22/09/2011

Emmanuel Kelly

4 comentários:

Luís Coelho disse...

Vi esta reportagem e fiquei encantado. É como dizem os cauteleiros - há horas de sorte.

Sorte da senhora que os acolheu e sorte dos meninos que formaram uma família quando isso lhes era negado...

Fê-blue bird disse...

Amigo João:
Fiquei os oito minutos e meio colada ao vídeo, estou comovida tal como todas as pessoas naquele auditório.
Há pessoas com uma dimensão tal que ficamos tão pequeninos perante elas.
Palavras faltam sempre nestas ocasiões, porque não existe palavras para a bondade, a coragem e o talento que a aquele jovem e a sua família têm.
São estes exemplos lindos que nos fazem ter esperança na humanidade.

beijinhos

A. João Soares disse...

Amigos Luís Coelho e Fê,

Numa época em que tanto de fala da degradação do ser humano e se diz que os animais da selva nos dão exemplos extraordinários, deleito-me ao conhecer casos como este do Emmanuel Kelly em que vemos a generosidade da mãe adoptiva que o salvou de uma morte dramática e o ensinou a não sucumbir à tentação de «ser um coitadinho» dependente de subsídios, em que se admira o espírito de luta contra a adversidade e se desenvolvem as capacidades disponíveis. A felicidade só se consegue aproveitando o que se é e as possibilidades existentes, mesmo que pareçam muito reduzidas. Chorar sobre o leite derramado é uma atitude ineficaz característica dos espíritos pusilânimes, que não têm coragem para avanças na procura de soluções dignas, próprias de valentes.
A publicação deste vídeo vem na sequência de outros posts a evidenciar casos extraordinários de força de vontade, como, por exemplo:
- Mais um caso exemplar
- A modéstia potencia o valor das pessoas
- Um deficiente vencedor
- Bento Amaral
- Príncipe Poeta (Alexandre Lemos – APAE)

Pedrasnuas disse...

Sem palavras!!!! Beijinhos