30/06/2012

CÓCEGAS NA ALMA


                          Faça  cócegas na alma... A. B.Smollin
Viva bem
Ame bastante
Sorria sempre...


A alegria é um estado mental.
Faz um barulhinho e aí os outros podem ouvir nossos sentimentos.
 De alegria, de risada e de bom humor
é assim que devemos viver...
De alternativas que nos ajudem a viver vidas mais felizes e 
que ajudem os que nos rodeiam a gostar de nós cada vez mais.
De franzir nossa face com sorriso e não deixar que nossa alma
 murche como uma ameixa seca...
É encher nosso coração de vida!!!
Sorria!!!

“Todos nós nascemos dotados de senso de humor; mas, desenvolve-lo à medida que avançamos em idade é um dom, segundo Anne Bryan Smollin. 
E a recompensa não é somente a alegria em nossa alma, mas saúde e bem estar.”
“ Nada como uma boa risada.
Dá cócegas na alma.
É uma atividade do coração.
Abranda uma alma oprimida sob o peso da negatividade e da falta de entusiasmo.”

Então sigamos a sua sugestão:

A importância da vírgula

ONDE COLOCARIA A 'virgula' NESTA FRASE?•

'Se o homem soubesse o valor que tem a mulher andaria de rastos à sua procura. '

99% das mulheres colocam a virgula a seguir a MULHER
99% dos homens colocam-na a seguir a TEM

É tramado...

Comentário do poeta José Caniné

É só ver o valor que tem uma vírgula. E o valor de um homem, será este? :

O VALOR QUE UM HOMEM TEM
SE O QUISER'S VER, VÊ-LO-ÁS,
NÃO SÓ NO QUE ELE FAZ BEM,
MAS MAIS NO BEM QUE ELE FAZ!

Transcrição de mensagem recebida por e-mail

Biblioburro


Ainda há quem tenha projectos de vida ...
Que belíssimo exemplo nos chega da Colômbia!

27/06/2012

LISBOA EM TIME-LAPSE

Há um novo retrato online da cidade de Lisboa, que mostra a capital portuguesa de uma forma original com recurso ao "time-lapse", uma técnica que se baseia numa série de fotografias tiradas no mesmo local por um longo período de tempo - geralmente vários dias - e colocadas em filme, dando a impressão de que o tempo avança a grande velocidade.
Trata-se do vídeo "Lisbon in Time-Lapse" publicado por um utilizador do Vimeo, Roberto Tino, que está disponível naquela plataforma há cerca de dois dias e que já conta com quase mil visualizações.
O vídeo em questão traz aos nossos olhos diversas paisagens da cidade que se movem em passo acelerado, desde a Lua que se esconde atrás das nuvens ao Sol que nasce entre as típicas ruelas lisboetas.
Entretanto, há pessoas que passam, barcos que "correm" pelo Tejo, carros, autocarros e táxis que aceleram no Marquês de Pombal e se misturam entre si, tornando-se impossíveis de distinguir e deixando rastos de cor e luz no escuro da noite "alfacinha".
Veja o video:

fonte: INTERNET PARA TODOS

O que a Troika queria Aprovar e Não conseguiu!




NENHUM GOVERNANTE, FALA NISTO... PUDERA... 

O que a Troika queria aprovar e não conseguiu!!!!!!---- 

1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores, suportes burocráticos respectivos, carros atestados, motoristas, etc.) dos ex-Presidentes da República. 

2. Redução do número de deputados da Assembleia da República para 80, profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e outras libações, tudo à custa do pagode. 

3. Acabar com centenas de Institutos Públicos e Fundações Públicas que não servem para nada e, têm funcionários e administradores com 2º e 3º emprego. 
 
4. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir milhares de euro/mês e que não servem para nada, antes, acumulam funções nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respectivo. 
 
5. Por exemplo as empresas de estacionamento não são verificadas porquê? E os aparelhos não são verificados porquê? É como um táxi, se uns têm de cumprir porque não cumprem os outros? e se não são verificados como podem ser auditados*? 
 
6. Redução drástica das Câmaras Municipais e Assembleias Municipais, numa reconversão mais feroz que a da Reforma do Mouzinho da Silveira, em 1821. 
 
7. Redução drástica das Juntas de Freguesia. Acabar com o pagamento de 200 euros por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e 75 euros nas Juntas de Freguesia. 
 
8. Acabar com o Financiamento aos partidos, que devem viver da quotização dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem, para conseguirem verbas para as suas actividades.
 
9. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores, etc, das Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões particulares pelo País;. 

10. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia, com o agravamento das horas extraordinárias... para servir suas excelências, filhos e famílias e até, os filhos das amantes... 

11. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado e entes públicos menores, mas maiores nos dispêndios públicos. 

12. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular tal como levar e trazer familiares e filhos, às escolas, ir ao mercado a compras, etc. 

13. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e respectivas estadias em Lisboa em hotéis de cinco estrelas pagos pelos contribuintes que vivem em tugúrios inabitáveis. 

14. Controlar o pessoal da Função Pública (todos os funcionários pagos por nós) que nunca está no local de trabalho. Então em Lisboa é o regabofe total. HÁ QUADROS (directores gerais e outros) QUE, EM VEZ DE ESTAREM NO SERVIÇO PÚBLICO, PASSAM O TEMPO NOS SEUS ESCRITÓRIOS DE ADVOGADOS A CUIDAR DOS SEUS INTERESSES, QUE NÃO NOS DÁ COISA PÚBLICA. 

15. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos que servem para garantir tachos aos apaniguados do poder - há hospitais de província com mais administradores que pessoal administrativo. Só o de PENAFIEL TEM SETE ADMINISTRADORES PRINCIPESCAMENTE PAGOS... pertencentes ás oligarquias locais do partido no poder. 

16. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos, pagos sempre aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com o Governo, no âmbito de um tráfico de influências que há que criminalizar, autuar, julgar e condenar. 

17. Acabar com as várias reformas por pessoa, de entre o pessoal do Estado e> entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Estado. 

18. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao BPN e BPP. 

19. Perseguir os milhões desviados por Rendeiros, Loureiros e Quejandos, onde quer que estejam e por aí fora. 

20. Acabar com os salários milionários da RTP e os milhões que a mesma recebe todos os anos. 

21. Acabar com os lugares de amigos e de partidos na RTP que custam milhões ao erário público. 

22. Acabar com os ordenados de milionários da TAP, com milhares de funcionários e empresas fantasmas que cobram milhares e que pertencem a quadros do Partido Único (PS + PSD). 

23. Acabar com o regabofe da pantomina das PPP (Parcerias Público Privado), que mais não são do que formas habilidosas de uns poucos patifes se locupletarem com fortunas à custa dos papalvos dos contribuintes, fugindo ao controle seja de que organismo independente for e fazendo a "obra" pelo preço que "entendem". 

24. Criminalizar, imediatamente, o enriquecimento ilícito, perseguindo, confiscando e punindo os biltres que fizeram fortunas e adquiriram patrimónios de forma indevida e à custa do País, manipulando e aumentando preços de empreitadas públicas, desviando dinheiros segundo esquemas pretensamente "legais", sem controlo, e vivendo à tripa forra à custa dos dinheiros que deveriam servir para o progresso do país e para a assistência aos que efectivamente dela precisam; 

25. Controlar rigorosamente toda a actividade bancária por forma a que, daqui a mais uns anitos, não tenhamos que estar, novamente, a pagar "outra crise". 

26. Não deixar um único malfeitor de colarinho branco impune, fazendo com que paguem efectivamente pelos seus crimes, adaptando o nosso sistema de justiça a padrões civilizados, onde as escutas VALEM e os crimes não prescrevem com leis à pressa, feitas à medida. 
 
27. Impedir os que foram ministros de virem a ser gestores de empresas que tenham beneficiado de fundos públicos ou de adjudicações decididas pelos ditos. 

28. Fazer um levantamento geral e minucioso de todos os que ocuparam cargos políticos, central e local, de forma a saber qual o seu património antes e depois. 

29. Pôr os Bancos a pagar impostos. 

Assim e desta forma, Sr. Ministro das Finanças, recuperaremos depressa a nossa posição e sobretudo, a credibilidade tão abalada pela corrupção que grassa e pelo desvario dos dinheiros o Estado. 

 POR TODOS NÓS, NOSSOS FILHOS E NETOS. 

 DEPUTADOS C/ Subsídios de NATAL e FÉRIAS em 2012 

 Ora toma lá que é democrático!  

Até quando vai este povo amouchar como um burro que, como dizia Guerra Junqueiro, "já nem com as orelhas consegue enxotar as moscas"? 

Saiu o Orçamento para a Assembleia da República e eles lá estão: os Subsídios de Férias e de Natal. Claro que já sabemos que estes políticos são super-portugueses, aos quais não se aplicam as leis aplicáveis à populaça... Mas não haverá um mínimo de decoro?! Para quem pense que se trata de uma fotomontagem, tomem lá um segundo link, para o próprio Diário da República, para que não haja dúvidas.  

Indignem-se!  

Deputados e funcionários da Assembleia da República contemplados com subsídios de férias e de natal em 2012 no orçamento APROVADO por TODOS os partidos. À semelhança do que foi justificado para a TAP PORTUGAL, também agora devem vir informar que havia perigo de fuga destes “cérebros” todos para o estrangeiro... 

DIVULGUEM A TODOS OS VOSSOS CONTACTOS OS SACRIFÍCIOS DE QUEM NOS GOVERNA, DA EXTREMA-ESQUERDA À DIREITA...SEM EXCEPÇÃO 

VERGONHOSO 


25/06/2012

UM SEMESTRE BASTOU PARA FURAR AS CONTAS AO NUNO...!


«Para que todos meditem…esta é uma realidade muito presente na nossa sociedade, e em especial da nossa geração. INFELIZMENTE! Muitos dos nossos filhos irão ficar bastante mal com a nossa ausência …será o fim do sonho de abundância que ficticiamente a CEE e particularmente a Zona Euro, através da banca, induziu na sociedade liberal que criou.
O problema é que Portugal está cheio de Nunos destes...Todos nós conhecemos alguns...

UM SEMESTRE BASTOU PARA FURAR AS CONTAS AO NUNO...!

Nuno vivia com o pai, reformado da Tabaqueira. Abandonou no 2º ano o curso de Química após a morte da mãe, professora reformada. Foi trabalhar para os serviços externos num laboratório de análises clínicas, ganhando 650 euros.
Viviam numa vivenda alugada pelos pais por 450 euros no Algueirão e o pai tinha de reforma, já com o complemento da mãe, 1800 euros mensais. Nuno não pagava nada em casa. Os gastos da casa em alimentação, energia, agua, áudio-visual, limpeza e tratamento de roupa eram suportados voluntariamente pelo pai.
A totalidade dos 650 euros do seu salário estava destinada às suas despesas extras mensais: almoços (200 euros), carro e gasolina (120 euros), telemóvel e internet (30 euros), tabaco e café (75 euros), futebol (50 euros), bares, discotecas, festas e concertos (120 euros).
Nuno teve uma infância feliz. Apesar dos pais não serem ricos, proporcionaram-lhe condições de vida da chamada classe média, quer nos estudos e nas férias, quer na mesada para os gastos.
Foi assim na infância, na adolescência e até aos 28 anos de idade. Mas o pai faleceu em Outubro do ano passado com um ataque cardíaco.
O pai tinha algumas poupanças e o Nuno após o funeral comprou um Fiat Brava Novinho em folha e foi 2 semanas com a namorada para umas férias de sonho, bem merecidas, para a República Dominicana. Quando regressaram, Lina, a namorada, de 24 anos e a tirar o curso de relações internacionais, mudou-se com armas e bagagens para a vivenda do Algueirão!
Em Janeiro passado a senhoria informou-o da actualização da renda que tinha de passar para os 600 euros e o Nuno teve de ir alugar uma casa de 2 quartos num 3 andar de um prédio modesto no casal de Sº. Brás por 300 euros e levar consigo a namorada! Em Março para além da renda, tinha na caixa do correio a facturas da luz com 80 euros, da água com 17 euros, do gás com 12 euros e 42 euros da TV Cabo.
Nunca lhe tinha passado pela cabeça que estes serviços eram pagos...ai que saudades ele tem daquelas meias horas debaixo do chuveiro, na casa do pai, com água bem quentinha!
Prestes a fazer 29 anos e com a memória ainda cheia de 28 anos de boa vida, que se diga de passagem que já ninguém lhe tira, o Nuno é confrontado pela primeira vez na sua vida que no dia 23 de Março, quando ainda faltavam 7 dias para o final do mês, não tinha dinheiro suficiente nem para a gasolina nem para comer. Nem queria acreditar, até chegou a admitir que tinha sido vítima de algum roubo.
A escassez e a falta de dinheiro, e a boa vida a esfumar-se, originou as discussões na união quase de facto. A Lina, teve de optar entre o confortável quarto da casa da mãe com toda a assistência incluída ou a vida abarracada que lhe proporcionava o namorado. Claro que grande parva que ela era se ficasse a viver numa casa onde a única coisa abundante no frigorífico era o gelo!
Nuno fica sozinho e começa a meditar..."como era possível viver sem fumar (10 maços por mês), sem beber café (60 cafés por mês), sem ir de carro para o trabalho (60 litros por mês), sem ir ao futebol (2 vezes por mês), sem internet e sem telemóvel, sem TV Cabo, sem ir beber umas bejekas para o "bairro" às sextas-feiras?
Como podia passar a vida a ver como consegue esticar os 650 euros de salário só para o aluguer de casa, alimentação, agua, gás e luz? Ainda por cima a ter de fazer as contas à vida sempre que vai ao supermercado adquirir os alimentos... que saudades tem daquela cataplana de marisco que o pai fazia soberbamente!
A poupança que os pais fizeram tão zelosamente foi-se... a espaçosa casa com jardim foi-se... o orçamento familiar suportado com a razoável reforma do pai foi-se... A namorada foi-se... longe de isso lhe equilibrar as contas, limita-se a adiar o agravamento das dívidas!
Como num semestre a vida do Nuno ficou esburacada pela realidade da vida! Nuno não é duma geração rasca. A vida actual da sua geração é que o enrascou!»


retirado daqui

21/06/2012

Ecologia, mais uma reflexão

Na fila do supermercado, o empregado da caixa diz a uma senhora idosa que deveria trazer os seus próprios sacos para as compras, uma vez que os sacos de plástico não eram amigos do meio ambiente.

A senhora pediu desculpas e disse:
"Não havia essa onda verde no meu tempo."

O empregado respondeu:
"Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. A sua geração não se preocupou o suficiente com o nosso meio ambiente."

"Você está certo", responde a velha senhora. A nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente.
- Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerantes e cervejas eram devolvidas ao armazém. Este por sua vez mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada uso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam-nas, umas tantas vezes.
- Realmente não nos preocupámos com o meio ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhávamos até ao comércio, em vez de utilizarmos o nosso carro de 300 cavalos de potência cada vez que precisamos de ir a dois quarteirões de distância.
- Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com o meio ambiente. Até então, as fraldas de bebés eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. As energias solares e eólicas é que realmente secavam as nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido dos seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.
- Mas é verdade: não havia preocupação com o meio ambiente, naqueles dias. Naquela época tínhamos só uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não uma tela do tamanho de um estádio; que depois será descartado, como?
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós.
Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usávamos jornal amassado para protegê-lo, não plástico bolha ou "paletes" de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar.
Naqueles tempos, não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a relva, era utilizado um cortador de relva, que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisávamos de ir a um ginásio e usar passadeiras que também funcionam a eletricidade.
Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o meio ambiente. Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora enchem os oceanos.
Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes, em vez de comprar uma outra.
Não abandonámos as navalhas, ao invés de deitar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes, só porque a lâmina ficou sem corte.
- Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas apanhavam o autocarro e os meninos iam nas suas bicicletas ou a pé para a escola, em vez de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas.
Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizaria mais próxima.

Então, não dá vontade de rir que a atual geração fale tanto em meio ambiente, mas não queira abrir mão de nada e não pense em viver um pouco como na minha época?

Como seria uma óptima solução regressar sustentadamente à forma de viver de há um século ou mais atrás!!!

Imagem de arquivo

20/06/2012

Sobrepesca e seus efeitos.


O apetite das pessoas por peixe está a ultrapassar os limites ecológicos dos oceanos, com impactos devastadores para os ecossistemas marítimos.

Os cientistas têm avisado que a sobrepesca cria alterações profundas nos oceanos, modificando-os, por vezes, para sempre.

A realidade da pesca moderna é dominada por embarcações de pesca que excedem largamente a capacidade da natureza em repor o peixe. Os navios gigantes, que usam sonares de ponta na busca de peixe, podem localizar cardumes com precisão, de uma forma rápida e exacta.


Há navios de arrasto com redes com uma abertura até cerca de 23 000 m2, o equivalente a 4 campos de futebol e suficientemente grandes para levarem 3 aviões 'Jumbo' – o que corresponde a mais de 500 toneladas de peixe.

As populações de predadores de topo estão a desaparecer a um ritmo assustador, e 90% dos peixes de grande dimensão, como o atum, o peixe-espada, o espadarte, o bacalhau, a raia e a solha – foram dizimados desde que a pesca industrial de grande escala se iniciou nos anos 50. O desaparecimento dessas espécies de predadores de topo irá provocar alterações profundas nos ecossistemas dos oceanos interiores. Alguns cientistas alertam para o colapso de todos os tipos de espécies de peixe em menos de 50 anos.

Em 2008 foram capturadas 61 000 toneladas de atum-rabilho – um número 6 vezes superior ao limite inicialmente recomendado pelos cientistas.

Os
políticos têm ignorado os avisos dos cientistas sobre o modo como os recursos piscícolas continuam a ser geridos e a necessidade de a pesca das espécies ameaçadas ser feita de modo sustentável.





fonte: O Único Planeta que Temos

meus desenhos e quadros de 1967 a 2002

https://picasaweb.google.com/lh/photo/0kr2e90zhnP1WRHyAT3SWf2nQt2rORJPd8Khvv1Hs60

A Tragédia à vista e quase ninguém a quer ver…de novo!



Opinião de José Gomes Ferreira

18/06/2012

16/06/2012

Cães entendem quando donos estão tristes

Estudo: Cães entendem quando donos estão tristes
É provável que, se tem um cão, já tenha passado por um momento em que, ao vê-lo chorar, o seu "amigo de quatro patas" se aproximou, parecendo querer consolá-lo. Agora, uma nova investigação sugere que estes animais respondem, de facto, às lágrimas, embora a sua compaixão para com a dor humana ainda não tenha sido comprovada cientificamente.
Um estudo realizado por uma equipa da Universidade de Londres e publicado em Maio no jornal Animal Cognition mostrou que os cães têm mais probabilidades de se acercar de uma pessoa que chora do que de alguém que fala ou cantarola, respondendo a esta demonstração de sofrimento com comportamentos dóceis.
"O facto de os cães conseguirem distinguir alguém que chora, de alguém que canta, indica que a sua resposta ao choro não é apenas movida por curiosidade", explica Deborah Custance, psicóloga envolvida na investigação, citada pelo portal LiveScience.
"Em vez disso, acreditamos que o choro comporta um maior significado emocional para os cães, provocando neles uma resposta mais intensa em termos gerais do que o acto de cantar ou de falar", acrescenta a especialista.
Para chegar a esta conclusão, Custance e a colega Jennifer Mayer recrutaram 18 cães de diversas raças e os seus donos com o objectivo de perceber se os animais responderiam ao choro com empatia e compaixão, numa experiência que teve lugar nas próprias casas dos voluntários.
Ao entrar em casa Mayer ignorava o cão para que este demonstrasse pouco interesse por ela e, depois, a especialista e a dona conversavam, choravam e cantavam de forma aleatória.

Cães estudados responderam à emoção humana
Dos 18 cães envolvidos no estudo, 15 aproximaram-se do dono ou da cientista quando estes choravam, ao passo que apenas seis se aproximaram enquanto cantavam, o que, de acordo com as investigadoras, sugere que é o conteúdo emocional e não a curiosidade que os faz agir.
"Os cães aproximaram-se de quem quer que estivesse a chorar, independentemente da sua identidade. Portanto, estavam a responder a uma emoção humana e não às suas próprias necessidades, o que é um indicador de um comportamento empático como é, por exemplo, o de oferecer consolo", salienta Mayer.
Além disso, as investigadoras observaram também que, dos 15 cães que se juntaram a quem chorava, 13 fizeram-no com uma linguagem corporal que denotava submissão, como a cauda ente as pernas ou a cabeça baixa, o que também sustenta a tese da empatia.
"Não afirmamos que o nosso estudo forneça respostas definitivas para a questão da empatia nos cães", esclarecem as autoras. Ainda assim, realçam, as conclusões em causa abrem horizontes a mais estudos "sobre a vida emocional dos cães, que podem variar desde a forma como as diversas raças reagem às emoções dos donos até ao modo como os animais compreendem a diferença entre gargalhadas e lágrimas".

Clique AQUI para aceder ao estudo publicado no Animal Cognition (em inglês).
fonte: Boas Notícias

15/06/2012

Sopre as cinzas

Publicado em 14/06/2012 por frespinho
Esqueça as ofensas.
Não guarde mágoa, rancor, ressentimento ou ódio.
Seja feliz com os seus sentimentos mais positivos.
"Mude seu destino...seja o comandante da sua nau!
Escolha o melhor caminho para sua " viagem ".
... e se outras vezes o ferirem, perdoe ...

10/06/2012

Silencio sobre a Islândia!



Todos devem ficar a saber o PORQUÊ do SILÊNCIO ABSOLUTO SOBRE A ISLÂNDIA. 

 Se há quem acredite que nos dias de hoje não existe censura, então que nos esclareça porque é ficámos a saber tanta coisa acerca do que se passa no Egipto e porque é que os jornais não têm dito absolutamente nada sobre o que se passa na Islândia. 

 Na Islândia: 

- O povo obrigou à demissão em bloco do governo; 
- Os principais bancos foram nacionalizados e foi decidido não pagar as dívidas que eles tinham contraído junto dos bancos do Reino Unido e da Holanda, dívidas que tinham sido geradas pelas suas más políticas financeiras; 
- Foi constituída uma assembleia popular para reescrever a Constituição. Tudo isto pacificamente. Uma autêntica revolução contra o poder que conduziu a esta crise. E aí está a razão pela qual nada tem sido noticiado no decurso dos últimos dois anos. O que é que poderia acontecer se os cidadãos europeus lhe viessem a seguir o exemplo? 

Sinteticamente, eis a sucessão histórica dos factos: 

- 2008: o principal banco do país é nacionalizado. A moeda afunda-se, a Bolsa suspende a actividade. O país está em bancarrota. 
- 2009: os protestos populares contra o Parlamento levam à convocação de eleições antecipadas, das quais resulta a demissão do primeiro-ministro e de todo o governo. A desastrosa situação económica do país mantém-se. É proposto ao Reino Unido e à Holanda, através de um processo legislativo, o reembolso da dívida por meio do pagamento de 3.500 milhões de euros, montante suportado mensalmente por todas as famílias islandesas durante os próximos 15 anos, a uma taxa de juro de 5%. 
- 2010: o povo sai novamente à rua, exigindo que essa lei seja submetida a referendo. Em Janeiro de 2010, o Presidente recusa ratificar a lei e anuncia uma consulta popular. O referendo tem lugar em Março. O NÃO ao pagamento da dívida alcança 93% dos votos. Entretanto, o governo dera início a uma investigação no sentido de enquadrar juridicamente as responsabilidades pela crise. Tem início a detenção de numerosos banqueiros e quadros superiores. A Interpol abre uma investigação e todos os banqueiros implicados abandonam o país. Neste contexto de crise, é eleita uma nova assembleia encarregada de redigir a nova Constituição, que acolha a lições retiradas da crise e que substitua a actual, que é uma cópia da constituição dinamarquesa. Com esse objectivo, o povo soberano é directamente chamado a pronunciar-se. São eleitos 25 cidadãos sem filiação política, de entre os 522 que apresentaram candidatura. Para esse processo é necessário ser maior de idade e ser apoiado por 30 pessoas. 
- A assembleia constituinte inicia os seus trabalhos em Fevereiro de 2011 a fim de apresentar, a partir das opiniões recolhidas nas assembleias que tiveram lugar em todo o país, um projecto de Magna Carta. Esse projecto deverá passar pela aprovação do parlamento actual bem como do que vier a ser constituído após as próximas eleições legislativas. 

Eis, portanto, em resumo a história da revolução islandesa: 

- Demissão em bloco de um governo inteiro; 
- Referendo, de modo a que o povo se pronuncie sobre as decisões económicas fundamentais; - Prisão dos responsáveis pela crise e 
- Reescrita da Constituição pelos cidadãos: Ouvimos falar disto nos grandes media europeus? 

Ouvimos falar disto nos debates políticos radiofónicos? Vimos alguma imagem destes factos na televisão? Evidentemente que não! 

O povo islandês deu uma lição à Europa inteira, enfrentando o sistema e dando um exemplo de democracia a todo o mundo.

Cão e gato dão lições aos humanos



Os seres humanos que se apelidam, arrogantemente, de racionais deviam aprender as lições de muitos animais sobre respeito pelo outro, tolerância, amizade, solidariedade, etc.

06/06/2012

Será que ainda falta muito para o fim?...



O DCIAP e a Inspecção Tributária prenderam ontem os líderes da maior rede de evasão fiscal e de lavagem de dinheiro até hoje apanhada em Portugal. 
Operava a partir da Suíça, aproveitava o BPN de Cabo Verde e é usada por empresários, advogados e políticos, como Duarte Lima. 
Os valores em causa são astronómicos. 
Uma rede suíça que proporcionava a evasão fiscal e o branqueamento de capitais portugueses – fraude que se calcula atingir mil milhões de euros – foi esta semana desmantelada pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), numa investigação liderada pela Inspecção Tributária de Braga e do Porto. 
Trata-se dos três sócios de uma empresa suíça, a Akoya Asset Management. Oficialmente, geriam e faziam aplicações de fortunas de clientes portugueses, mas na verdade agenciavam clientes para bancos da Suíça e actuavam como seus testas-de-ferro, criando empresas offshore nas quais era colocado o capital, em manobras de fuga ao fisco e branqueamento de capitais
Entre os portugueses que utilizavam os serviços da rede encontram-se empresários, advogados e alguns políticos, como Duarte Lima. A rede era encabeçada por Michel Canals – ex-director executivo do banco UBS (Union de Banques Suisses), onde geria, nomeadamente, as contas conjuntas do magnata Lúcio Tomé Feteira e da sua companheira, Rosalina R ibeiro, e também de Domingos Duarte Lima – e era integrada por dois portugueses residentes na Suíça, José Pinto e Nicolas Figueiredo, também ex-funcionários daquela casa de crédito suíça. 
Foram os três detidos ontem, no Porto. Além destes três indivíduos, foi também preso um intermediário português, que aparentemente vivia da exploração de uma loja de medalhas, de onde lhe vinha a alcunha de ‘Zé Medalhas’. 
Os arguidos começam hoje a ser ouvidos pelo juiz Carlos Alexandre, do Tribunal Central de Instrução Criminal. 
Apetece mencionar duas canções populares: uma, dos Doors,The end, em estado puro. Outra, de Bob Dylan, Stuck inside of mobile with the Memphis blues again, em que o cantor pergunta: Oh mama! Can this really be the end? 
posted by josé

COMO ABRAÇAR UM BEBÉ


O cão está sempre a manifestar atitudes que muitas pessoas não são capazes de imitar! 

Primeiro, encontrar um bebé 



Segundo, assegurar-se de que o objecto que se encontrou é realmente um bebé empregando técnicas clássicas de olfacto. 



Depois é necessário acomodar o bebé antes de começar o processo de "abraço". 



Simplesmente acomodar-se ao redor do bebé e preparar-se para um possível "close-up"... 



Finalmente, se houver uma câmara presente, executar o difícil e patenteado "abraço-sorriso e a pose" para alcançar a melhor foto.

Moto movida a hidrogénio



HHO em PORTUGAL - ÁGUA (H20)= 2 ATOMOS de Hidrogênio (2H+O) 1 ATOMO de Oxigénio

Carregado por MrOrtega1970 em 07/02/2012 HHO como combustível nos nossos veículos. Em uma molécula de água existem 2 átomos de hidrogênio e 1 átomo de oxigénio, é bem simples. H20=2H+O

É possível e sempre o foi.....mas o interesse parece não ser muito! O petróleo é mais rentável para encher os bolsos de muitos, enquanto nós pagamos a gasolina ao preço que eles quiserem.

Que muitos interessados, ponham as suas ideias em prática, sem medos, o planeta precisa de emissão 0, o Hidrogénio é a solução global.

Só precisava de testar materiais que não tenho ao meu alcance, para mudar tudo.

Seja como for, eu ando a baixo custo, mesmo ilegal, não escondo a minha identidade, nem tenho receio dos desinteressados.

Com um simples gerador de electricidade...adeus EDP, adeus Gasolina, adeus Gás... O HHO é um gás natural, pode ser utilizado em tudo que necessitamos, sem depender de nada......E mais não digo! pra já.

Miguel Ângelo C. Ortega
miguel.angelo1970@hotmail.com

AS AVÓS




Repasso uma redação recebida por e-mail do amigo Luís Soares!
Emocionada, mesmo não sendo DIA DA AVÓ, 
 resolvi dividi-la com todos amigos do SEMPRE JOVENS, não apenas às avós pela sinceridade da netinha...

                                                         Deliciem-se com estas palavras...
                           

DEFINIÇÃO DE AVÓ
Redação de uma menina de 8 anos, publicada no Jornal do Cartaxo, em Florianópolis.

Uma avó é uma mulher que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros.... 
As avós não têm nada para fazer, a não ser estarem ali. Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam nas flores bonitas e nem nas lagartas.... 
Nunca dizem: Some daqui!, Vai dormir!, Agora não!, Vai pro quarto pensar! 
Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem abotoar os nossos sapatos. Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou então, uma fatia maior.
Só elas sabem como ninguém a comida que a gente quer comer. 
As avós usam óculos e, às vezes, até conseguem tirar os dentes.
As Avós não precisam ir ao cabeleireiro, pois estão sempre com os cabelos arrumadinhos e cheirosas... não precisam de chapinha.
Quando nos contam histórias nunca pulam partes e não se importam de contar a mesma história várias vezes. 
As Avós são as únicas pessoas grandes que sempre têm tempo para nós. 
Não são tão fracas como dizem, apesar de morrerem mais vezes do que nós. 
Todas as pessoas devem fazer o possível para ter uma Avó, ainda mais se não tiverem televisão...

05/06/2012

Vida animal. Beleza da polinização

Este belo vídeo fica aqui muito bem na sequência do post anterior, focando o tema da ecologia, da vida no Planeta. Sem a polinização a vida vegetal desapareceria e, a seguir, iria a vida animal, humanos incluídos.

02/06/2012

QUEM SE PREOCUPA COM ESTE PLANETA?

Who Cares About this Planet?” expressa o conflito entre a preocupação e a ignorância para com o planeta.
Uma abordagem urbana e actual, onde Made Wade expressa as suas preocupações com o futuro do planeta e o actual desempenho dos seus habitantes.
Para ver e ouvir do principio ao fim!


O progresso visando apenas o lucro é incompatível com responsabilidades sociais e ambientais!

Até quando, o lucro será mais importante que a própria vida?

fonte: INTERNET PARA TODOS