19/04/2011

COMUNICAÇÃO...

 SABER OUVIR É O SEGREDO PARA UMA BOA CONVERSAÇÃO”

Deus nos deu dois olhos, dois ouvidos e uma boca

Aprendemos a falar e a escrever desde a mais tenra idade mas, poucos   receberam alguma instrução ou treinamento formal sobre como ouvir...
Na primeira infância, não compreendemos a importância da comunicação. Na medida em que crescemos, vamos compreendendo a necessidade da troca de informações e, independente da nossa vontade, acabamos por “aceitar”. A comunicação é vital...
 “Saber ouvir é cultivar a difícil arte da empatia que é a habilidade de se  colocar no lugar do outro”.  As pesquisas mostram que o ouvinte normal só consegue entender e se lembrar de 50% de uma conversação. Esta porcentagem, que já é bem baixa, cai ainda mais para 25%, 48 horas mais tarde. Isto quer dizer que o que lembramos de uma conversa é algo impreciso  e incompleto.  Perdemos informações valiosas e parecemos desligados .
 Saber ouvir é importante, e se aprende...
 Com um treinamento e policiamento pessoal podemos conquistar esta virtude .
Num curso de treinamento, aprendemos a não interromper o orador com nossas opiniões. Ansiosos, nossa tendência é atropelar o orador, cortar-lhe a palavra, manifestar nossa opinião, sem deixá-lo terminar seu pensamento, numa profunda falta de paciência. Além de feio, desrespeitamos e atrapalhamos aquele que está com a palavra.
Deus nos criou com dois ouvidos e uma só boca, será pó que?
É uma das qualidades mais bem vistas nas pessoas. Essa atitude transmite respeito e proporciona oportunidades de trocar experiências e aprender sempre mais. A maioria das pessoas não ouve com a intenção de compreender, nós ouvimos com a intenção de replicar. Quantas vezes não nos pegamos preparando a resposta que daremos numa conversa em vez de ouvir o que a está sendo dito?
É um defeito fácil de corrigir. Com  treinamento e policiamento pessoal podemos conquistar esta virtude, ouvir com atenção, paciência esperando nossa vez de falar, para completar ou discordar com o que está sendo dito,um diálogo. Com a prática, os resultados serão cada vez melhores.
Saber ouvir é a arte da empatia, que é a habilidade de se colocar no lugar do outro. Assim, ouvir com interesse é a chave para o verdadeiro entendimento. Não significa que concordamos com o outro, mas apenas que estamos nos esforçando para entender seus sentimentos e informações mesmo que tenham pontos de vista diferentes. 
Não sabendo ouvir, as pessoas deixam de assimilar boas informações e idéias, e as vezes tomam decisões erradas.
 Sempre que alguém goza do respeito de ser ouvido e constata que o outro está genuinamente tentando compreendê-lo, as paredes começam a ruir e as portas a se abrirem, tornando possível uma comunicação e influência eficazes”. Há o entendimento... Todos anseamos ser compreendidos.
“A necessidade de ser compreendido é tão básica quanto a necessidade de respirar. Em termos bem simples, quando buscamos compreender alguém, estamos lhe dando oxigênio emocional - que, por sua vez, permitirá ao outro reciprocar”. (Stephen Covey)
Controle e paciência nos permite registrar, refletir e entender  o outro. Assim sendo, ocorre a empatia,  buscamos esclarecer as idéias ou sentimentos do outro a fim compreendê-lo e se não for possível podemos dizer sinceramente:
 "Ajude-me a entender  o que quiz dizer"!
Saber ouvir exige que deixemos nosso ego de fora.
Só assim seremos simpáticos ouvintes, fato importante tanto em casa como no trabalho.
"Se quiser ser um bom conversador seja um bom ouvinte, atento e interessado... "




“fale menos e seja mais ouvido”

6 comentários:

A. João Soares disse...

Amiga Celle,

Esta é mais uma lição dada por uma boa mestra.
A sua frase «A maioria das pessoas não ouve com a intenção de compreender, nós ouvimos com a intenção de replicar. Quantas vezes não nos pegamos preparando a resposta que daremos numa conversa em vez de ouvir o que a está sendo dito?» traduz um facto muito frequente.
As pessoas querem aproveitar umas palavas do outro para depois dizerem algo que lhes dê brilho, mas que por vezes está fora do do contexto.

Mas estas regras são úteis também para o outro, que deve ter o cuidado de saber expressar-se de forma clara, precisa e concisa para transmitir com eficiência a sua ideia sem maçar os ouvintes com repetições e sem sequência lógica.

Já assim acrescento uma regra que me foi ensinada numa aula de oração. Qualquer crítica ao orador deve ser bem elaborada, seguindo as três palavras-chave que atr´
as referi e deve iniciar com um elogio a qualquer pormenor que pareça mais positivo e só depois, dizer «contudo...» (em inglês: however...) Repare que nas minhas respostas a comentários com que não esteja de acordo, começo, geralmente, com uma frase agradável, de elogio!

Querida Amiga, ouvindo os outros, retendo o que for mais importante, vamos enriquecendo a nossa personalidade, o nosso saber, elevando o nosso FATOR J, como bem define o seu compatriota e meu amigo Luíz Santilli Jr no seu belo livro.

Beijos e uma bela Semana Santa
João
Do Miradouro

Celle disse...

obrigada, amigo, por comentar meu post. Concordo com a observação feita por você sobre quem fala. Ele precisa se expressar claramente, com precisão e entusiasmo para motivar os ouvintes. Não ficar naquele lesco lesco enfadonho. Não toquei neste assunto porque tenho a intenção de falar particularmente,sobre o comunicador. Como você, aprendí e foi muito bom me lembrar, obrigada, que uma crítica quando necessária, é de bom tom vir precedida por uma frase ou palavras elogiosas. aqui, neste espaço de "jovens maduros",onde me permitem expor meus pensamentos, respeitosamente, deixo bem claro, que a cada dia, observo e me alimento das experiências vividas pelos amigos e colegas, tenho evoluido e me sinto enriquecida não apenas com o saber, principalmente, com a amizade de todos eles...
O nosso "Fator J", amigo joão, levou-me a esta confissão...
Uma feliz e santa semana à todos!
bjs.
celle

Luis disse...

Minha Querida Amiga Celle,
Antes de tudo o seu post fez-me lembrar os três macacos - Vêr, Ouvir e Calar.
Realmente se temos dois olhos, dois ouvidos e uma só boca alguma razão houve para que Deus nos fizesse assim! Pensando bem a resposta veio nesta Sua bela Lição!
A propósito do que disse o João lembrei-me duma lição recebida num mini-curso de Métodos de Instrução onde era focado o princípio de que numa contestação havia sempre que elogiar o que havia para elogiar e só depois contestar o que julgássemos merecer tal reparo. Com este procedimento mostrávamos apreço pelo trabalho apresentado e dispunhamos a que nos ouvissem com mais atenção e respeito.
Desejos que passem uma Santa Páscoa mais tranquila e sobretudo mais Feliz!

Táxi Pluvioso disse...

Por isso se vendem cada vez mais aparelhos auditivos. boa semana

Maria Luisa Adães disse...

Querido amigo

Há tempo não o visitava.
Primeiro estive no Brasil, cerca de 3 meses;

segundo adoeci e ainda continuo não muito bem, mas melhor e com
algumas proibições na escrita.

Não o esqueci! Agora vou mais aos blogs que me comentam, pois as restrições no escrever são muitas e reais.

Agradeço suas palavras lindas ao meu poema "Distância" e aproveito para lhe falar desses belos textos.

"Saber ouvir é uma grande virtude"

Eu tenho essa faculdade, ouço e
me interesso pelo que ouço e tantas
vezes me baseio ao escrever no que ouço e também como sinto o tempo a correr e aí falo de mim, ficcionada
ou não.

Muito interessante seu blogs, seus
textos e sua vivência escrita que
tanto nos diz.

Continue Luís e me apareça, para eu
ter a possibilidade de estar sempre próximo do meu amigo.

Com ternura, desejo Páscoa Feliz.

Maria Luísa

Fê-blue bird disse...

Amiga Celle :
Tudo seria bem mais fácil se todos seguíssemos estes sábios ensinamentos.
Sei que sou uma boa ouvinte, mas muitas vezes sinto-me frustrada pois dificilmente encontro quem me ouça.
Desejo a todos os meus amigos e amigas uma Santa Páscoa.
Beijinhos