01/06/2011

Uma foto real! Uma imagem de John Gebhardt no Iraque.


Esta história devia aparecer nas manchetes dos jornais e nas TV's... e não as outras porcarias que por aí aparecem!

Esta é uma dura história de guerra, porém toca-nos o coração...
A esposa de John GebHARDT, Mindy, diz que toda a família desta criança foi executada. Os executantes pretendiam também executá-la e ainda a atingiram na cabeça...mas não conseguiram matá-la. Ela foi tratada no Hospital de John, está a recuperar, mas ainda chora e geme muito. As enfermeiras dizem que John é o único que consegue acalmá-la. Assim, John passou as últimas 4 noites segurando-a ao colo na cadeira, enquanto os 2 dormiam. A menina tem vindo a recuperar gradualmente.
Eles tornaram-se verdadeiras "estrelas" da guerra. John representa o que o mundo ocidental gostaria de fazer.
Isto, meus amigos, vale a pena partilhar com o Mundo inteiro. Vamos a isso !
Vocês nunca vêem notícias destas na TV ou nos Media em geral.

Se vos tocou, dêem a conhecer. Todos precisamos de ver que (também) existem estas realidades em que pessoas como John marcam a diferença, mesmo que seja só com uma pequena menina como esta.


Não podemos orientar o vento, mas podemos ajustar a nossa vela...

3 comentários:

Luís Coelho disse...

Esta foto mostra que por detrás de uma qualquer farda está um coração humano cheio de amor e carinho.

Quantas situações seriam diferentes se os fardados se sentissem na pele dos atacados e lhes estendessem uma mão que ajuda e nunca as bombas que matam e destroem.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Esta imagem não é de hoje, mas fica sempre bem recordar, reviver o sentimento dos militares em guerra, que consideram a população como pessoas a defender e evitar-lhes sofrimento e os adversários como homens de valor que lutam pela sua causa, ou simplesmente obedecem a ordens como qualquer militar.

Nos meus tempos de escola, vi num livro escolar uma imagem de quando a guerra era estática em que estavam frente a frente dois corpos militares, um francês e outro inglês e o comandante da parte francesa, abatendo a sua espada em continência ao comandante adversário, dizia-lhe em voz bem audível: «Monsieurs les anglais tirez les premiers», Senhores ingleses queiram ser os primeiros a abrir fogo.
A cortesia foi sempre um lema doutrinário, embora acreditemos que nem sempre tivesse sido fielmente seguido.

Tal como esta imagem temos muitos casos entre nós de militares que adoptaram órfãos africanos e que socorreram muitas populações em dificuldade.

Abraço
João

Luis disse...

Meus Bons Amigos,
O Militar não é nem guerreiro nem tão pouco guerrilheiro! Essa imagem distorcida que pretendem colar às "Fardas" não tinha razão de ser quando os Valores e Princípios Éticos existiam na sua formação! Hoje em dia em que no Mundo já vão faltando esses mesmos Valores e Princípios já poderão acontecer situações que reneguem tais ideais!
No entanto, apesar de tudo ainda será aí que poderemos encontrar maior solidariedade e camaradagem do que fora das "fileiras"!
Um abraço amigo e solidário.