18/04/2012

DESPERDICIO ZERO!

Movimento Zero Desperdício


É positiva a intenção deste movimento "nacional de combate ao desperdício de alimentos".
Mas é uma pena, lamentável, que seja necessário criar (tantos) movimentos...
A política do Zero Desperdício ou a cultura do mínimo desperdício, a todos os níveis, devia comandar e orientar os sucessivos governos.
Tem sido a sociedade civil, o povo, a tomar conta do país.
Quantos movimentos foram criados até ao momento? Mais de 1000 no portal do governo.
O grande número de movimentos só revela a menor capacidade dos nossos políticos. É a prova da sua incompetência para a resolução dos inúmeros problemas nacionais.

Céu Mota, no Aventar


Acordar – Hino da acção “Zero Desperdício”



João José Cardoso, no Aventar


NOTA:
Para quando Desperdício Zero nas Mordomias, nas Fundações, Etc., Etc.?
É que estes desperdícios é que criaram a Crise em que vivemos!

2 comentários:

Rogério Pereira disse...

Escrevi num comentário a um post semelhante:

Não ponho em causa que a situação exija este tipo de acções, pois ela é dramática. Apenas tenho medo que essas acções sejam projectos monumentais e se afirmem, pela dimensão e propaganda, como forma de resolver os problemas e, pior, deixar alguns espíritos e consciências tranquilas pois se irmanam em gestos caritativos deste tipo. Quando fui VER MAIS confirmei que tinham fundamento os meus receios. Existem dois links no site (muito bem elaborado e, certamente, caro) que nos remetem: um para a Presidência da Republica outro para o Projecto Daricriar", iniciado em 2011. Julgo que é um projecto institucionalizante da caridade...
Somos vitimas da nossa própria bondade, é o que é...
Pena ver nesse video gente que não espera, mas se eles não embarcam serão excluídos de determinados circuitos. O problema é que um cantor também tem de comer...

Luis disse...

Amigo Rogério Pereira,
Gostei do seu comentário e espero que nos visite mais vezes. Tem razão nos seus receios mas no momento que vivemos tudo quanto se faça para minorar as dificuldades dos que mais precisam parece-me de aplaudir.
Como digo tenho é pena que esta acção não se estenda a outros temas, como o corte de mordomias e gastos "pornográficos" com reformas e fundações... e não só!
Um abraço amigo e solidário.