29/11/2012

O TAMANHO DAS PESSOAS



                                                                                                 Shakespeare
O tamanho das pessoas varia conforme o seu grau de envolvimento na vida.
Uma pessoa é grande para você, quando fala do que leu e viveu.
Quando trata você com carinho e respeito, quando olha nos olhos e sorri destravado.
É pequena para você quando só pensa em si mesma, quando se comporta de uma maneira pouco gentil, quando fracassa justamente no momento em que teria que demonstrar
o que há de mais importante entre duas pessoas:
A amizade; o Respeito; o Carinho; o Zelo; e até mesmo o Amor.
Uma pessoa é gigante para você quando se interessa pela sua vida,
Quando busca alternativas para o seu crescimento.
Quando sonha junto com você.
É pequena quando se desvia do assunto.
Uma pessoa é grande quando perdoa, quando compreende,quando se coloca no lugar do outro,quando age não de acordo com o que esperam dela, mas de acordo com o que espera de si mesma.
Uma pessoa é pequena quando se deixa reger por comportamentos clichês...
Uma mesma pessoa pode aparentar grandeza ou miudeza dentro do relacionamento,
e... pode crescer ou decrescer num espaço de poucas semanas.
Uma decepção pode diminuir o tamanho de um amor que parecia ser grande...
...Uma ausência pode aumentar o tamanho de um amor que parecia ser ínfimo.
É difícil conviver com essa elasticidade: as pessoas se agigantam e se encolhem aos nossos olhos.
NOSSO JULGAMENTO é feito, não através de centímetros ou metros, mas de ações e reações, de experiências e frustrações.
Uma pessoa é única ao estender a mão, e ao recolhê-la, inesperadamente, se torna apenas mais uma.
O egoísmo unifica os insignificantes...

Não é a altura, nem o peso, nem os músculos que tornam uma pessoa grande...
                 ...É  A SUA SENSIBILIDADE, SEM TAMANHO".

5 comentários:

Celle disse...

Tenho bons amigos que são gigantes pra mim embora, tenham estaturas medianas ou pequenas, mas, de uma sensibilidade deste tamanhão!!!!!!
beijos
celle

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Esta foi a maneira como sempre vi as pessoas. Muitas vezes também vi as más a tomarem grandes proporções e a ficarem mesmo anormais em tamanho.

Gosto e esforço-me por ver todas as pessoas com tamanhos normais e sem maldade. Cada um procurando relacionar-se com os demais porque toda a vida está interligada.

A nossa vida é melhor quando somos capazes de viver sem ser grandes demais nem pequenos a menos, sabendo sempre respeitar os nossos semelhantes e exigir respeito.

A. João Soares disse...

Amiga Celle,

Está sempre a surpreender com a sua estatura do tamanho do Cristo-Rei num morro mais alto que o Corcovado!

Desta vez, traz-nos óptimas reflexões que cobrem praticamente todo o espectro do relacionamento entre as pessoas. É indispensável respeitar os outros tal como desejamos ser respeitados, ver neles as qualidades e os defeitos, as forças e as fraquezas e considerá-los pessoas.

Por mais que procuremos melhorar a nossa estatura moral e intelectual, não podemos esquecer que, na interacção com os outros, crescemos e ajudamos os outros a crescer. A felicidade que dermos aos outros reflecte-se, em grande parte, em nós e torna-nos melhores.

Nem sempre temos paciência para aqueles que são pequenos, egoístas, presos a coisas insignificantes e maldizentes, olhando para tudo com ar crítico destrutivo por vezes com más intenções e considerando-se senhores absolutos de toda a verdade.

As conversas escalonam-se em três níveis: as que discutem ideias e conceitos, as que versam factos, acontecimentos e as que se limitam a pessoas (coscuvilhice e maledicência).

E é preciso ter presente que nos nossos contacto podemos ajudar os outros a crescer, dar dicas e estímulos para serem melhores. Tem sido esse um objectivo deste blogue que tem sido enriquecido pelos trabalhos da Celle.
Bem haja e continue a ser assim, uma evangelizadora da humanidade.

Beijos
João

Celle disse...

Luis Coelho, agradeço-lhe a visita e o comentário próprio de pessoas de bem, dígnas e altruístas que respeitam o próximo reconhecendo que devemos viver como irmãos...
obrigada!
Celle

Celle disse...

Num pequeno espaço João deu-nos uma grande lição de sabedoria e vivência, mas, discordo com veemência dos atributos que me confere e que infelizmente estão longe da verdade.
Continuarei tentando na minha insignificância ser melhor um dia!
beijos
celle