30/01/2012

Nem com duas guerras mundiais lá vão!


De uma maneira geral, quando comentamos a actualidade, temoshttp://www.blogger.com/img/blank.gif tendência para esquecer que essa mesma actualidade, num aparente paradoxo, não começa hoje. A História, por muito que não se repita, devia ser ouvida e lida, para que pudéssemos entender o presente e prever o futuro.

Em História, um conjunto de cem anos é um fogacho e, muitas vezes, as consequências de actos praticados há menos tempo do que isso ainda se fazem sentir.

A União Europeia, uma ideia generosa, não é, com certeza, união e nem sequer é europeia, de tal modo se deixou dominar por interesses vindos de ocidente e de oriente, ao mesmo tempo que França e Alemanha punham e dispunham do resto da Europa. Se é certo que os países periféricos, como Portugal, que se juntaram à UE desperdiçaram demasiados recursos graças a uma corrupção endémica, não é menos certo que muitas imposições do directório franco-alemão contribuíram para a destruição do tecido produtivo desses países, criando fragilidades que se acentuaram com o Euro.

Ninguém, no seu juízo perfeito e civilizado, defenderia, por exemplo, que a Alemanha devesse expiar eternamente os muitos pecados cometidos na Segunda Grande Guerra ou que não fez sentido ajudar um país duramente bombardeado. Afinal, a Europa tem passado o século XX a apregoar os valores da solidariedade.


A boa vontade e, sobretudo, a inércia provocada pela passagem benfazeja dos anos levaram muitos europeus a querer esquecer os tempos em que a Alemanha assumiu, brutalmente, a sua tendência hegemónica. As recentes declarações de políticos alemães que exigem a perda de soberania de outros países tornam muito difícil esquecer a História. E ainda não passaram cem anos desde a última vez que a Alemanha invadiu vários países estrangeiros.

António Fernandes Nabais, no Aventar


Visita 360º a algumas catedrais portuguesas



Uma bela forma de visitar as nossas Catedrais, sem sair de casa...

Zoom espectacular...

Ao vivo não se consegue ver tanto pormenor...

Sempre abertas ao público, sem filas e sem custos...

Por enquanto apenas 12 disponíveis...

Link de acesso:

29/01/2012

Alzheimer. Mais vale prevenir

Recebi agora por e-mail um texto muito interessante sobre o esforço de precaução que devemos tomar
regularmente para evitar ou, pelo menos, adiar a chegada do mal de Alzheimer.
Não o publico por já constar do vasto acervo (518 posts) concentrado no blogue Saúde e Alimentação desde há 29 meses.
Mas faço este alerta para o interesse do post ali publicado em 23-09-2009. Para o abrir basta fazer clic sobre o seu título:

Alzheimer. Precauções

O PODER DA VONTADE!


Conta certa lenda: Que estavam duas crianças patinando num lago congelado. Era uma tarde nublada e fria e as crianças brincavam despreocupadas.
De repente, o gelo se quebrou e uma delas caiu, ficando presa na fenda que se formou.
A outra, vendo seu amiguinho preso e se congelando, tirou um dos patins e começou a golpear o gelo com todas as suas forças, conseguindo por fim quebrá-lo e libertar o amigo.
Quando os bombeiros chegaram e viram o que havia acontecido, perguntaram ao menino:
- Como você conseguiu fazer isso? É impossível que tenha conseguido quebrar o gelo, sendo tão pequeno e com mãos tão frágeis!
Nesse instante, um ancião que passava pelo local, comentou:
- Eu sei como ele conseguiu.
Todos perguntaram:
- Pode nos dizer como?
- É simples - respondeu o velho.
- Não havia ninguém ao seu redor, para lhe dizer que não seria capaz…
"Deus nos fez perfeitos e não escolhe os capacitados, capacita OS ESCOLHIDOS.

Fazer ou não fazer algo só depende de nossa vontade e perseverança

Mt 22:14 - Porque muitos são chamados. Mas poucos os escolhidos.


Confie...

As coisas acontecem na hora certa.
Exactamente quando devem acontecer!
Momentos felizes, louve a Deus.
Momentos difíceis, busque a Deus.
Momentos silenciosos, adore a Deus.
Momentos dolorosos, confie em Deus.
Cada momento, agradeça a Deus.

CONSULTAS GRATUITAS


*Consultas gratuitas de clínica geral*

*Exmo(a). Senhor(a)*,**

A União Humanitária dos Doentes com Cancro presta consultas de clínica geral gratuitas e abertas a toda a população, todas as quartas-feiras.
Conscientes de que o êxito desta valência depende unicamente da sua divulgação, de modo a que todos os doentes tenham conhecimento e assim oportunidade de beneficiar deste apoio, face aos nossos escassos meios (pois todos os apoios que a União presta são inteiramente gratuitos), vimos pelo presente apelar à sua solidariedade e desde já muito
agradecer:

*A divulgação desta notícia por todas as pessoas do seu conhecimento, familiares e amigos.*

*O reenvio deste e-mail para todos os seus contactos pessoais, com o objectivo de que, mediante uma grande rede de solidariedade na Internet, esta notícia chegue ao conhecimento de toda a população.*

Para um completo conhecimento da União Humanitária dos Doentes com Cancro, muito agradecemos a visita ao nosso site, em
www.doentescomcancro.org <http://www.doentescomcancro.org/ , um site completo e interactivo, com toda a informação sobre os apoios gratuitos a doentes com cancro e seus familiares, o cancro, a legislação, o tabagismo e as últimas notícias de âmbito oncológico.

Colabore com a União nesta nobre causa.

O cancro, pela sua dimensão - a segunda causa de morte no nosso país e a primeira no grupo etário entre os 35 e os 64 anos - é uma doença e uma problemática que a todos diz respeito e que só poderá ser vencido com a mobilização de toda a sociedade.

Gratos pela sua solidariedade, subscrevemo-nos com estima e elevada consideração,

Luís Filipe Soares

*União Humanitária dos Doentes com Cancro*

Presidente da Direcção

Tel.: 213940302

Recebido por e-mail enviado pelo Amigo João

23/01/2012

Pedras, diamantes e corações

Nunca desvalorizes ninguém...
Guarda cada pessoa perto do teu coração...
Porque um dia podes acordar...
E perceber que perdeste um diamante....
Enquanto estavas muito ocupado(a) coleccionando pedras.

Por falar em pedras...
...lembrei-me agora daquele poema lindíssimo de Fernando Pessoa que não resisto a enviar novamente (e devia ser lido todos os dias... e em voz alta, para o "ouvirmos" melhor!):

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que a minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e
se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar
um oásis no recôndito da sua alma .
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um 'não'.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo...


(Fernando Pessoa)

Arte para o povo. Zorba

22/01/2012

JOGOS DE SOMBRAS E LUZ



Uma pequena maravilha feita com as mãos com jogos de Sombras e Luz!

UM PEQUENO GRANDE GESTO!


Um pequeno grande gesto:


O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, cometeu erros durante este seu primeiro mandato? Cometeu.

Obama falhou a algumas das suas promessas? Falhou.


A esperança que tantos milhões de americanos, e centenas de milhões por todo o planeta, nele depositaram ficou um pouco abalada nestes anos de presidência? Certamente.


Barack Obama não veio directamente do Olimpo, é um comum mortal, um homem e, como tal, um ser imperfeito. O seu capital de esperança, a mudança que ele significou pode ter hoje um significado um pouco menor, pode. Admito. Mas, Obama é mesmo especial. Não o digo apenas por aquilo que se pode ver na fotografia que ilustra este post. Mas também.
Obama é mais do que "O Presidente dos EUA". É muito mais do que isso. É por isso que vai ser reeleito. É por isso, tal como Lula, que vai deixar saudade em todos os Homens de boa vontade.

E isso vê-se, sente-se nestes pequenos gestos. Detalhes, dirão alguns. Pois. O Diabo está nos detalhes? O verdadeiro ser humano, também.

(igualmente publicado AQUI)

by Fernando Moreira de Sá, no Aventar