30/08/2010

Cabelo difícil !

Esta é uma daquelas histórias verídicas que devem ser contadas, acreditem em mim!

Quando há cerca de três anos conheci o Fred Grech, ele era tão-somente o meu melhor professor de Inglês de sempre.
Na altura, estava a preparar-me para o meu último exame de Inglês.
Felizmente, e até porque temos muitíssimo em comum, até a idade… tornamo-nos amigos muito próximos.
Estar com ele é sempre uma alegria imensa, não há como não rir com ele.
Esta é uma das suas histórias. Simplesmente hilariante!

Andava o Fred muito incomodado, já há uma semana inteira, devido a um cabelo maroto que lhe entrava constantemente num olho, causando-lhe uma sensação muito desconfortável. Por mais que ele o tenha tentado localizar, o culpado não se deixava ver!
Como o malvado do cabelo não se mostrasse, e mesmo tendo o meu amigo até mudado de penteado, embora as suas opções fossem muito limitadas, uma vez que o seu cabelo é curto, o Fred, ainda assim, arriscou, primeiro abrindo risca à esquerda, depois levantando-o um pouco dos lados… mas nada.
Foi então que desesperado decidiu ir ao barbeiro.

O seu barbeiro fez um trabalho maravilhoso, embora ele tivesse esperado bastante tempo para ser atendido, pela simples razão de que o seu barbeiro não trabalha com o sistema de reserva prévia.
Quem como eu conhece bem o Fred, sabe que paciência não é propriamente a sua maior virtude,mas também sabe que ele se entretém com qualquer coisa.
Por exemplo, ele gosta de apreciar os “old geezers” (expressão muito usada por ele quando se refere aos menos jovens), especialmente a forma como estes, todos “empertigados”se sentam na cadeira, e assim como se fosse a coisa mais natural do mundo, se deixam cortar os pelos das suas narinas (^_^)! 
Durante estas esperas, ele normalmente enterra a cabeça numa revista ou num jornal e vai rindo o mais disfarçadamente possível, de tudo o que vê e vai ouvindo, embora às vezes não se contenha e ria
mesmo às gargalhadas, tendo então que apontar para a revista e atribuir as culpas ao artigo que está a ler!
Só o barbeiro sabe a verdade! Ambos já chegaram à conclusão que é muito mais eficiente e consideravelmente  mais barato do que o ir ao psicólogo (^_^)!
 Nesse dia ele deu uma boa gorjeta ao seu barbeiro. Quando saiu do salão, o seu cabelo estava perfeito, muito melhor do que todos os belos cabelos de qualquer modelo profissional. Assim se sentia! Todo peneirento!

Mal chegou a casa sentiu novamente algo a picar-lhe o mesmo olho… sentindo-se amaldiçoado e arrependido de ter gasto todo aquele dinheiro para nada, num corte de cabelo desnecessário, pegou  então no seu pequeno espelho de mão, o que usava sempre para pentear as sobrancelhas…e …. “gosh” “folks” “geeze” (^_^) Que vergonha (^_^)!
O “culpado” … estava mesmo ali! 
Um pelo ENORME das suas farfalhudas sobrancelhas! 

Para se certificar de que tudo estaria bem com a outra sobrancelha, verificou-a também. Para seu enorme espanto encontrou a sua primeira BRANCA…! “Ohmigosh" (^_^)!

Há mais de uma década que ele não via a sua cor natural de CABELO, mas ingenuamente nunca esperou ver os seus pelos das sobrancelhas brancos. Seria possível que os seus outros restantes pelos também estivessem brancos???
Fez logo ali uma inspecção minuciosa, mas não. AINDA não!!! Ufa!!!

Voltou ao rosto… e só então percebe que também não tinha pelos nas narinas (^_^)! 

Bem, amigos, só vos posso dizer que ele me prometeu que nunca mais se riria dos “old geezers” na barbearia, nem em mais parte alguma…. Até porque ele estava à beirinha de se tornar um também (^_^) !!!

Imagem da InterNet

9 comentários:

Sergio disse...

Hola Ná,

pues me has hecho reír... me encantó leer la historia de tu profesor...

Te dejo saluditos argentinos,

Sergio.

J.Ferreira disse...

Olá!

Conheço e reconheço bem a personagem que tão bem tu aqui descreves!
O Fred é mesmo assim!
Conseguiste ter "quase" tanta piada quanto ele.
Reconheço que não é fácil, ele é realmente especial!

Beijo
J.Ferreira

A. João Soares disse...

Amiga Ná,

Não foi por acaso que publiquei o post Pensar antes de decidir. As pessoas são tentadas a encarar os problemas por impulso, sem análise cuidada e depois os resultados não são os melhores. Ora se o problema era um incómodo no olho, convinha ter ido ao oftalmologista!
O que ele tinha afinal era falta de vista e só depois do fracasso da ida ao barbeiro é que acabou por descobrir a causa do incómodo e até se apercebeu de que tinha uns cabelos brancos que já por ali brincavam há vários dias!!!

Mas de qualquer forma, tivemos oportunidade de ler um bom pedaço de prosa, pelo qual merece parabéns.

Beijos
João
Só imagens

Ana Maria disse...

Amiga Fernanda, tenha uma semana com muita tranquilidade e saúde.
Beijinhos!

Anónimo disse...

iiiiiiiiaaahhhhhhhhhhhhh, hilariante este humor inglês.

Ana Martins disse...

Boa noite minha querida amiga,
como diz o nosso colega João, um bom pedaço de prosa que para além de merecer os nossos parabéns, nos faz rir e sentir bem.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Saozita disse...

Boa noite amiga Ná, uma boa história para desanuviar das más notícias... o senhor Fred, já estava no grupo dos “old geezers” e aínda não se tinha apercebido, no entanto o espelho foi sem dúvida a resposta para a descoberta! Pareceu-me, que mesmo perante as evidências, aínda assim achou que aínda não era um “old geezer”.

Tem uma boa noite.
Bjs

Sãozita

Rogério Pereira disse...

Fernanda
minha marota
agora é que fiquei sabendo quem contou a história ao meu barbeiro...
O raio do homem de há uns tempos para cá apara-me tudo...

...tudo, isto é, o pelo na venta, as sobrancelhas e por vezes espreita-me as orelhas!!!!

Um beijo

Fernanda disse...

Queridos amigos/amigas e José!

O "meu Fred" está quase a retornar de férias...foi a Toronto, sua cidade natal matar saudades, especialmente da sua mãe com mais de 90 anos.

Mal chegue virá cá para mais um almoço antes das aulas começarem, assim me prometeu!!!

Será mais uma festa!!!

Eu seu que apesar dos meus esforços, só consegui dar uma pálida ideia do seu carácter, e sobretudo da sua excepcional forma de contar as coisas...sempre hilariante.

Tenho várias memórias dos seus contos, sempre verídico. Impossível não me lembrar deles.
tentarei passá-los para a escrita, até porque assim ficarão imortalizados.

Obrigada a todos pelos vossos comentários.

Beijinhos
Ná - Na casa do Rau