30/09/2010

1º DE OUTUBRO



Dia internacional da 3ª idade





MEXA-SE COMO UMA CRIANÇA
A atividade física é um fator de promoção da Qualidade e da duração da vida Ande, pratique alongamento dance, Não pare.

COMA COMO UM INDIO
Evite produtos industrializados. Coma menos gorduras. Abuse das frutas e verduras. Use pouco sal. Reduza o açúcar...

DURMA COMO UM GATO
Descanse o suficiente. Espreguice ao acordar. Trate bem o seu corpo.

TENHA A PERSISTÊNCIA DE UM CAMELO
Seja disciplinado. Mantenha seu compromisso de envelhecer com saúde. Trace os objetivos e tarefas.Mantenha seus sonhos vivos...

TENHA A ALEGRIA DE UM GOLFINHO
Valorize as coisas boas que a vida nos dá. Não seja amargo ou rancoroso. Viva o dia de hoje...

MANTENHA SUA CRENÇA NA VIDA, NO AMOR E NA FRATERNIDADE.

Autor Desconhecido

Nossas respeitosas saudações a todos os que levam na bagagem a experiência de uma longa Vida, onde adquiriram a sabedoria da idade!
C.S. SEMPRE JOVENS.


29/09/2010

Portugal visto por «O Açor» 02



Fotografias de Lourdes Martinho extraídas de posts do blog «O Açor», com a simpática permissão da autora, a quem agradeço.
Imagens de Alcobaça, Évora, Marvão, Monsaraz, Montemor-o-Novo, Quinta dos Loridos, Vale do Alva, Vila Viçosa.

27/09/2010

Portugal visto por «O Açor» 01




Fotografias de Lourdes Martinho extraídas de posts do blog «O Açor», com a simpática permissão da autora, a quem agradeço. A sequência das imagens é aleatória, pelo que incita à navegação à procura da mais conhecida do visitante ou da mais bonita.

23/09/2010

CERRADO MINEIRO

   A convite do meu marido fomos fazer uma viagem pelas fazendas na região de Augusto de Lima e Lassance, Corinto, localidades situadas  no cerrado mineiro.
Convidei uma prima para ir conosco. Muito alegre e engraçada, tornaria a viagem mais divertida.  Não conhecia a região, tudo seria novidade e surpresas! Gostaria do passeio.
Às 6,00 horas da manhã do sábado  saímos, foi tudo muito agradável no inicio, pista  dupla, asfalto novo, viagem confortável. Paramos para o café da manhã num local   bonito e sugestivo, "Leite ao Pé da Vaca", um café muito bom, salgados bem feitos, tudo muito limpo e asseado. Tivemos uma grata surprêsa ao ser informados que o local foi projetado pela nossa filha que é arquiteta. Como toda mãe coruja babei de felicidade, e mais contente nos sentimos pelo seu proficionalismo, nunca menciona o que fez nem o que fará e sempre nos surpreendemos com alguém a elogiá-la. 
Assim é que deve ser!
 Seguimos nossa viagem, entre contos e causos, invenções e estórias nem vimos o tempo passar.  Colocamos o papo em dia...

A paisagem chamou nossa atenção, estavamosmos chegando ao nosso destino, seria a mais distante das fazendas.Voltaríamos visitando as demais. Sêca por todos os lados, o ecossistema  de cerrado é assim.  Uma vegetação rasteira de capim seco, com arvores dispersas, caules e troncos finos, tortuosos, poucas folhagens, clima quente, região de pouca chuva, e nesta época do ano então, a vegetação é um convite ao fogo.

Deixamos o asfalto e entramos por uma estrada de chão, logo á frente, avistamos um rio, o "Rio das Velhas".
Seria preciso atravessá-lo. A fazenda fica do outro lado do rio, não existe ponte para atravessa-lo, que fazer?...
  -Atravessar de balsa.
Minha prima entra em pânico, não sabe nadar...
"Nesta aventura não vou, nesta balsa não entro, dizia ela.
 Por que não me avisaram, assim não teria vindo!
Eu não entro nisso aí mesmo, e apontava a balsa.!"
Dizia nervosa: "-Eu espero aqui"...
mas, como deixa-la, não tinha onde ficar, tudo era mato!
Como deixa-la ali sozinha, na estrada, ou comigo!...
Voltar, não dava, problema...
Não faltou quem lhe mostrasse não haver qualquer perigo.
Depois de algum tempo, bom,  a convencemos...
Quase desmaiou, mas foi!
... e nós atravessamos o rio, duas vezes. Portanto, quatro travessias: duas pra lá e duas pra cá.
Coitada da prima até acostumou!!!rsrs

                                                                
 Esta  rudimentar embarcação é a balsa, uma prancha larga de madeira,  deitada sobre tambores, e lançada sobre as aguas, presa em cabos de aço que a corretenza do rio faz  mover. Algumas balsas possuem  motor elétrico, outras contam com a correnteza para se mover e  quando o rio é  raso, as balsas são direcionadas pelos cabos de aço e varas de bambú. Assim se ligam as margens de rios naquelas bandas do cerrado, transportam: pessoas, máquinas, carros,  motos, caminhões, carretas etc.

O Rio das Velhas, escorre molemente serpenteando no seu leito e lavando raizes de arvores frondosas que formam as matas ciliares margeantes do rio, em contraste com as arvores do cerrado alí tão próximas!
É um dos afluentes do Rio São Francisco que com suas aguas vai engrossá-lo.
Agora, está menos poluído,  resultado dos trabalhos de consciêntização existentes.
Vencido o medo, a balsa atravessou o rio, passamos para a outra margem  e entramos nas terras da fazenda onde tivemos  oportunidade de apreciar a beleza da "Serra do Cabral" que emoldura toda a região como uma barreira e com sua diversidade de vegetação e algumas nascentes e quedas d'agua. Elas enfeitam a paisagem e ajudam os moradores da região a sobreviverem usando agua cristalina e pura aliviando e refrescando um pouco o clima do sertão. Visitamos uma cachoeira, chegamos bem perto e nos encantamos, incrível, muito bela, no meio daquele cerrado, um oasis!   Arvores de Lei, proibidas de corte, ainda existem por ali, algumas estavam floridas, lindas!  Veredas,  recortam o cerrado amenizando o calor e  protegendo com sua plantas os riachos ali formados.  Hora de voltar.
Retornamos pelo mesmo caminho anterior com destino a outra fazenda e novamente a balsa teríamos que tomar. Embora, a prima tivesse ainda receio e o medo, não era mais novidade, tornando-se mais fácil atravessia da volta.

Retornamos para a outra margem do rio, pegamos a estrada e partimos em direção a outra fazenda onde veríamos  plantações enormes de feijão e milho,  ja havia sido colhido soja, abóbora, melancia e algo mais.

No cerrado hoje, se planta frutas também, em outra região.
E por sinal são deliciosas, docinhas.
Tudo irrigado, na verdade.


Estavam colhendo feijão e paramos para apreciar. Usa-se um maquinário próprio, que nos chamou atenção.
A  máquina já colhe as ramas com o feijão separado  em alas, como na foto, Volta recolhendo o monte feito deixado no chão e cuspindo para os lados as palhas e armazenando nas caçambas os grãos que após recolhidos serão basculados as carretas transportadoras.

Uma importante experiência foi feita nesta fazenda o plantio de trigo irrigado, no cerrado, claro que com toda tecnologia e supervisão da EMATER, foi colhido na semana passada,  produziu bem, os técnicos estão satisfeitos, aguardando a análise de viabilidade do plantio. Na verdade, encarece muito a correção do solo, a irrigação e outros itens, embora haja, incentivos do governo, com facilidades de crédito para essa região.
E assim, rápidamente passou este dia de aventuras, diferente, agradável, cheio de novidades,  que admirarmos, e aprendemos muito, nos fazendo esquecer o que deixamos em casa, a correria do dia, o cansaço e a fome...
... e, o dia  não terminou sem antes, apreciarmos um grande confinamento, de gado de corte, onde ja se posicionava uma condução especial, que transportaria direto para o frigorífico, algumas cabeças de gado que estavam sendo preparadas para o embarque.   

      E ainda a natureza nos brindou com um por de sol ma-ra-vi-lho-so, o que nos levou a agradecer a Deus o passeio, e que mesmo devagar  :                          
          O Brasil "Vai bem Obrigado!"
                                                            Texto e fotos de Celle

“O Valioso Tempo Dos Maduros”

Por Mário de Andrade

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para a frente do que já vivi até agora.
Tenho muito mais passado do que futuro.
Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...
Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana, que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade...
Só há que caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.

Mário de Andrade
Texto recebido por e-mail em formato *pps.

Fotografias de Eduardo Poisl 01



Fotografias de Eduardo Poisl extraídas de posts do blog Uma Página para Dois, com a simpática permissão do autor, a quem agradeço.

21/09/2010

Sabem que estão a ««exagerar»»


O presidente e os restantes administradores foram obrigados a fazer as declarações, mas solicitaram que as mesmas não fossem tornadas públicas.

Publicada por Manel em NRP CACINE.

Eles lá sabem porquê!!!
E a Justiça não actua?

Imagem do NRP Cacine

20/09/2010

DOMINAÇÃO


Dominação
Com a melhoria da educação, o acesso a escola, foi dada a partida para a compreensão do sentido da dominação, pela conquista da energia do outro.
Algumas pessoas têm procurado manipular uns aos outros para alcançar um estado de motivação, de poder, e de acúmulo de bens materiais..
Vale dizer que estas pessoas inconscientemente, cultivam o interesse de conquistar a energia do outro para dominá-lo, controlá-lo, e sentir-se melhor e entretanto, essa atitude sempre foi causa de conflitos entre as pessoas, de guerra entre as nações e geradora de violência.
O grau maior ou menor de controle de cada indivíduo se forma no seio da família e se estende por toda nação. Como disse Rui Barbosa: “A Pátria é a família, então a sociedade é o reflexo da família amplificada”.
Para que cada um se liberte do drama de controle de uns sôbre os outros é necessário conhecer seu próprio drama.
Conhecido o mecanismo, só existe um meio de transformá-lo em crescimento do ser humano, que é o AMOR.
Quando se amam as pessoas não sugam energia , mas doam e a recebem.
Quanto mais doam, mais recebem.
Quem ama educa, liberta, dialoga, dá a cada um o seu direito, aplica punições justas, não controla, não escraviza, não é interesseiro, e sempre faz aos outros exatamente tudo aquilo que gostaria que lhe fizessem. Assim não se alegra com a injustiça mas, se compraz com a verdade.
John Kennedy ao assumir a presidência dos Estados Unidos afirmou:
"Não perguntes o que a tua pátria pode fazer por ti. Pergunte o que tu podes fazer por ela".
Com essa atitude a justiça imperará e o povo poderá ser feliz.

LÁGRIMA




Uma lágrima despida
A rolar em tenros anos
tem nuanças da jovem vida
com reflexos de desencanto...
Cristalina e evasiva
morre nos lábios que inseguros
Amordaçam a inconclusiva
Decisão dos olhos mudos!


10/09/2010

18/09/2010

Mais um troféu para Portugal

Para contrabalançar o desgosto depressivo que os nossos políticos, economistas e financeiros nos causam persistentemente, criando crises, em vez de as evitarem e sendo incapazes de as sanar, é com prazer que tomamos conhecimento de mais um prémio internacional muito significativo que foi atribuído a um nosso compatriota.

A notícia Investigador recebe prémio internacional diz que:

«O astrónomo português Nuno Cardoso Santos recebeu ontem, sexta-feira, na Arménia, o prémio internacional Viktor Ambartsumian, o segundo mais importante na astrofísica, que distingue investigadores por excepcionais contributos para a ciência.

O investigador do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP), recebeu o prémio no valor de 385 mil euros que irá dividir com os colegas de projecto, Michel Mayor, da Universidade de Genebra, e Garik Israelin, do Instituto de Astrofísica das Canárias.»


Felicitamos o Dr. Nuno Cardoso Santos e desejamos muitos outros êxitos na sua carreira.

Imagem da Net

16/09/2010

REFLEXÃO

 Ipê Amarelo
 Ipê Branco
Ipê Roxo

Árvores do serrado brasileiro

Campanha Publicitária

 espalhada pela cidade de São Paulo através de Outdoors:

Pai!

"Crie filhos em vez de herdeiros."
"Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete."

"Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela."

"Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama."

"Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas."

"Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?"
"Quantas reuniões foram mesmo esta semana?


Reúna os amigos."

"Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça,
vírgulas significam pausas..."

"...e quem sabe assim você seja promovido a melhor (amigo / pai / mãe / filho / filha / namorada / namorado / marido / esposa / irmão / irmã.. etc.) do mundo!"

"Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos."
PENSE...

15/09/2010

A NATUREZA EM FESTA!








Que estas flores falem por mim:
DA FELICIDADE 
deste blog pertencer...
Da  GRATIDÃO,  SATISFAÇÃO e CARINHO
 pelos amigos, colegas, e comentaristas, todos unidos num objetivo:
  TORNAR O MUNDO MELHOR! 

14/09/2010

Jovem flautista com futuro prometedor

É com muito prazer que aqui se realça o êxito de mais uma jovem que se evidenciou no estrangeiro.

Adriana Ferreira, jovem de 19 anos, natural de Cabeceiras de Basto, venceu concurso para executantes de flauta, o Carl Nielsen Flute Competition, um conceituado concurso organizado na Dinamarca de quatro em quatro anos, mostrando que tem fôlego para sonhar.

"Aos seis pedi aos meus pais que me encontrassem professores de música porque queria mesmo aprender", recorda.

Começou pelo órgão e, aos 12 anos, com o sonho da música a fervilhar nos pensamentos, decidiu sair de Cabeceiras de Basto, e rumar a Santo Tirso, onde se inscreveu na Escola Profissional de Música e lá esteve até acabar o 12.º ano.

"Fui atrás do sonho. Já não sou de nenhuma terra, sou do Mundo, mas venho a Cabeceiras pelo menos uma vez por mês", afirma. O facto de ter nascido numa pequena terra obrigou-a a um esforço maior para atingir o patamar em que já está. "Sendo de uma terra pequena obriga a outros sacrifícios".

Vive em França desde 2008, onde frequenta o Conservatório Nacional de Música e o curso superior de Musicologia na Universidade de Sorbonne, Paris. "Tem sido excelente. O nível dos alunos e dos professores é muito bom e estou sempre a crescer com essa exigência".

A notoriedade de ter ganho todos os prémios a concurso não ofuscou Adriana, que dá um excelente exemplo de humildade, reconhecendo o caminho que ainda há que trilhar e o trabalho a desenvolver para sustentar uma carreira. "Tenho de continuar a trabalhar, estudar e aproveitar todos os concertos e contactos para desenvolver as minhas capacidades".

Parabéns Adriana. Desejamos-te um sucesso total, em cada momento, como agora ocorreu na Dinamarca .

Imagem da Net

13/09/2010

Falta informação sobre empregabilidade ???

A notícia «Cursos com mais desemprego esgotam vagas», mostram que os candidatos ao ensino superior , seus familiares e amigos, desconhecem as realidades sobre o desemprego nas diversas ares do conhecimento, e enveredam por cursos com pouca capacidade de garantir emprego.

Parece insólito, demonstrando falta de conhecimento de métodos de preparar a decisão e a do curso a seguir é importante e exige procura de informação, de dados, exige que se pense antes de decidir. Ou será que o o valor dos subsídios de inserção ou de desemprego será tão compensador que se transforme em forma de vida e torne menos importante a escolha do curso a tirar, olhando para este apenas pelo aspecto da facilidade?

Imagem da Net.

Conselho Sábio

"Cuidado com as palavras pronunciadas em discussões e brigas, que revelem sentimentos e pensamentos que na realidade você não sente e não pensa...

Pois minutos depois, quando a raiva passar, você delas não se lembrará mais...

Porém, aquele a quem tais palavras foram dirigidas, jamais as esquecerá..."

(Charles Chaplin)

Postado por DULCE no blog Em prosa e verso

11/09/2010

11 de Setembro

Dois momentos a recordar, neste dia: Em 1973 no Chile e em 2001 nos EUA.

Se a maior parte das pessoas se recorda da destruição das Torres Gémeas, são poucas as que têm memória do que aconteceu em 1973 no Chile em que foi assassinado o presidente eleito Salvador Allende, e bombardeando do Palácio de La Moneda como inicio do golpe militar que levou ao poder o ditador militar Pinochet, cujo regime resultou na morte de cerca de 30,000 pessoas e milhares de desaparecidos e torturados. pode ler aqui e aqui.

Imagem da Net

10/09/2010

Explosão e incêndio em S. Francisco

É de lamentar os danos pessoais e materiais e a quantidade de pessoas lesadas por esta catástrofe.

Infelizmente, nos tempos mais recentes tem havido demasiados acidentes de graves consequências, o que coloca em evidência que a humanidade tem-se degradado nos aspectos humanos, de sensatez e lucidez, não acompanhando em precaução e sentido de segurança e de responsabilidade, os avanços tecnológicos que tem vindo a utilizar. Em vez de se ajustar aos riscos que a tecnologia acarreta e tomar as medidas de prevenção e segurança mais adequadas, acabou por se desmazelar a permitir que aconteçam acidentes de gravidade inusitada.

Esta degradação persistente foi abordada no post Segurança votada ao desprezo publicado há pouco mais de duas semanas. Hoje o homem parece estar mais desumano e desleixado do que no tempo do paleolítico, apesar de as tecnologias o colocarem num patamar materialmente mais elevado.

A vida não se resume ao dinheiro, ao consumismo, à ostentação, à arrogância, ao facilitismo, ao deixa andar. Há valores que têm que ser restaurados com urgência.

Podem ser vistos textos em aqui, aqui e aqui, e vídeos em Só Imagens.

Imagem da Net.

O HOMEM EM PERIGO


Aconselhada a publicar sobre o assunto procurei sintetizar e postar no Sempre Jovem, assunto atual, complexo, abordado pelo escritor Michel Quoist, em seu livro, Construir o Homem e o Mundo, em 1971

O HOMEM EM PERIGO

Em face da consciência da humanidade, os chamados grandes problemas - a injusta condição do mundo operário e o proletariado nos povos subdesenvolvidos - permanecem ainda sem solução.
Seus amargos frutos e inúmeras variedades de sofrimento que acarretam, atingem o homem em sua carne e sua alma.

No entretanto, um outro mal, talvez mais grave ainda, vai invadindo a humanidade, a – terrível reviravolta das coisas- pelos povos mais evoluídos, e pelos homens mais civilizados. É uma espécie de desintegração, e decomposição, de apodrecimento do próprio homem. Os maiores sábios e os mais eminentes pensadores que crêem na primazia do espírito sobre a matéria acham-se inquietos, e a própria humanidade já começa a compreender a importância desse perigo.

O homem moderno, orgulhoso de seu poder sobre a matéria e sobre a vida, parece dominá-las cada dia melhor. A medida em que pela ciência e pela técnica o homem vai se apoderando do universo, vai também perdendo o domínio do seu universo interior.

Pretende dirigir o universo e não sabe dirigir nem a si mesmo.O verme que o corroi está em seu interior, e se fortifica, alimentado pelas facilidades do mundo moderno que oferecem ao corpo as delicias e ao espírito o orgulho do poder.

É preciso refazer o homem, para que o universo seja por ele refeito, na ordem e no amor. Quanto mais facilidade de viver e de gozar, mais necessidade de luz terá o homem para compreender que não são senão os meios para atingir um fim mais alto; precisará também de força interior para não se apegar a elas; e mais necessidade de amor terá a fim de captá-las em seu benefício.

O Homem produz cada vez mais e, perpétuo esfomeado, lança-se sobre esses bens sem nunca se sentir saciado. Infernal círculo vicioso, onde as necessidades crescem mais depressa do que nascem as coisas, e o homem escravo debruça-se para colher os frutos da matéria e acaba por cair de joelhos diante desse ídolo.

Apesar da sua decadência, o homem admira-se a si mesmo. E admirando-se esquece da onipotência de Deus e faz das coisas seu Deus.

Para construir o homem e o mundo moderno, não é preciso apenas restituir ao homem sua alma, mas também faze-lo redescobrir quem o criou, com perfeição. Se não amanhã não haverá mais homem.

O homem bem construido o é em três planos: o físico, o sensível e o espiritual.

Os planos reagem uns sôbre os outros, mas sua hierarquia deve ser respeitada, sendo o físico o ultimo, o menos nobre, e o espiritual está acima de todos. Se a ordem dos valores não for conservada o homem se desagrega.

Alguns homens andam de cabeça para baixo, e isto não é normal.
O físico tomou o comando...
Outros caminham de rastros é a sensibilidade dominando...
A afeição se torna paixão...
A sensibilidade domina e paralisa o espirito...

"O homem precisa estar de pé", com seu espirito inteiramente livre, comandando a sua sensibilidade e o seu corpo. Se o corpo precisa de alimento também é preciso fortalecer o espírito e os sentidos com conhecimentos e estudos.

O homem não pode manter-se de pé; seu corpo muito pesado, sua sensibilidade, muito sedutora, ele precisa de força espiritual que o atraia para cima, para o alto e o sustente e o tranforme interiormente.

Quando o homem se mantiver de pé, altruista, olhará ao seu redor e verá a realidade que o cerca, o perigo que o rodeia, será bom que reflita voltando à plena posse de si mesmos para, em seguida, se fortificar espiritualmente.

Assim não estará mais preocupados só em “ter”, mas primeiramente, em “ser”.

O homem em perigo, falta Deus na sua vida!

08/09/2010

Valores éticos e personalidade

Transcrição seguida de NOTA:

Jornal de Notícias. 08-09-2010. Por Luís Portela

A experiência terrena de alguns milénios centrou a atenção dos seres humanos no exterior. Provavelmente pela necessidade de sobrevivência, a que se terá seguido a necessidade de segurança, de relacionamento harmonioso com os reinos mineral, vegetal e animal e, sobretudo, com os outros homens.

A humanidade, focada no exterior, conseguiu um domínio esmagador de tudo à sua volta, procurando condições de vida material cada vez mais favoráveis. Ressalta, porém, alguma insatisfação da generalidade dos seres humanos.

Insatisfação provavelmente proveniente do egoísmo humano, que foi desprezando os valores universais e ferindo, em seu proveito, os diferentes reinos da Natureza, de forma evidentemente desarmoniosa. Mas, insatisfação também resultante do exagero da atenção que os seres humanos têm dedicado ao exterior, esquecendo-se de focarem a atenção no seu interior.

Parece que só uma profunda análise interior, na busca de uma maior compreensão de quem somos e de quais os nossos reais objectivos na experiência terrena, nos permitirá sentir a dor e a alegria dos outros, compreender o nosso papel no Todo Universal, desenvolver a sensibilidade, a tolerância, a compaixão e a sabedoria que nos possibilite um superior grau de realização. Impõe-se, então, um maior trabalho interior de auto-análise, de abertura de consciência, de compreensão mais profunda de quem somos.

O facto de biliões de seres humanos continuarem a sofrer de pobreza, fome, opressão, humilhação e brutalidade parece tornar imperiosa a substituição do objectivo central da experiência humana da sobrevivência para o crescimento espiritual. E o crescimento espiritual consiste em criar uma compreensão mais profunda do nosso eu, percebendo como pelo nosso pensamento podemos introduzir melhorias em nós próprios e como essas melhorias podem ter impacto no mundo.

NOTA: O desprezo pelos valores éticos e pelo crescimento espiritual, tem levado a graves agressões ao ambiente, ao esgotamento dos recursos naturais à poluição, às catástrofes e à fome que aflige quase meio mundo naturais.

Este assunto tem sido aqui abordado por várias vezes. Os seguintes links apresentam temas convergentes com o deste artigo:

- O Steve Jobs da publicidade fartou-se do capitalismo?
- Dispensar excessos, consumismo e ostentação

POESIA

Imagem do blogue Eu, Aquário



Escrevo-te
Nas manhãs acorrentadas
Pela profusão do Sol quando nasce
Ao sabor do verbo e das palavras
Que cintilam docemente na minha paz...

Escrevo-te
No chão da vida
Entre arquitectónicos traços de giz,
Na ponte entre o sonho e a despedida
Do que ao sonho não condiz.

Escrevo-te
A tentar poetizar-me
Na fluidez de versos compilados,
Poesia que extravaso sem renegar-me
Nos poemas que me cantam como um fado!




31/08/2010

05/09/2010

A Blogosfera perdeu um amigo!

Pensando alto...

Há momentos no dia a dia de todos nós que dão sentido aos acontecimentos que nos cercam. Notícias inesperadas, agradáveis ou não, geralmente trazem-nos grandes oportunidades para reflectir.

Esta semana foi fértil em acontecimentos que dariam motivo para profundas reflexões.
Diria que demasiados para os trazer agora aqui. Vou por isso referir só um, a perda de um amigo que eu nem conhecia, é verdade!!!
Não conheci em vida, mas fiquei a conhecer e a apreciar muitíssimo após o seu desaparecimento da Blogosfera e da vida.
Refiro-me ao HOD, nome pelo qual era tratado carinhosamente pelos amigos mais queridos.

A amiga Irene do Blog M@myrene. levou-me até ele. Eu levo-vos até esta extraordinária senhora e aos seus dois últimos posts, para que como eu, possam prestar uma homenagem ao Hod, ao amigo que visitarei sempre e do qual me fiz seguidora ontem.

Lembrem-se sempre que o mais importante na vida é saber valorizá-la.
É saber sentir o carinho puro de criança.
É saber procurar o melhor nos outros.
É saber apreciar a beleza e é saber rir e chorar, muito e muitas vezes... todas as que forem precisas.

04/09/2010

1º. Aniversário Só Imagens

O Sempre Jovens não podia deixar passar esta data sem fazer uma referência a um dos seus "filhos",o Só Imagens, que hoje celebra o seu primeiro aninho de vida!
Criado pelo nosso querido amigo e administrador, João Soares, conta agora com dois colaboradores, o José Ferreira, que nos tem prendado com a sua arte, e eu própria.
Visitem-no sempre, mas não deixem de o fazer particularmente hoje...
Precisamos sentir o vosso carinho num merecido abraço.