27/01/2011

Egipto com o povo a manifestar-se


Centenas de egípcios desafiaram as autoridades e protestaram contra o Governo no Cairo, num “dia de ira”. As críticas ao regime têm vindo sobretudo de activistas on-line, que marcaram a manifestação para um feriado em honra da polícia. As manifestações, num “dia de revolta contra a tortura, a pobreza, a corrupção e o desemprego”, serão o teste para ver se o activismo consegue passar dos chats e blogues para as ruas. 

“Cenas extraordinárias no Cairo enquanto milhares e milhares marcham com aparente liberdade depois de anos e anos a verem cada protesto anti-governamental imediatamente reprimido pela polícia”. “A polícia anti-motim segue atrás mas parece não estar certa do que fazer”, comentou: “três manifestações estão a ir agora para partes diferentes da capital, todas romperam cordões policiais, mas parece haver pouca coordenação sobre o que fazer a seguir.” Isto é relatado por Jack Shenker, jornalista do diário britânico "The Guardian".

Significativamente, o influente opositor egípcio Mohamend ElBaradei, ex-director da Agência Internacional de Energia Atómica e Nobel da Paz em 2005, garantiu que vai hoje mesmo juntar-se à vaga de protestos no seu país natal, onde a contestação nas ruas ao Presidente, Hosni Mubarak, entra já no terceiro dia consecutivo.

NOTA: Perderei a minha utilidade no dia em que abafar a voz da consciência em mim.
Mahatma Gandhi

Imagem da Net

7 comentários:

Luís Coelho disse...

A onda de contestação vai crescendo em todos os países e é cada dia maior.
Isto só prova a impreparação dos nossos políticos que se instalaram no poder e dele se servem para fins pessoais.
Enquanto não nascerem novos homens de mentes abertas e dedicadas a causas nobres, justas e sem compadrios estas manifestações irão continuar.
É tempo de deixarem de viver pelo poder e pelo dinheiro, pelo favorecimento pessoal e dos amigos.
É tempo de fazer justiça igual para todos e os casos mais gritantes serem abafados e ou destruídos....

Táxi Pluvioso disse...

Mas o Egipto é uma democracia tal como a Arábia Saudita, não é uma ditadura como a Síria ou o Líbano, se o Hezbollah lá chegar. bfds

A. João Soares disse...

Caro Luís Coelho,

A sociedade em geral, mercê da globalização, está padecendo dos mesmos males. O endeusamento do dinheiro leva as pessoas menos preparadas eticamente a ambicionar riqueza sem limites, esquecendo o respeito pelos outros e pelo dinheiro público.
Os políticos são o exemplo máximo da corrupção, da vacuidade de espírito, do enriquecimento ilícito, dos contractos directos, etc.
Este caso do Egipto poderia ser um fait-divers no tempo do Eça, mas hoje é um exemplo de que o povo já não está disposto a suportar bandidos no poder e reage e obtém êxito. Os que virão substituir os abatidos terão que melhorar o seu comportamento, porque a semente da revolta há-de frutificar. Já são vários casos de manifestações populares com êxito.
Crime social é sofrer e calar, porque isso é conivência. cumplicidade com os tiranos.
O conceito de Democracia, ou retorna ao seu significado etimológico ou tem de ser colocado de lado totalmente. Estar a abusar de tal termo para explorar o povo em benefício próprio é uma vigarice de políticos egoístas e com atitudes tiranas de ditador.

Um abraço
João
Do Miradouro

A. João Soares disse...

Caro Táxi Pluvioso,

Nos tempos que correm nenhum regime se intitula de ditadura. Até a Coreia do Norte se intitula democrática!!!
E onde é que há uma autêntica democracia??? As pilhas da minha lanterna já estão gastas de tão demorada procura e ainda não encontrei nenhuma!!!

Um abraço
João
Saúde e Alimentação

Luis disse...

Caríssimo Amigo João,
Realmente falar de democracia é mesmo para chorar... Onde é que ela existe?
Quanto a estas movimentações que se estão a verificar em diversos países só temo que lhes possa acontecer o que nos aconteceu com o 26A, ou seja aproveitamento dos que estão por trás! E talvez seja essa uma das razões porque os portugueses ainda se não levantaram contra estes (des)governantes miseráveis que nos têem comido tudo para seu proveito!
Um abraço amigo e solidário.

A. João Soares disse...

Amigo Luís,

O saudoso PM Pinheiro de Azevedo disse num momento que podia ter sido dramático, de uma varanda do Terreiro do Paço, uma frase que dá para pensar «o povo é sereno». É sereno e sábio embora demasiado tímido e indeciso.

Há momentos em que a serenidade não deve impedir a reclamação a exigência de respeito pelos seus direitos, o que é um dever dos governantes. Um verdadeiro político interessa-se pelo povo e tem mais deveres do que direitos.

Um abraço
João
Só imagens

Luis disse...

Caríssimo Amigo João,
Junto algo que me parece importante para reforçar o teu post:"As Forças Armadas Egipcias já proclamaram que não irão ter atitudes hostis com as populações pois concordam com elas."
Valha-nos isso!!!
Um abraço amigo e solidário.