma vaga de fogos que poderá atingir uma zona onde caíram cinzas de material radioactivo devidas à explosão da central nuclear de Chernobil e que, se isso acontecer, os ventos poderão espalhar nuvens altamente tóxicas que irão vitimar milhares de pessoas em vasta área. A Necas perguntou se por isso teria de deixar de comer pudim Molotov. Mas as restantes ficaram impávidas e serenas, porque isso não as impressionava minimamente.

Depois falou dos incêndios na serra da Gralheira que destruiu tudo numa área equivalente a muitas centenas de campos de futebol, ocupando muitas centenas de bombeiros idos de vários pontos do País e deixando a população local muito desgostosa e abalada, havendo muitos idosos que diziam em tom sufocado e desiludido que agora só lhes falta morrer. As pessoas ficaram, embora um pouco curiosas onde fica essa tal serra de Gralheira, e a Mitó perguntou se uns amigos que vivem em Tondela poderiam sofrer com o fumo, mas pouco se mostraram impressionadas.

Deu então a notícia de que a Licas, ao descer do Mercedes, colocou o pé numa falha do lancil do passeio e sofreu um entorse no tornozelo esquerdo, estando imobilizada em casa, depois de lhe terem engessado o pé e a perna. Foi o pânico naquele salão. Gritinhos de aflição. Coitada da Licas, com toda a sua vivacidade e dinamismo ter de ficar em casa! E começaram a sair para irem visitar a amiga do peito. Algumas passaram por casa para levarem à Licas a revista Maria, a Gente e outras leituras eruditas do género, e uma, mais instruída, disse que lhe ia levar «As Pupilas do Senhor Reitor» uma leitura muito intelectual de que a Licas certamente iria gostar se, no intervalo das suas dores, tivesse paciência para a leitura.

Estou confuso, sem saber bem onde o António queria chegar, mas estou à espera da próxima notícia do dia em que faz anos que caiu o primeiro dente do leite ao filho mais velho da Tânia Vanessa, neto da Sandra.

11 comentários:

Fernanda disse...

Amigo João!

Estou quase de saída, vou por aí com o José...
Felizmente ainda tenho uns minutos para fazer o que tinha programado para hoje.

Pois meu querido amigo, assim é...
Tal e qual!
O nosso amigo António,informado e de visão bem ampla, nada lerdo, bem pelo contrário, explicou-se muito bem.
Entendi tudo muito bem e estou totalmente de acordo com ele, não podia mesmso estar mais.

Ironicamente, ele fala-nos aqui do que é realmente importante e o que é trivial.
Para usar de adjectivação menos agressiva.

Não querendo ferir susceptibilidades, atrevo-me a dizer-lhe que devíamos todos atentar e reflectir muito bem sobre o que o António nos quer aqui transmitir.
Peço mesmo o favor de o fazerem e
vejamos bem, muito bem, se não estamos a cair na mesma asneira.
Valorizemos e destaquemos o que é realmente importante. Saibamos dar um miminho sim, sempre muito apreciado, mas de forma discreta e subtil, mas não descuremos nunca o mais relevante, sob pena de nos parecermos com tudo o que sei não sermos.

Beijinhos e obrigada pelo magnífico texto, amigo João.
Um bom Domingo para todos.
Ná - Na Casa do Rau

Luis disse...

Caríssimo João,
Tal como a NÁ como compreendo o António e a sua ironia tão prosaica!
Devemos dar importância aos temas que realmente interessam podendo e até devendo acarinhar os Amigos quando tal se justificar!
A Amizade também é muito importante na Vida!
Um abraço forte e amigo para Ti e para o António.

Carmo disse...

Muito boa narrativa.
Um abraço
Boa semana

A. João Soares disse...

Caras/o Amigas/o Ná, Luís e Carmo,

O meu amigo António está sempre atento e a sua cultura não tem limites. É um privilégio ter um amigo assim.

Se desejarem conhecer o texto do Eça, procurem em «cartas familiares e bilhetes de Paris» ou no site
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/eca-de-queiroz/cartas-familiares-e-bilhetes-de-paris-7.php,
e desçam até encontrarem o título
«As catástrofes e as leis de emoção»

Beijos e abraço
João
Do Miradouro

Saozita disse...

Olá estimado amigo João Soares, com toda a certeza que assim é, acontece com as pessoas acomodadas na sua ignorância ou no mundo em torno de si! Se assim não fosse, como é que o povo seria feliz, só com "Futebol, Fátima e Fados"?

Tenha uma boa semana.
Bj

Ana Martins disse...

Caro João,
naturalmente que também concordo com o seu amigo António. Devemos centrar-nos no que é realmente importante e dar-lhe prioridade. Contudo todos nós em alguns momentos das nossas vidas desviamos a atenção para assuntos secundários e isso não quer dizer que estejamos a perder a noção do dever.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

A. João Soares disse...

Amigas e amigo,

Agradeço os vossos interessantes comentários e estou certo que o Amigo António também agradeceria se ele visitasse este blogue. Mas o neto nem sempre está com pachorra para o ajudar a satisfazer essa curiosidade.
Sem dúvida que a vida tem que ser um jardim com plantas variadas e flores de diversas cores. Nem só as inundações do Paquistão nem apenas a dor de calos da Licas do António ou da Luisinha Carneiro do Eça de Queiroz. Deve haver um pouco de tudo sem esquecer as proporções, sem a monotonia da conversa doméstica na festa em que outros interesses interessantes são oportunos. Que seria dos cozinhados descritos no blog Saúde e Alimentação se o cozinheiro abusasse do sal ou da pimenta e esquecesse os restantes condimentos? Tudo tem que ter as devidas proporções.

Beijos e abraço
João
Do Miradouro

J.Ferreira disse...

Ainda bem que o António virou irónico!
Gostei e estou de acordo.
Não interessa a ninguém, excepto aos amigos mais próximos, se hoje eu parti um pé, ou perdi dinheiro nos meus investimentos!
Só o que interesse para todos e ninguém em particular tem interesse.
É relevante.
Tenho a certeza que era isto que o amigo do João queria frisar.
Nada de pessoal e mais lógico.

Abraço amigo João.
J.Ferreira

Anónimo disse...

This artіcle prοvides cleaг ideа foг the new
viеweгs of blоgging, that genuinely how to do running a blоg.


Alsο visіt my homepage: V2 Cigs Reviews

Anónimo disse...

I аlmost nеνer cοmmеnt, however I looked at a
lоt of cοmments on "O Ant�nio virou ir�nico".
I actually do have 2 queѕtions for you if уou don't mind. Could it be just me or do a few of the comments come across like they are coming from brain dead folks? :-P And, if you are writing at other social sites, I'd like to follοw уou.
Coulԁ уou post a list of thе complеte urls of
all your social networking pagеѕ like yοur linkedin рrofile, Faceboоk page or twitter feed?


Ηеre is my web sіte www.sfgate.Com

Anónimo disse...

You could consider chiropractic healing routines.
You do not have to buy this equipment if you have a fitness club in
your spot.

Look at my web page the flex mini reviews