08/12/2013

Abandonda num lar


 
                                                      
 

Dói-me tanto o coração,
Nesta angústia, nesta dor,
Por ver tanta incompreensão
E tanta falta de amor...
 

Mãe, tu que teus filhos criaste
Com  tanto carinho e amor,
O teu coração lhes doaste
Sem nunca sentir a dor.
 

Da vida difícil, dura,
Que em cada dia tu  travaste
E sempre com tua doçura
E  com muito amor tu os criaste...
 

E, agora, já no final,
De vida dura de luta,
Vais ficar, neste Natal,
Sozinha na tua labuta.
 

Mãe, tu que teus filhos criaste
Com tanto amor p'ra lhe dar
E tanto, tanto os amaste;
Abandonada, num lar…
                                                       «»  
Poema de - Zélia Chamusca
Fonte de imagem -Google          

4 comentários:

Orvalho do Céu disse...

Olá,
Fiquei imaginando os motivos desse abandono da tal mãe...
Seja feliz e abençoada!!!
Abraços fraternos de paz e bem

Luis disse...

Amiga Zélia,
O poema é lindo e retrata a actual sociedade materialista e egoísta em que vivemos.
A Eutanásia já começa a estar na "ordem do dia" e a qualquer momento será aceite por todos.
Quando é que o Bom-senso vai imperar?
Um beijinho muito amigo e solidário.

Zélia Chamusca disse...

Orvalho do Céu,

Querida, este comportamento da parte dos filhos em relação aos pais é comum.É raro, infelizmente, existir um filho/a que mantenha os pais consigo em comunhão quando já velhos e que sozinhos não se podem bastar... descartam-se deles colocando-os no caixote do lixo dos lares ou abandonando-os nos hospitais.

É pena...

Grata por seu comentário e muito amor para si,
ZCH

Zélia Chamusca disse...

Olá Amigo, Luís,

É tão triste quando vejo pais que têm 2,3, 5, 6, filhos e entre eles não há nenhum que tome conta dos pais, tendo-os em sua casa, quando eles se sacrificaram para dar tudo aos seus filhos, enquanto puderam lutar na vida.
A maioria, depois dos filhos criados, criam os netos e quando já não podem os filhos deitam-nos fora. Desculpam-se muito...
Para mim todas as razões alegadas são razão sem razão. Apenas egoísmo falta de amor e respeito pelos pais!
Grata por seu comentário e beijinho,
ZCH