25/08/2011

Morto trabalha uma semana.


Os Gerentes de uma Editora estão tentando descobrir, porque ninguém notou que um dos seus empregados estava morto, sentado à sua mesa durante cinco dias.


George Turklebaum, 51 anos, que trabalhava como Verificador de Texto numa firma de Nova Iorque havia 30 anos, sofreu um ataque cardíaco na sala onde trabalhava (open space, sem divisórias) com outros 23 funcionários.
Ele morreu tranquilamente na segunda-feira, mas ninguém notou até ao sábado seguinte pela manhã, quando um funcionário da limpeza lhe perguntou porque ainda estava a trabalhar no fim de semana.

O seu chefe, Elliot Wachiaski, disse:
'O George era sempre o primeiro a chegar todos os dias e o último a sair no final do expediente, ninguém achou estranho que ele estivesse na mesma posição o tempo todo e não dissesse nada. Ele estava sempre envolvido no seu trabalho e fazia-o muito sozinho.'
A autópsia revelou que ele estava morto havia cinco dias, depois de um ataque cardíaco.

Sugestão:
De vez em quando acene para os seus colegas de trabalho..
Certifique-se de que eles estão vivos e mostre que você também está!

Moral da História:
Não trabalhe demais. Ninguém nota mesmo...

4 comentários:

Luís Coelho disse...

Olá João
Se isto não fosse verdade era uma bela anedota, mas infelizmente a notícia é verdadeira.
Parece mentira com este mundo se materializou. As pessoas desaparecem e ninguém nota a diferença.
Cada pessoa encaixou-se no seu mundo pequenino e deixaram de existir sentimentos de amizade e solidariedade.
A raça humana é pó mas cada dia se vai mais descaracterizando.

Celle disse...

João,conclui o óbvio, que realmente, as relaçoes humanas neste capitalismo selvagem,um relacionamento frio e distante,a indiferença, a falta de comunicação existente entre os colegas, e muito mais coisa associada a administração dessa empresa permitiu o triste ocorrido.O homem também, deveria ser muito improdutivo, seu chefe um alienado. Não houve produção do seu trabalho e o chefe nem percebeu? Este chefe não serve! Não adiantou ser assíduo, ser dedicado,ninguém nem mesmo seu chefe deu fé da sua presença, ou melhor, ausência!
Isto não é só anedota de acidente de trabalho, é uma possibilidade viável nos nossos dias!
A empresa deve estar no buraco,há tempos, com estes funcionários!!!
rsrsrsrsrs

A. João Soares disse...

Caro Luís Coelho,

Pode ser verdade, mas quero convencer-me que é anedota, exagero, pois se fosse verdade significava uma faceta demasiado negativa do ser humano. É colocado em destaque a indiferença e o egoísmo das pessoas. No mínimo, deve haver curiosidade quanto à pessoas, como se sente, reparar nos seus movimentos, etc. mas tal indiferença durante uma semana é demasiado grave para o bom funcionamento de uma equipa de trabalho.

Mas infelizmente hoje as pessoas são demasiado egoístas.

Abraço
João

A. João Soares disse...

Amiga Celle,

Temas como este são um óptimo aperitivo para a Amiga nos mostrar o essencial das relações humanas, do funcionamento de uma empresa, e da degradação da humanidade nos tempos actuais.
Adoro esta sua análise, muito completa. Muito obrigada por aproveitar esta oportunidade para esclarecer e ensinar quem nos visita e levar as pessoas a difundir os melhores valores de vivência social.
Este tema faz lembrar a importância da saudação frisada em Olá! Bom dia!!!

Beijos
João