30/08/2012

APLICAÇÃO PARA DETECTAR AS MENTIRAS DOS POLÍTICOS

APLICAÇÃO PARA DETECTAR AS MENTIRAS DOS POLÍTICOS

Já existe uma aplicação para iPhone e iPod Touch capaz de descobrir se aquilo que os candidatos a cargos políticos prometem em público será verdade. "SuperPacAPP" é o nome desta invenção norte-americana que pretende revolucionar as campanhas políticas.

Esta aplicação foi concebida com o objectivo de tornar as eleições e campanhas eleitorais o mais transparentes possível. Desta forma, sempre que um candidato tiver o seu tempo de antena na televisão, os utilizadores da aplicação poderão saber se aquilo que é dito corresponde à verdade.

Para que a aplicação funcione basta posicionar o telemóvel ao nível da televisão quando estiver a ser emitida a campanha eleitoral.

A partir daí, através de uma tecnologia de reconhecimento áudio, a “SuperPacAPP” é capaz de detectar quem está no anúncio, quanto dinheiro foi gasto para o fazer e, sobretudo, se aquilo que é dito e prometido pelo candidato político é baseado em factos verídicos.

Além destas funcionalidades, a nova aplicação permite aos utilizadores atribuir uma classificação a cada anúncio a partir das informações previamente fornecidas. Estas avaliações feitas pela população têm como objectivo orientar os votantes entre si quanto à transparência dos candidatos.

  

A criação, da autoria da jornalista Jennifer Hollett e do consultor Dan Siegel, foi desenvolvida pela empresa Glassy Media a pensar especialmente nas eleições presidenciais norte-americanas que decorrem este ano. Assim sendo, neste momento, a aplicação funciona apenas nos Estados Unidos.
Para aceder à página da "SuperPacAPP" clique AQUI.

retirado do blogue "INTERNET PARA TODOS"


 Precisamos urgentemente desta aplicação.
Beijinhos a todos
Fê Blue Bird

27/08/2012

GERAÇÃO À RASCA - OU POUCO DESENRASCADA?




"Desenrascar-se é lutar contra as dificuldades para as vencer, reduzindo-as a pó ou contornando-as, como faz a água do ribeiro desde a nascente até à foz.
Diz o pensador:
Se não mudas nada em ti mesmo não esperes que o mundo mude.
Se lutares, podes perder; se não lutares, estás perdido!"
 (A. J. Soares)

Andam à rasca...
... já experimentaram contrariar?
A geração dos meus pais não foi uma geração à rasca.
Foi uma geração com capacidade para se desenrascar.
Numa terriola do Minho as condições de vida não eram as melhores.
Mas o meu pai António não ficou de braços cruzados à espera do Estado ou de quem quer que fosse para se desenrascar.
Veio para Lisboa, aos 14 anos, onde um seu irmão, um pouco mais velho, o Artur, já se encontrava.
Mais tarde veio o Joaquim, o irmão mais novo.
Apenas sabendo tratar da terra e do pastoreio, perdidos na grande e desconhecida Lisboa, lançaram-se à vida.
Porque recusaram ser uma geração à rasca fizeram uma coisa muito simples.
Foram trabalhar.
Não havia condições para fazerem o que sabiam e gostavam.
Não ficaram à espera.
Foram taberneiros.
Foram carvoeiros.
Fizeram milhares de bolas de carvão e serviram milhares de copos de vinho ao balcão.
Foram simples empregados de tasca.
Mas pouparam.
E quando surgiu a oportunidade estabeleceram-se como comerciantes no ramo.
Cada um à sua maneira foram-se desenrascando.
Porque sempre assumiram as suas vidas pelas suas próprias mãos.
Porque sempre acreditaram neles próprios.
E nós, eu e os meus primos, nunca passámos por necessidades básicas.
Nós, eu e os meus primos, sempre tivemos a possibilidade de acesso ao ensino e à formação como ferramentas para o futuro.
Uns aproveitaram melhor, outros nem tanto, mas todos tiveram as condições que necessitaram.
E é este o exemplo de vida que, ainda hoje, com 60 anos, me norteia e me conduz.
Salvaguardadas as diferenças dos tempos mantenho este espírito.
Não preciso das ajudas do Estado.
Porque o meu pai e tios também não precisaram e desenrascaram-se.
Não preciso das ajudas da família que também têm as suas próprias vidas.
Não preciso das ajudas dos vizinhos e amigos.
Porque o meu pai e tios também não precisaram e desenrascaram-se.
Preciso de mim.
Só de mim.
E, por isso, não sou, nunca fui, de qualquer geração à rasca.
Porque me desenrasco.
Porque sempre me desenrasquei.
O mal desta auto-intitulada geração à rasca é a incapacidade que revelam.
Habituados, mal habituados, a terem tudo de mão beijada.
Habituados, mal habituados, a não precisarem de lutar por nada porque tudo lhes foi sendo oferecido.
Habituados, mal habituados, a pensarem que lhes bastaria um canudo de um qualquer curso dito superior para terem garantida a eterna e fácil prosperidade.
Sentem-se desiludidos.
E a culpa desta desilusão é dos "papás" que os convenceram que a vida é um mar de rosas.
Mas não é...
É altura de aprenderem a ser humildes.
É altura de fazerem opções.
Podem ser "encanudados" de qualquer curso mas não encontram emprego "digno".
Podem ser "encanudados" de qualquer curso mas não conseguem ganhar o dinheiro que possa sustentar, de imediato, a vida que os acostumaram a pensar ser facilmente conseguida.
Experimentem dar tempo ao tempo, e entretanto, deitem a mão a qualquer coisa.
Mexam-se.
Trabalhem.
Ganhem dinheiro.·
Na loja do Shopping.
Porque não ?
Ah, porque é Doutor...
Doutor em loja de Shopping não dá status social.
Pois não.
Mas dá algum dinheiro.
E logo chegará o tempo em que irão encontrar o tal e ambicionado emprego "digno".
O tal que dá status.
O meu pai e tios fizeram bolas de carvão e venderam copos de vinho.
Eu, que sou Informático, System Engineer, em alturas de aperto, vendi bolos, calças de ganga, trabalhei em cafés, etc.
E garanto-vos que sou hoje muito melhor e mais reconhecido socialmente do que se sempre tivesse tido a papinha toda feita. 
Geração à rasca ?
Vão trabalhar que isso passa... 
À rasca, mesmo à rasca, também já tenho estado.
Mas vou à casa de banho e passa-me.
                                            (Autor Desconhecido)

26/08/2012

Não ofendas os outros

Respeita os outros como queres ser respeitado

Era uma vez um rapazinho que tinha um temperamento muito explosivo.

Um dia, o pai deu-lhe um saco cheio de pregos e uma tábua de madeira.

Disse-lhe que martelasse um prego na tábua cada vez que perdesse a paciência com alguém.

No primeiro dia o rapaz pregou 37 pregos na tábua. Já nos dias seguintes, enquanto ia aprendendo a controlar a ira, o número de pregos martelados por dia foram diminuindo gradualmente.

Ele foi descobrindo que dava menos trabalho controlar a ira do que ter que ir todos os dias pregar vários pregos na tábua...

Finalmente chegou o dia em que não perdeu a paciência uma vez que fosse.

Falou com o pai sobre seu sucesso e sobre como se sentia melhor por não explodir com os outros.

O pai sugeriu-lhe que retirasse todos os pregos da tábua e que lha trouxesse.

O rapaz trouxe então a tábua, já sem os pregos, e entregou-a ao pai. Este disse-lhe:

- Estás de parabéns, filho! Mas repara nos buracos que os pregos deixaram na tábua. Nunca mais ela será como antes. Quando falas enquanto estas com raiva, as tuas palavras deixam marcas como essas. Podes enfiar uma faca em alguém e depois retira-la, mas não importa quantas vezes peças desculpas, a cicatriz ainda continuará lá.
Uma agressão verbal é tão violenta como uma agressão física.
Amigos são jóias raras, cada vez mais raras.
Eles fazem-te sorrir e encorajam-te a alcançar o sucesso. Eles emprestam-te o ombro, compartilham os teus momentos de alegria, e têm sempre o coração aberto para ti.

NOTA: Lição muito interessante a divulgar tanto quanto possível.


Imagem do Google

22/08/2012

5º ANIVERSÁRIO

Agradecimento e parabéns a quantos têm feito deste blogue um ponto de passagem diária. Destaco os 322 seguidores e os restantes visitantes em mais de uma centena diária, mesmo em período de férias.

Isto orgulha os autores, obreiros deste espaço que aqui trouxeram 2609 mensagens, visitadas 228401 vezes e em que foram colocados 13108 comentários.

Durante os cinco anos de existência, manteve-se a simplicidade nas apresentações e a perseverança no objectivo de difundir cultura e estímulo para uma humanidade mais harmoniosa, com maior civismo e ética.

Das mensagens publicadas neste sentido refiro, entre muitas outras, as seguintes:


- gentileza gera gentileza

- Importância do ELOGIO

- Terapia do Elogio

- Criança estimulada e apoiada sobressai

- A importância do reconhecimento!!!

- Sorria!

- VAMOS SORRIR!!!

GENTILEZA GERA GENTILEZA



Texto recebido por e-mail
      "TENTATIVA DE MELHORAR O MUNDO!"
O executivo estava na capital e entrou em um táxi com um amigo.Quando chegaram ao destino, o amigo disse ao taxista: -Agradecido pela corrida. O senhor dirige muito bem.
E, ante o espanto do motorista, continuou: Fiquei impressionado em observar como o senhor manteve a calma no meio do trânsito difícil. O profissional olhou, um tanto incrédulo, e foi embora.
O executivo perguntou ao amigo por que ele dissera aquilo. Muito simples - explicou ele. 
Estou tentando trazer o amor de volta a esta cidade e iniciei com a campanha da gentileza.
Você sozinho? - Disse o outro. 
Eu, sozinho, não. Espero que muitos se sintam motivados a participar da minha campanha.
Tenho certeza de que o taxista ganhou o dia com o que eu lhe disse.
Imagine agora que ele faça vinte corridas hoje. Vai ser gentil com todas as 20 pessoas que conduzir, porque alguém foi gentil com ele. Por sua vez, cada uma daquelas pessoas será gentil com seus empregados, com os garçons, com os vendedores, com sua família. Sem muito esforço, posso calcular que a gentileza pode se espalhar pelo menos em mil pessoas, num dia. 
O executivo não conseguia entender muito bem a questão do contágio que o amigo lhe explicava. Mas, você vai depender de um taxista! Não só de um taxista, respondeu o otimista. Como não tenho certeza de que o método seja infalível, tenho de fazer a mesma coisa com todas as pessoas que eu contactar hoje. Se eu conseguir que, pelo menos três delas fiquem felizes com o que eu lhes disser, indiretamente vou conseguir influenciar as atitudes de um sem número de outras. 
O executivo não estava acreditando naquele método. Afinal, podia ser que não funcionasse, que não desse certo, que a pessoa não se sensibilizasse com as palavras gentis. Não tem importância, foi a resposta pronta do entusiasta. Para mim, não custou nada ser gentil.
 -Você já pensou como seria bom se agradecêssemos ao carteiro por nos trazer a correspondência em nossa residência? Ao médico que nos atender, ao balconista, ao caixa do supermercado...
E, a um professor, então? 
Quantos se mostram desestimulados porque ninguém lhes reconhece o trabalho! Se receber um elogio, se alguém lhe disser como é bom o trabalho que está realizando com seu filho, como ele influenciará todos os alunos das várias classes em que leciona! E cada aluno levará a mensagem para suas casas, seus amigos, seus vizinhos. 
Pode não ser fácil, mas se pudermos recrutar alguém para a nossa campanha da gentileza...
Diz um provérbio de autoria desconhecida que "as pessoas que dizem que não podem fazer, não deviam interromper aquelas que estão fazendo alguma coisa". 
Pensemos nisso e procuremos nos engajar na campanha da gentileza. Pode não dar certo com uma pessoa muito mal-humorada. Mas também pode ser que ela se surpreenda por ser cumprimentada, e corresponda. 
Melhor do que isso: pode ser que ela decida cumprimentar alguém. E, em fazendo isso, se sinta bem. E passe a cumprimentar as pessoas todos os dias. Assim estaremos espalhando o germe da gentileza, que torna as pessoas mais próximas umas das outras.
Uma campanha que espalha confiança, tranquilidade...
Pensemos nisso e façamos nossa adesão à campanha da gentileza, transformando a nossa cidade num oásis de paz. 
Reflita sobre isso! 
"Tudo que é para o bem sempre funciona"...

14/08/2012

VILA DE ÓBIDOS - PORTUGAL

PARA QUEM CONHECE OU DESCONHECIA... ATÉ ENTÃO...



                     "A VILA DAS RAINHAS"
                                                  Com seus Casarios E Ruelas Mouriscas 


10/08/2012

MIL E UM POEMAS

Susana Custódio


Com esta min’alma plena de inspiração

Mil e um poemas ternos, cheios de amor

Pra ti escrevi com a mais doce emoção

Palavras sentidas com um extremo ardor


Descrever o amor era a minha intenção

Em mil e um poemas com cheiros de flôr

Eu só queria conquistar o teu coração

E arrancar p’ra sempre esta teimosa dor


Vem depressa, eu te peço que venhas

Com teu carinho brindar o meu jardim

Já que o enxergas do cimo das montanhas

Já que o vês verdejante, mesmo assim


Vem, e eu confessarei o meu amor por ti

Ouvirás a minha terna voz até adormecer

Murmurada em meus lábios, como um colibri

Solfejada num hino que acabei de escrever



Portugal

2012

08/08/2012

A Rejeição do Imperfeito


Desconfie-se dos auto-proclamados ‘eruditos’.
Por norma, o seu espírito não excede os limites
da banalidade e as restritas aspirações do acessório.
E.Sá

A rejeição do imperfeito
Eugénio de Sá

O teu saber e o meu, ambos restritos
- Que do saber, da fama não me fio -
Se de eruditos está cheio o vazio
Quero que me encha a sede d'infinito!

E assim, postulo a causa da poesia
- que ao douto não deve explicação -
Como valor maior da exaltação
Que o espírito liberta, em empatia

Essa poesia que canta o amor
que solidária ampara cada dor
Esse encanto que vem do coração

Que os eruditos a escrevam a eito
Alucinados em tornar perfeito
O que imperfeito é, pla rejeição!

Idoso na caixa do supermercado


Isto é o que acontecerá quando formos obrigados a voltar a trabalhar depois dos 70 anos.

06/08/2012

GOTAS DE ÓLEO


São as GOTAS DE PURO AFETO que penetram e dulcificam as almas ressecadas de esposas e esposos ajudando na manutenção da convivência duradoura...
e
Nas Relações de Amizade, por vezes algumas GOTAS DE AFEIÇÃO são suficientes para lubrificar as dobradiças e evitar ruídos estridentes da discórdia e da intolerância...                       

PÁTRIA MINAS - (Marcus Viana)


COM PRAZER E ALEGRIA
QUERO MOSTRAR AOS IRMÃOS DE PORTUGAL
NOSSA "PÁTRIA MINAS"  AO SOM DE MARCUS VIANA!
Recordação para quem já a conhece e apresentação para quem não teve o prazer de conhecê-la.

04/08/2012

Euromilhões e a insensatez nacional

Notícia de relevo de hoje diz que no sorteio do Euromilhões de ontem os portugueses arriscaram mais de 15,5 milhões, o que faz pensar na mentalidade de quem quer resolver a crise queimando o pouco de que dispõe.

Isto demonstra a falta de conhecimentos e de racionalidade dos portugueses. Há poucos anos na TV, o administrador do Casino do Estoril dizia com toda a franqueza e honestidade, ultrapassando o esperado das suas funções, que as pessoas não devem jogar, com doentia esperança de que vão ganhar, pois o ganhador é sempre o Casino.Jogar para diversão com quantidades moderadas que não fazem falta ao essencial da vida, desportivamente, pode ser compreendido, mas jogar com o desejo de enriquecer não é sensato. O cálculo das probabilidades mostra que a possibilidade de se ganhar é muito pequena e aconselha a não se arriscar demasiado.

É certo que uma vez, entre muitas, há um jogador que ganha elevada quantia. Mas, mesmo esse, por falta de preparação e de sensibilidade para analisar a dimensão a gerir, só raramente altera a sua vida. Isto foi demonstrado numa pesquisa feita há anos por um órgão da Comunicação Social em que foi evidenciado que alguns bafejados pela «sorte» passaram a ter uma vida mais preocupada, menos feliz do que anteriormente e houve quem fizesse desaparecer todo o «bolo» rapidamente em futilidades acabando por ficar como antes com o inconveniente de ter de abandonar hábitos de consumo entretanto adquiridos. Não foram encontrados casos de significativas melhorias de vida, de forma sustentada. Faz lembrar o ditado popular «dinheiro mal ganho, a água o dá, a água o leva».

E com tal doentia fé na riqueza (o dinheiro é uma droga) Portugal empobreceu ontem de muitos milhões que foram parar à organização do Euromilhões.

Imagem de arquivo

Portugal. Porto. Cidade de oportunidades



Porto é um dos destinos turísticos mais antigos da Europa e beneficia de uma localização geográfica privilegiada, complementada por um moderno transporte e rede de comunicações. A riqueza do seu património monumental e artístico, Vinho do Porto, numerosas instalações de lazer e as suas atracções culturais convidam para visitar esta cidade contemporânea e inspirada e bem conhecida pela sua hospitalidade. Saiba mais http://visitportal.travel